Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Medicação

Informações sobre o autor

Estagiando na Santa Casa Dona Carolina Malheiros
Nível
Especializado
Estudo seguido
Técnico de...

Informações do trabalho

Carlos César D.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
115 diapositivo
Nível
Especializado
Consultado
737 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Ação medicamentosa
  3. Vias de administração
  4. Administrando medicamentos por via oral
  5. Forma farmacêutica
  6. Procedimentos
    1. Via oral
    2. Via gástrica
  7. Administrando medicamentos por via tópica
  8. Procedimentos
    1. Via tópica
  9. Administrando medicamentos por via mucosa
    1. Via nasal
  10. Procedimentos
    1. Instilacões nasais
    2. Via auricular
    3. Instilações no ouvido
    4. Via ocular
    5. Instilações oftálmicas
    6. Via sublingual
  11. Administrando medicamentos por via parenteral
  12. Ângulo da agulha
  13. Tamanho da agulha
  14. Volume injetado
  15. Posicionamento do cliente
  16. Procedimentos
    1. Preparo de injeções IM, ID, SC, EV:

Existe um grande equívoco a respeito do significado das palavras remédio e medicamento. Embora o emprego da palavra seja compreensível no dia-a-dia, o significado não é igual. No senso comum, tudo é remédio, mas isso é um grande engano. Remédio é tudo que pode curar ou minimizar um mal do corpo ou da alma e medicamento é toda substância que, introduzida no organismo humano, desempenha uma função profilática, diagnóstica ou terapêutica. Ir ao cinema, namorar, fazer compras, conversar são exemplos de remédios, assim como um determinado medicamento também é remédio, mas o inverso não se aplica. Na prática de enfermagem nem tudo se resume às diferenças ou semelhanças entre remédio e medicamento. Indiscutivelmente, uma das maiores responsabilidades atribuídas à equipe de enfermagem está relacionada ao cálculo, ao preparo e a administração de medicamentos. Para executar a prescrição médica com segurança é necessário que a equipe domine o conhecimento dos princípios técnicos que envolvem aplicação de medicamentos, conhecimento da farmacologia de cada droga, dose, efeitos terapêuticos, efeitos adversos, contra-indicações, diluição, alterações medicamentosas e cálculo da dose. O cliente esta sob os cuidados da equipe multiprofissional na qual a enfermagem está inserida e a responsabilidade da administração de medicamentos deve ser compartilhada com as equipes médica e farmacêutica.

[...] Inserção periférica Os cateteres venosos periféricos são os mais utilizados, pois proporcionam conforto e segurança para cliente e profissional. A inserção periférica é indicada para administração de medicamentos, reposição hídrica e de eletrólitos, administração de produtos hemoterápicos e obtenção de amostras de sangue para análises laboratoriais. As complicações mais comuns decorrentes do uso de cateteres venosos periféricos são: hematoma; flebite; quebra do cateter; infiltração das drogas infundidas nos tecidos vizinhos; infecção (os cateteres periféricos apresentam risco menor e só causam febre se houver flebite com sinais externos de reações inflamatórias e dor que podem persistir por tempo prolongado). [...]


[...] Ângulo da agulha O ângulo de inserção da agulha deve ser sempre perpendicular à pele, num ângulo de independentemente da região, com agulha 13 x 4,5 e num ângulo de caso a agulha seja de tamanho 25 x 8. Tamanho da agulha O comprimento adequado é 13 x 4,5. Volume injetado O volume injetado por esta via compreende de 0,5 ml a 2,0 ml. Posicionamento do cliente O cliente deve ser posicionado em pé, sentado ou deitado. Locais de punção Os locais mais adequados para aplicação são aqueles afastados de articulações, nervos e grandes vasos sangüíneos, como: partes externas e superiores dos braços; laterais externas e frontais das coxas; região gástrica e abdome (hipocôndrio D e nádegas; região dorsal (logo acima da cintura). [...]


[...] As demais vias são utilizadas pela equipe médica para intervenções específicas. Administração por via intramuscular Consiste na introdução de um medicamento no tecido muscular, absorção do medicamento é rápida, porém mais lenta que por via endovenosa, sendo por isso largamente empregada. Às vantagens desta via são a facilidade de absorção medicamentosa e a possibilidade de administração pouco dolorosa. Formas farmacêuticas: soluções; suspensões. Locais de aplicação: Com relação à escolha dos locais de aplicação, é importante levar em consideração os seguintes pontos: distância em relação a vasos e nervos importantes; massa muscular adequada para absorver o medicamento; espessura do tecido adiposo; idade do cliente; compatibilidade da droga com o tecido muscular; atividade do cliente. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Fundamentos de terapêutica tópica em dermatologia

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo dirigido   |  10/08/2007   |  BR   |   .ppt   |   33 páginas

Medicação pré-anestésica (MPA)

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo dirigido   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

Mais Vendidos enfermagem

Sistema cardiovascular

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  13/10/2006   |  BR   |   .ppt   |   56 páginas

Doenças microbianas do sistema cardiovascular e linfático

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  02/10/2006   |  BR   |   .ppt   |   72 páginas