Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
medicina
Faculdade
PUCPR

Informações do trabalho

Data de Publicação
10/07/2007
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
54 diapositivo
Nível
Para todos
Consultado
4 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário

Histologia do sistema respiratório

  1. Sistemas respiratórios
  2. Vias respiratórias
  3. Cavidade nasal - vestíbulo nasal
  4. Traquéia
  5. Túnicas ou camadas da traquéia
  6. Mucosa
  7. Média
  8. Adventícia
  9. Brônquio intra - pulmonar
  10. Camadas ou túnicas
  11. Bronquíolos
  12. Bronquíolo propriamente dito
  13. Bronquíolo terminal
  14. Bronquíolo respiratório
  15. Seqüencia dos bronquíolos aos alvéolos
  16. Poros alveolares
  17. Seio de Lambert
  18. Sustentação das paredes interalveolares
  19. Pneumócitos I
  20. Pneumócitos II
  21. Camadas da membrana respiratória

Esse trabalho apresenta desenhos de anatomia detalhados sobre: TRAQUÉIA Tubo com parede espessa e aproximanadamente 12 cm de comprimento Apresenta de 16 a 20 anéis cartilaginosos – cartilagem hialina- em forma de U Os anéis conferem rigidez, a qual impede o colapso da traquéia Dispõe de fibras elásticas dispostas longitudinalmente que lhe permite ter elasticidade suficiente para distender-se e descer até as raízes do pulmão durante a inspiração MUCOSA Tecido epitelial de revestimento pseudoestratificado cilíndrico com células caliciformes e ciliado Tecido conjuntivo frouxo muito elástico- estende-se do epitélio de revestimento ao pericôndrio Córion com glândulas- tecido epitelial glandular exócrino acinoso- glândulas muco-serosas que ajudam na secreção das células do epitélio MÉDIA Tecido conjuntivo denso cartilaginoso do tipo hialino – cartilagem em U Condrócitos Condroblastos Pericôndrio – membrana conjuntiva fibrosa Músculo traqueal- músculo liso na parte posterior da traquéia ADVENTÍCIA Tecido conjuntivo frouxo rico em lipídeos Gruda o esôfago a traquéia e aos músculos circunjacentes BRÔNQUIO INTRA-PULMONAR É caracterizado pela presença de glândulas e cartilagem de apoio que é encontrada em muitos pequenos pedaços Entre a cartilagem e o epitélio há uma camada de músculo liso que envolve todo o brônquio A submucosa contém uma camada elástica BRONQUÍOLO Segmento terminal da parte condutora Ausência de glândulas e cartilagens Menor diâmetro Apresentam um maior quantidade de músculo liso - Músculo de Reisseissem Epitélio mais baixo- pseudoestratificado ciliado Luz irregular –tecido conjuntivo que levanta o epitélio

[...] TRAQUÉIA Tubo com parede espessa e aproximanadamente 12 cm de comprimento Apresenta de 16 a 20 anéis cartilaginosos cartilagem hialina- em forma de U Os anéis conferem rigidez, a qual impede o colapso da traquéia Dispõe de fibras elásticas dispostas longitudinalmente que lhe permite ter elasticidade suficiente para distender-se e descer até as raízes do pulmão durante a inspiração TÚNICAS OU CAMADAS DA TRAQUÉIA Túnica mucosa Túnica média Adventícia MUCOSA Tecido epitelial de revestimento pseudoestratificado cilíndrico com células caliciformes e ciliado Tecido conjuntivo frouxo muito elástico- estende-se do epitélio de revestimento ao pericôndrio Córion com glândulas- tecido epitelial glandular exócrino acinoso- glândulas muco-serosas que ajudam na secreção das células do epitélio O ligamento anular é tecido conjuntivo com fibras elásticas e colágeno longitudinal que unem os anéis cartilaginosos entre si e permite movimentos da traquéia durante a deglutição ou nos movimentos do pescoço A traquéia pode ossificar com a idade Na mucosa epitélio pseudoestratificado da traquéia Córion com glândulas na mucosa da traquéia Túnica Fibromusculocartilagínea Cartilagens + Ligamentos anular + Músculos traqueais = Formam o esqueleto da traquéia Presença de células caliciformes no epitélio de revestimento pseudoestratificado da mucosa traqueal O número de células caliciformes é variado e uma irritação química ou física fazem com que seu número aumente Irritação intensa prolongada do epitélio da traquéia, por metaplasia, é transformado em epitélio estratificado pavimentoso MÉDIA Tecido conjuntivo denso cartilaginoso do tipo hialino cartilagem em U Condrócitos Condroblastos Pericôndrio membrana conjuntiva fibrosa Músculo traqueal- músculo liso na parte posterior da traquéia Presença de músculo traqueal na parte posterior da traquéia ADVENTÍCIA Tecido conjuntivo frouxo rico em lipídeos Gruda o esôfago a traquéia e aos músculos circunjacentes BRÔNQUIO INTRA-PULMONAR É caracterizado pela presença de glândulas e cartilagem de apoio que é encontrada em muitos pequenos pedaços Entre a cartilagem e o epitélio há uma camada de músculo liso que envolve todo o brônquio A submucosa contém uma camada elástica CAMADAS OU TÚNICAS Mucosa Média MUCOSA Epitélio de revestimento pseudoestratificado MÉDIA Cartilagem hialina fragmentada Tecido muscular liso músuculo de Reisseissen Este tecido muscular contraído diminui a luz dos brônquios BRONQUÍOLO Segmento terminal da parte condutora Ausência de glândulas e cartilagens Menor diâmetro Apresentam um maior quantidade de músculo liso - Músculo de Reisseissem Epitélio mais baixo- pseudoestratificado ciliado Luz irregular –tecido conjuntivo que levanta o epitélio Bronquíolo Propriamente dito Bronquíolo Terminal Bronquíolo Respiratório BRONQUÍOLO PROPRIAMENTE DITO BRONQUÍOLO PROPRIAMENTE DITO Início do bronquíolo e fim do brônquio Epitélio mais baixo Luz irregular, devido ao tecido conjuntivo que levanto o epitélio Músculo de Reisseinssem BRONQUÍOLO TERMINAL BRONQUÍOLO TERMINAL Últimos bronquíolos que pertencem ao sistema condutor, ainda não contém alvéolos em suas paredes Luz menos irregular que o propriamente dito Épitélio mais baixo ainda BRONQUÍOLO RESPIRATÓRIO BRONQUÍOLO RESPIRATÓRIO Aparecem dilatações nas paredes, alvéolos, já aparece tecido respiratório Conduto com falhas, contínuo com a parede dos alvéolos Mucosa com epitélio ainda mais baixo SEQUÊNCIA DOS BRONQUÍOLOS AOS ALVÉOLOS Propriamente dito Terminal Respiratório Condutos alveolares Átrios Sacos alveolares Alvéolo Alveolar Blood Supply POROS ALVEOLARES Falhas em toda a extensão dos septos alveolares As falhas aparecem como pequenos orifícios ovais ou redondos SEIO DE LAMBERT Aberturas nas paredes dos bronquíolos conduzindo aos sacos alveolares que pertencem a mesma ou a uma unidade vizinha Estes canais fornecem uma via alternativa para a entrada ou a saída de ar na unidades terminais e provavelmente desempenham importante papel quando partes dos pulmões se tornam fibróticas SUSTENTAÇÃO DAS PAREDES INTERALVELARES Básica- esqueleto de fibras elásticas Íntima- delicadas fibrilas da variedade reticular ou colágena e por membranas basais As redes capilares que são os principais componentes das paredes interalveolares possuem pequena força tensora Células epiteliais que formam o alvéolo Células pavimentosas Células secretoras Células que estão contidas dentro da substância das paredes Fibroblastos Leucócitos Fagócitos alveolares Pneumócitos I São células epiteliais pavimentosas alveolares que formam uma membrana epitelial contínua Do tipo simples pavimentoso em sua maioria Pneumócitos II São células redondas, amplas, que se projetam da superfície do alvéolo para dentro da luz Células epiteliais Estão ligadas às células pavimentosas, pneumócito do tipo por complexos juncionais São células secretoras Structure of an Alveolus CAMADAS DA MEMBRANA RESPIRATÓRIA Camada de líquido contendo surfactante revestindo o alvéolo 2-Epitélio alveolar com células epiteliais finas 3-Membrana basal epitelial 4-Espaço intersticial fino entre o epitélio alveolar e uma membrana capilar 5-Membrana basal capilar que em muitos locais funde-se com a membrana basal do epitélio alveolar 6-Membrana endotelial capilar REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS HAM,Arthur.Histologia.6.ed.Guanabara Koogan Geométrico HISTOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO SISTEMA RESPIRATÓRIO Vias respiratórias: Altas = superior - extrapulmonares Baixas = inferior - intrapulmonares VIAS RESPIRATÓRIAS Vestíbulo nasal Coanas Nasofaringe Laringe Traquéia Brônquios Bronquíolos Alvéolos CAVIDADE NASAL- VESTÍBULO NASAL São marcados por um epitélio de revestimento estratificado pavimentoso queratinizado Contém pêlos,glândulas . [...]


[...] TRAQUÉIA Tubo com parede espessa e aproximanadamente 12 cm de comprimento Apresenta de 16 a 20 anéis cartilaginosos cartilagem hialina- em forma de U Os anéis conferem rigidez, a qual impede o colapso da traquéia Dispõe de fibras elásticas dispostas longitudinalmente que lhe permite ter elasticidade suficiente para distender-se e descer até as raízes do pulmão durante a inspiração TÚNICAS OU CAMADAS DA TRAQUÉIA Túnica mucosa Túnica média Adventícia MUCOSA Tecido epitelial de revestimento pseudoestratificado cilíndrico com células caliciformes e ciliado Tecido conjuntivo frouxo muito elástico- estende-se do epitélio de revestimento ao pericôndrio Córion com glândulas- tecido epitelial glandular exócrino acinoso- glândulas muco-serosas que ajudam na secreção das células do epitélio O ligamento anular é tecido conjuntivo com fibras elásticas e colágeno longitudinal que unem os anéis cartilaginosos entre si e permite movimentos da traquéia durante a deglutição ou nos movimentos do pescoço A traquéia pode ossificar com a idade Na mucosa epitélio pseudoestratificado da traquéia Córion com glândulas na mucosa da traquéia Túnica Fibromusculocartilagínea Cartilagens + Ligamentos anular + Músculos traqueais = Formam o esqueleto da traquéia Presença de células caliciformes no epitélio de revestimento pseudoestratificado da mucosa traqueal O número de células caliciformes é variado e uma irritação química ou física fazem com que seu número aumente Irritação intensa prolongada do epitélio da traquéia, por metaplasia, é transformado em epitélio estratificado pavimentoso MÉDIA Tecido conjuntivo denso cartilaginoso do tipo hialino cartilagem em U Condrócitos Condroblastos Pericôndrio membrana conjuntiva fibrosa Músculo traqueal- músculo liso na parte posterior da traquéia Presença de músculo traqueal na parte posterior da traquéia ADVENTÍCIA Tecido conjuntivo frouxo rico em lipídeos Gruda o esôfago a traquéia e aos músculos circunjacentes BRÔNQUIO INTRA-PULMONAR É caracterizado pela presença de glândulas e cartilagem de apoio que é encontrada em muitos pequenos pedaços Entre a cartilagem e o epitélio há uma camada de músculo liso que envolve todo o brônquio A submucosa contém uma camada elástica CAMADAS OU TÚNICAS Mucosa Média MUCOSA Epitélio de revestimento pseudoestratificado MÉDIA Cartilagem hialina fragmentada Tecido muscular liso músuculo de Reisseissen Este tecido muscular contraído diminui a luz dos brônquios BRONQUÍOLO Segmento terminal da parte condutora Ausência de glândulas e cartilagens Menor diâmetro Apresentam um maior quantidade de músculo liso - Músculo de Reisseissem Epitélio mais baixo- pseudoestratificado ciliado Luz irregular –tecido conjuntivo que levanta o epitélio Bronquíolo Propriamente dito Bronquíolo Terminal Bronquíolo Respiratório BRONQUÍOLO PROPRIAMENTE DITO BRONQUÍOLO PROPRIAMENTE DITO Início do bronquíolo e fim do brônquio Epitélio mais baixo Luz irregular, devido ao tecido conjuntivo que levanto o epitélio Músculo de Reisseinssem BRONQUÍOLO TERMINAL BRONQUÍOLO TERMINAL Últimos bronquíolos que pertencem ao sistema condutor, ainda não contém alvéolos em suas paredes Luz menos irregular que o propriamente dito Épitélio mais baixo ainda BRONQUÍOLO RESPIRATÓRIO BRONQUÍOLO RESPIRATÓRIO Aparecem dilatações nas paredes, alvéolos, já aparece tecido respiratório Conduto com falhas, contínuo com a parede dos alvéolos Mucosa com epitélio ainda mais baixo SEQUÊNCIA DOS BRONQUÍOLOS AOS ALVÉOLOS Propriamente dito Terminal Respiratório Condutos alveolares Átrios Sacos alveolares Alvéolo Alveolar Blood Supply POROS ALVEOLARES Falhas em toda a extensão dos septos alveolares As falhas aparecem como pequenos orifícios ovais ou redondos SEIO DE LAMBERT Aberturas nas paredes dos bronquíolos conduzindo aos sacos alveolares que pertencem a mesma ou a uma unidade vizinha Estes canais fornecem uma via alternativa para a entrada ou a saída de ar na unidades terminais e provavelmente desempenham importante papel quando partes dos pulmões se tornam fibróticas SUSTENTAÇÃO DAS PAREDES INTERALVELARES Básica- esqueleto de fibras elásticas Íntima- delicadas fibrilas da variedade reticular ou colágena e por membranas basais As redes capilares que são os principais componentes das paredes interalveolares possuem pequena força tensora Células epiteliais que formam o alvéolo Células pavimentosas Células secretoras Células que estão contidas dentro da substância das paredes Fibroblastos Leucócitos Fagócitos alveolares Pneumócitos I São células epiteliais pavimentosas alveolares que formam uma membrana epitelial contínua Do tipo simples pavimentoso em sua maioria Pneumócitos II São células redondas, amplas, que se projetam da superfície do alvéolo para dentro da luz Células epiteliais Estão ligadas às células pavimentosas, pneumócito do tipo por complexos juncionais São células secretoras Structure of an Alveolus CAMADAS DA MEMBRANA RESPIRATÓRIA [...]

...

Estes documentos podem interessar a você

Histologia animal

 Engenharia e tecnologias   |  Engenharia   |  Estudo   |  12/01/2007   |  BR   |   .doc   |   33 páginas

Glândula tireóide

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo dirigido   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   25 páginas

Últimos trabalhos biologia

Importância dos fungos

 Biologia e medicina   |  Biologia   |  Estudo   |  28/02/2010   |  BR   |   .doc   |   7 páginas

Sistema sensorial

 Biologia e medicina   |  Biologia   |  Estudo   |  02/01/2010   |  BR   |   .doc   |   6 páginas
Compra e venda de trabalhos acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.