Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

A formação do preço de venda

Informações sobre o autor

professor P1 e P2
Nível
Especializado
Estudo seguido
letras

Informações do trabalho

De Oliveira J.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
11 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. A definição do preço
    1. O sistema tributário nacional
    2. A influência do preço de venda no capital de giro
    3. Influência dos impostos na formação do preço de venda
    4. ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)
    5. IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados)
    6. Determinação do mark-up
    7. Mark-up para a determinação do lucro líquido a vista
    8. Acréscimo da taxa financeira pura
    9. Acréscimo da defasagem financeira do IPI

Atualmente, o mercado atravessa uma situação onde a preocupação dos empresários é dispor de produtos e serviços com características diferenciadas dos seus concorrentes e desenvolvidos de formas mais vantajosas, no sentido comercial, sendo competitivo e economicamente lucrativo.
Na medida em que aumenta a complexidade interna das empresas ou mesmo a competitividade no ambiente onde ela está inserida, o processo de tomada de decisão tende a tornar-se também mais complexo.
Para atender a essa situação de maneira adequada, os empresários necessitam de um sistema de informações eficiente e eficaz, que processe um grande volume de dados e produza informações úteis e validas.
A gestão dos custos constitui-se um elemento crucial na competitividade das empresas que operam na economia globalizada imposta pelo modelo econômico atual. Dentro desse escopo, a problemática da determinação do preço de venda apresenta-se como um fator determinante para a sobrevivência das organizações. Nas empresas, em geral, a formação do preço de venda envolve fatores internos e externos à mesma.
Nas micro e pequenas empresas, algumas particularidades devem ser consideradas, em função da diferença do poder de barganha em relação às organizações de porte mais elevado; além do problema quase unânime da escassez de recursos para o giro dos negócios evidenciado nesse segmento empresarial.
Ao observar a situação das micro e pequenas empresas brasileiras, a quantidade e qualidade de informações acerca de seu empreendimento é muito menor que as grandes corporações, diferença esta causada em função do sistema de informações, da integração das operações etc.
Apesar de tais empresas estarem menos instrumentalizadas, as mesmas necessitam igualmente de informações para competirem no mercado. Aliado à falta de informação, normalmente, são observados outros fatores limitantes em quase a totalidade de tais empresas: a ausência de capital de giro, taxas financeiras maiores e um custo tributário discutível.
Ainda com base nesta realidade empresarial, outro fator de vital importância, que costuma determinar a continuidade do negócio ou não, é a determinação do preço de venda dos produtos.
Apesar de as micro e pequenas empresas industriais apresentarem limitação de informação e de recursos, as mesmas devem estimar com acuracidade o preço de venda de seus produtos, o qual deve recuperar todos os gastos incorridos no processo de fabricação, venda, administração e financiamento da atividade, e, ainda, remunerar adequadamente os sócios e o empreendimento sob a forma do lucro.
Com esta realidade existente, este trabalho pretende apresentar uma metodologia de cálculo do preço de venda para micro e pequenas empresas industriais, considerando os tributos incidentes sobre as mesmas e o prazo de pagamento desses mesmos encargos.

[...] A entrada em estabelecimento comercial, industrial ou produtor de mercadoria importada do exterior. O fornecimento de alimentação, bebidas e outras mercadorias em restaurantes, bares e outros estabelecimentos similares. A prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicações. A entrada de bens do ativo imobilizado, oriundos de outros Estados ou Distrito Federal e que sejam utilizados na atividade produtiva. A entrada de bens de consumo, a partir de janeiro de 2000 (para alguns Estados, a partir de 1999). [...]


[...] Conclusão Percebe-se que com a atual competitividade e a existência de diferentes sistemas de custos, as empresas têm encontrado dificuldade para fixar o preço de venda do produto. Esta dificuldade advém, principalmente, pelo fato que muitas destas empresas consideram apenas os custos como principal referencial na formação de preços. A evolução das organizações industriais, bem como de seu processo produtivo, a Contabilidade de custos e a gestão de custos foi sobremaneira afetada. À medida que o sistema produtivo evoluía, novo sistema de custos era desenvolvido, procurando suprir as deficiências identificadas no sistema anterior e quantificar, de maneira mais objetiva possível, o custo unitário do produto. [...]


[...] Ainda com base nesta realidade empresarial, outro fator de vital importância, que costuma determinar a continuidade do negócio ou não, é a determinação do preço de venda dos produtos. Apesar de as micro e pequenas empresas industriais apresentarem limitação de informação e de recursos, as mesmas devem estimar com acuracidade o preço de venda de seus produtos, o qual deve recuperar todos os gastos incorridos no processo de fabricação, venda, administração e financiamento da atividade, ainda, remunerar adequadamente os sócios e o empreendimento sob a forma do lucro. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Custos industriais e formação do preço de venda - indústria malharia Jucirene Malhas

 Administração e marketing   |  Administração   |  Estudo   |  24/04/2007   |  BR   |   .doc   |   25 páginas

Mais Vendidos administração

Administração de Suprimentos e Logística

 Administração e marketing   |  Administração   |  Projeto   |  30/08/2006   |  BR   |   .doc   |   13 páginas

A importância dos níveis hierárquicos na organização

 Administração e marketing   |  Administração   |  Estudo de caso   |  19/09/2007   |  BR   |   .ppt   |   12 páginas