Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Regulação da respiração

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
enfermagem
Faculdade
centro...

Informações do trabalho

Maurycio J.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo de caso
Número de páginas
12 páginas
Nível
avançado
Consultado
367 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Regulação da respiração

Embora a respiração possa ser controlada voluntariamente em alguma extensão, o sistema nervoso geralmente controla a respiração automaticamente para atender as necessidades do corpo sem nossa preocupação consciente. O tamanho do tórax altera-se pela ação dos músculos respiratórios. Estes músculos contraem-se e relaxam-se em respostas à impulsos nervosos transmitidos pelos centros no encéfalo. A área da qual os impulsos nervosos são enviados está localizada no tronco encefálico e é denominado centro respiratório. O centro respiratório é compostos de vários grupos de neurônios muito dispersos, que são funcionalmente divididos em três conjuntos
(1) grupo respiratório dorsal, localizado na região dorsal do bulbo, que causa principalmente a inspiração,
(2) o grupo respiratório ventral, localizado na região ventro-lateral do bulbo, que pode causar inspiração ou expiração, dependendo de quais neurônios do grupo são estimulados, e
(3) o centro pneumotáxico, localizado dorsalmente na região superior da ponte, e que ajuda a controlar a freqüência e o padrão da respiração.
Além dos mecanismos neurais que atuam totalmente no tronco cerebral, os sinais reflexos da periferia também ajudam a controlar a respiração. Localizados nas paredes dos brônquios e bronquíolos, em todo o pulmão, existem receptores de estiramento que transmitem sinais pelos nervos vagos (X) às áreas inspiratórias e apnêustica para causar a inibição da inspiração subseqüente. O resultado é a ocorrência da expiração. À medida que os pulmões se esvaziam, os receptores de distenção não são mais estimulados. Uma vez que as áreas inspiratórias e apnêustica não são mais inibidas, uma nova inspiração começa.
Certos estímulos químicos determinam a rapidez e a profundidade da respiração. O objetivo final do sistema respiratório é manter concentrações apropriadas de oxigênio, dióxido de carbono, e íons hidrogênio nos tecidos. Os excessos de dióxido de carbono ou íons hidrogênio estimulam principalmente o próprio centro respiratório, causando grande aumento dos sinais inspiratórios e expiratórios para os músculos respiratórios.
O oxigênio, por outro lado, não tem efeito direto significativo sobre o centro respiratório do encéfalo para controlar a respiração.

[...] No segundo 41 a 60 foi observado um aumento da amplitude e diminuição da freqüência, passado este período a situação foi se normalizando paulatinamente com um pequeno aumento na amplitude. Até os 40s é observado o controle. Com a injeção de 10mL na veia do animal, aumentou o trabalho respiratório as custas do aumento da freqüência e da amplitude. Nos primeiro 40s é observado o controle. Não houve praticamente nenhuma mudança no padrão respiratório, uma pequena diminuição da freqüência respiratória observada entre o segundo mas que lodo é sanada Com a injeção de bicarbonato de sódio a partir do segundo 40 houve uma diminuição da respiração considerável, aumento da freqüência respiratória e posteriormente uma lentificação do trabalho respiratório. [...]


[...] Existem duas importantes anormalidades pulmonares: redução da área total da superfície disponível da membrana respiratória e ausência de aeração de todo o sangue que flui pelo pulmão consolidado. Esses dois efeitos podem causar a hipóxia que é escassez de oxigênio no ar, pela redução da hemoglobina, ou pelo envenenamento das enzimas oxidativas só esta relacionada à disponibilidade de oxigênio pelos tecidos, e também a hipercapnia, que significa excesso de dióxido de carbono nos líquidos do corpo. 2-OBJETIVO Avaliar as influências do sistema nervoso e de substâncias químicas na respiração do cão MATERIAIS Estimulador tipo estudante Tricótomo Thiopental sódico 40mg/Kg Cânula traqueal Mangueira de 1,35m Material cirúrgico Saco plástico Cal sodada Ácido lático 10% Bicarbonato de sódio 10% Fosfato monobásico de sódio 10% CaHPO Cadela 13Kg Espirômetro Interface Computador METODOLOGIA Anestesiou-se a cadela com thiopental sódico e em seguida fez-se tricotomia das áreas em que posteriormente seriam feitas as incisões. [...]

Mais Vendidos enfermagem

Sistema cardiovascular

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  13/10/2006   |  BR   |   .ppt   |   56 páginas

Doenças microbianas do sistema cardiovascular e linfático

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  02/10/2006   |  BR   |   .ppt   |   72 páginas

Últimos trabalhos enfermagem

A Importância da Enfermagem na Saúde Coletiva

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Estudo   |  07/11/2012   |  BR   |   .doc   |   8 páginas

Estudo de Caso: Transtorno Afetivo Bipolar (TAB)

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Estudo   |  10/05/2012   |  BR   |   .doc   |   9 páginas