Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Lúpus eritematoso sistêmico

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
medicina
Faculdade
UFMG

Informações do trabalho

Raphael C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo de caso
Número de páginas
58 diapositivo
Nível
avançado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Quadro clínico
  3. Exames subsidiários
    1. Provas inespecíficas
    2. Provas específicas de caráter imunológico
    3. Histopatologia
  4. Tratamento

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória sistêmica, considerada como o protótipo de uma doença auto-imune. A prevalência na população é estimada em um caso para 2.000 a 10.000 habitantes. Tem grande preferência para o sexo feminino, acometendo 11 mulheres para 1 homem, em nosso serviço. Em mulheres, incide, principalmente, entre 15 e 40 anos de idade, com média de idade de 30 anos, por ocasião do diagnóstico. Tem distribuição universal, entretanto, parece ser mais freqüente nas raças não caucasianas. Sua etiologia é multifatorial. Provavelmente a interação entre diferentes fatores como o genético, infeccioso, imunológico, hormonal e ambiental levam ao desencadeamento da doença.

[...] Anticorpo anti-PCNA, embora específico para LES, somente é positivo em dos casos.; reações falso-positivas para sífilis (VDRL) em 25% dos pacientes sendo freqüentemente, mas nem sempre, associados com a presença de anticoagulante lúpico; complemento sérico total (CH50) diminuido ou indetectável, com diminuição das frações C2, C3 e C4, especialmente quando a doença está em atividade; crioglobulinas em 11% dos pacientes, do tipo IgG-IgM, freqüentemente associadas a doença em atividade; fator reumatóide em 20% dos casos; presença de anticorpo anticardiolipina detectado pelo método da ELISA em cerca de 40% dos pacientes, principalmente em fase ativa da doença. [...]


[...] corpórea a intervalos mensais por 4 a 6 meses, bimestral por 4 meses e depois trimestrais por no mínimo 12 meses após a normalização do sedimento urinário. Quando houver perda da função renal, a dose de ciclofosfamida deve ser menor. Nos casos em que não houver boa resposta à esta terapêutica, temos como alternativas a associação de plasmaferese à ciclofosfamida ou o uso de g globulina endovenosa 400/kg/dia por 5 dias consecutivos. Estas alternativas terapêuticas ainda necessitam confirmação da eficácia em estudos controlados. [...]


[...] O comprometimento hematológico ocorre em mais de 50%. Manifesta-se por anemia, leucopenia, linfopenia e/ou plaquetopenia. Comprometimento vascular ocorre em 30 a 40% dos pacientes em fase ativa da doença, ao longo da evolução. Fenômeno de Raynaud ocorre em 18 a 40% e pode preceder outros comprometimentos. Úlceras de mucosa nasal e palato são descritas em mais de 30% e refletem comprometimento de pequenas artérias. Vasculites cutâneas que se manifestam como pequenas pápulas purpúricas e pequenas áreas de infartos, principalmente em polpas digitais ocorrem em cerca de 35% dos pacientes com doença ativa e são devidos ao comprometimento de artérias de pequeno calibre, capilares e arteríolas. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Lupus eritematoso sistêmico - palestra pós-graduação

 Biologia e medicina   |  Enfermagem   |  Palestra   |  22/06/2007   |  BR   |   .ppt   |   43 páginas

Síndrome do anticorpo antifosfolípide

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo dirigido   |  08/08/2007   |  BR   |   .ppt   |   29 páginas

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas