Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Emprego e Informalidade

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
contabilidade
Faculdade
Associação...

Informações do trabalho

Julio Cesar G.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
39 páginas
Nível
Para todos
Consultado
438 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Apresentação
  2. Justificativa
  3. Objetivos
  4. Hipoteses
  5. Referencial Teorico
  6. Do Trabalho Social ao Trabalho Econômico
  7. Procedimentos Metodológicos
  8. Definição da Amostra
  9. Plano Provisório da Pesquisa
  10. Fontes
  11. Recursos
  12. Cronograma
  13. Pesquisa de Sondagem
  14. Variáveis
  15. Questionário de Pesquisa

Este "Projeto de Pesquisa" refere-se a Dissertação de Conclusão do Curso de Mestrado em Desenvolvimento Social da Escola de Serviço Social da Universidade Católica de Pelotas. Sendo um Economista especializado no estudo dos problemas do Desenvolvimento Econômico, temos nos interessado pela transformação das Categorias Sociais Trabalho e Emprego e seus reflexos para a humanidade.
O trabalho existe para o homem ou o homem foi criado para o trabalho? É a nossa dúvida central, a respeito dos papéis que desempenham o homem, a economia e as idéias, no que se refere aos processos de produzir bens e serviços que venha a atender as necessidades humanas.
Ao nosso ver os papéis ao longo da história se inverteram, pois entendemos que do homem e das relações sociais, nasceram todas as atividades econômicas. Se este as criou para servir a sí e aos outros semelhantes, como pode agora a criatura engolir ou dominar o criador.
Se o processo de produção, só é, porque existe o homem. E uma fábrica , um prédio de bolsa de valores, um livro, etc, só existem quando compreendidos pelos caracteres da inteligência humana, fora disto são somente objetos sem sentido. Como pode a grande maioria dos homens, desfrutar e participar tão pouco, dos produtos das maravilhas tecnológicas que a humanidade produziu.
Como se explica a miséria, o desemprego, se esta raça produz tanta comida, roupas, casas, produtos e serviços, em tanta quantidade e qualidade. Será que aqueles que lutaram por uma descoberta, alguns com o sacrifício da própria vida, que produziram uma semente nova, uma cura para uma doença, um novo motor, realizaram isto para o deleite de poucos e egoístas capitalistas, ou estavam preocupados em melhorar a vida de seus semelhantes.
O aumento fantástico de produtividade gerado pela informática, que é produto do esforço milenar da humanidade, em que beneficiou o homem comum. Nada! Somente o afastou do mercado de trabalho e o transformou num produto descartável. ?Inimpregável?.
Por que não reduz-se a jornada de trabalho, já que a produtividade dobrou nos últimos vinte anos? Não, a humanidade dobra a produção e demite a metade dos trabalhadores. É para isto que vivemos, trabalhamos e lutamos. Para que seres no terceiro e quarto mundo, vivam em piores condições que os homens das cavernas. Lá, pelo menos, eles podiam colher e caçar a vontade. Hoje todas as searas possuem proprietários. Até o lixo.
A luz destas conjecturas é que nos propomos a estudar como ocorreu esta mutação do processo de produção, onde o homem, aparentemente deixou de ser a centralidade do processo da vida. Como isto acontece e como é compreendido pelo trabalhador (passivo, ativo ou contribuinte) deste processo, é o fim de nosso trabalho.

[...] A pesquisa de campo e as entrevistas, serão realizadas pelo Mestrando RECURSOS MATERIAIS - Fichas pautadas; - Papel almaço, lápis, caneta e borracha; - Pastas de papelão, classificadores, envelopes plásticos com quatro furos e envelopes tamanhos ofício e carta; - Computador 486, 133Mh, com impressora matricial de 80 colunas(próprio); - Disquetes para computador, fitas para impressora e papel formulário contínuo 80 colunas; - Questionários impressos em "off-set"; - Correio, Fax e Telefone interurbano; - Passagens rodoviárias urbanas; - Livros, revistas, jornais e periódicos CRONOGRAMA Cronograma a ser desenvolvido na realização da pesquisa Trabalho, o Emprego e a Informalização das relações com o Estado", tarefa referente Monografia de Conclusão do Curso de Mestrado em Desenvolvimento Social e Econômico da Escola de Serviço Social da Universidade Católica de Pelotas. [...]


[...] Trabalhadoress no Brasil: Imigração e Industrialização. [tradução Ivan Esperança Rocha], - São Paulo: Ícone/EDUSP 156p. RIFKIN, Jeremy., O fim dos empregos: o declínio inevitável dosníveis dos empregos e a redução da força global de trabalho. tradução de Ruth Gabriela Bahr. 1ª. ed. - São Paulo: Makron Books p. SANCHIS, Enric. Da escola ao desemprego. Tradução de Martha Vieira e Célia Linhares. 1ª. ed. - Rio de Janeiro: Agir p. METODOLOGIA DA PESQUISA ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 12ª. [...]


[...] Para obtermos uma amostra ideal, pretendemos durante a ?Atividade Programada? do Curso de Mestrado, realizar uma sondagem que nos permita previamente identificar os grupos que compõe e são representativos desta classe social PLANO PROVISÓRIO DA PESQUISA O Trabalho e o emprego informal - definição; - características, símbolos e valores; - crescimento e desenvolvimento; - relações e interações sociais; - implicações e vinculação com as esferas públicas; - evolução ou transformação FONTES Utilizaremos preliminarmente, para realização do trabalho, informações dos seguintes órgãos: INTERNET - pesquisa bibliográfica e estatísticas IBGE - Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: Anuários e relatórios. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Em que circunstâncias se caracteriza vínculo empregatício, quais as formas de se provar ou...

 Direito e contrato   |  Trabalhista   |  Monografia   |  24/07/2007   |  BR   |   .doc   |   35 páginas

A construção da oralidade no discurso literário: uma crônica de Fernando Sabino

 Psicologia e letras   |  Literatura   |  Dissertação   |  18/04/2009   |  BR   |   .doc   |   27 páginas

mais Pontuados contabilidade

Empresas de Serviços Contábeis: Estrutura e Funcionamento

 Administração e marketing   |  Contabilidade   |  Estudo   |  24/03/2011   |  BR   |   .doc   |   59 páginas