Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Doença de crohn

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
direito...
Faculdade
CESPA

Informações do trabalho

ESMERALDO M.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
15 páginas
Nível
Para todos
Consultado
2 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Incidência
  3. Etiologia
  4. Quadro clínico
  5. Diagnóstico e Prognóstico
  6. Conclusão
  7. Referências Bibliográficas

A Doença de Crohn (DC), também conhecida como Ileíte Crônica, Enterite Regional ou Colite Granulomatosa, foi descrita pela primeira vez em um trabalho publicado em 1932 (o nome do médico americano Burril B. Crohn constava como um dos três principais autores). Ela é uma doença inflamatória intestinal (DII) grave, crônica e de origem desconhecida, geralmente afetando o íleo, o cólon ou ambos - em alguns casos, todo o trato gastrointestinal (TGI) encontra-se comprometido. Os segmentos afetados podem estar separados por trechos normais, mas as camadas intestinais são afetadas como um todo (diferindo da Retocolite Ulcerativa, onde o acometimento restringe-se à mucosa).

O diagnóstico baseia-se em sinais clínicos, enemas opacos e endoscopia digestiva. A doença pode cursar com complicações como artrite, espondilite anquilosante, e nefro-, dermato-, oftalmo- e hepatopatias. Não raramente, é confundida com outra DII, a Retocolite Ulcerativa.

Neste artigo (Parte I) serão discutidos a incidência, a etiologia, o quadro clínico, a abordagem diagnóstica e noções de prognóstico para a doença.

[...] Os parentes de indivíduos com DC apresentam um risco 10 vezes maior para a doença em relação à população em geral. Se ambos pais possuem DC, espera-se que metade dos seus filhos desenvolvam a doença por volta dos 20 anos de idade. Cerca de 10 grupos avançados de pesquisa em todo o mundo procuram pelos genes que podem estar relacionados à susceptibilidade para DC - suspeita-se principalmente de alterações nos cromossomas 1P, 4Q e 12. Provavelmente a doença não é causada por apenas um gene, mas por uma combinação complexa de mutações. [...]


[...] As manifestações neurológicas podem ser as manifestações iniciais da DC, sendo que a Doença de Crohn deveria ser considerada no diagnóstico diferencial de eventos neurológicos inexplicados, particularmente em pacientes jovens e com sintomas gastrointestinais. Anemia: a incidência da anemia varia bastante (30-70% dos pacientes com DC) e seu surgimento gradual pode levar a falhas diagnósticas importantes. A deficiência na absorção de ferro é a etiologia mais comum da anemia associada à DC. Ainda assim, recomenda-se que os pacientes evitem medicamentos irritantes do trato gastrointestinal AAS e antiinflamatórios não-esteróides). [...]


[...] Recomenda-se dose única de 5 mg/kg para tratamento de casos moderados a grave de DC. Em pacientes com fístulas, a dose pode ser repetida 2 e 6 semanas após a primeira infusão. Esta droga tem mostrado excelente resposta na redução de sinais e sintomas da DC quando em associação ao metotrexate - uma única dose de infliximab parece produzir benefícios por 8-12 meses. Até o momento, foram observadas algumas reações de hipersensibilidade como urticária, dispnéia e hipotensão. Infecções sérias (incluindo sepse fatal) podem ocorrer em pacientes utilizando uma associação de Infliximab com imunossupressores. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Doença Inflamatória Intestinal

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  02/11/2006   |  BR   |   .ppt   |   28 páginas

Doenças inflamatórias intestinais associadas com a anemia

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo dirigido   |  29/08/2007   |  BR   |   .doc   |   17 páginas

Mais Vendidos enfermagem

Sistema cardiovascular

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  13/10/2006   |  BR   |   .ppt   |   56 páginas

Doenças microbianas do sistema cardiovascular e linfático

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  02/10/2006   |  BR   |   .ppt   |   72 páginas