Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Choque cardiogênico

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
medicina
Faculdade
UFMG

Informações do trabalho

Raphael C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
27 diapositivo
Nível
avançado
Consultado
237 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Manifestações
  3. Correção das Alterações Hemodinâmicas
  4. Reperfusão Coronária: O restabelecimento de permeabilidade coronária pode ser feita
  5. Conclusões
  6. Bibliografia

Introdução O choque cardiogênico é a síndrome da insuficiência circulatória aguda caracterizada por: 1 - Hipotensão arterial: pressão arterial sistólica abaixo de 80 mmHg em indivíduos não hipertensos. 2 - Queda rápida e acentuada do índice cardíaco (habitualmente menor do que 2,2 l/min/m2. 3 - Oligúria: diurese menor do que 25 ml/hora, traduzindo fluxo sangüíneo inadequado aos rins. 4 - Sinais de estimulação simpaticomimética: taquicardia, vasoconstrição periférica com palidez, sudorese, extremidades frias. O tratamento do choque cardiogênico bem como seu prognóstico depende do agente etiológico presente. Assim o choque cardiogênico pode ser: I - Por deficiência aguda do enchimento cardíaco. A - por obstáculo mecânico             1 - hemopericárdio agudo             2 - derrame pericárdico agudo             3 - pneumotórax hipertensivo OBS: Nestas eventualidades o tratamento é cirúrgico. B-Taquicardias graves com diástole abreviada. O prognóstico é relativamente bom e com a reversão da arritmia obtemos o desaparecimento do choque. II - Choque cardiogênico por deficiência aguda do esvaziamento cardíaco. A - por obstáculo mecânico:             1 - embolia pulmonar.       2 - trombo oclusivo e tumor do átrio esquerdo.             3 - estenose mitral severa. OBS: O tratamento sempre que possível deve ser cirúrgico, removendo o agente etiológico. O choque cardiogênico é a manifestação mais grave de falência do ventrículo esquerdo. A maioria dos pacientes em choque cardiogênico por infarto agudo do miocárdio apresenta lesões de 3 vasos, estando a artéria descendente anterior freqüentemente envolvida, havendo comprometimento acentuado da massa muscular do ventrículo esquerdo (acima de 40%).

[...] Comercialmente temos o Revivan - ampolas de 10 ml com 50 mg de dopamina. - Dose de dopamina, inferior a 2,1 µg/kg/min - a droga dilata vasos renais e mesentéricas, atuando possivelmente em receptores dopaminérgicos específicos. - Na dose de 2 a 6 µg/kg/min tem ação ß central aumentando o inotropismo e ß periférico determinando vasodilatação e diminuição da resistência periférica. Na dose acima de 6 µg/kg/min, tem ação ß central aumentando o inotropismo e a resistência periférica, determinando vasoconstrição e aumento da resistência periférica. [...]


[...] Esses métodos que visam preservar o músculo cardíaco, têm contribuído em muito para diminuir a mortalidade na fase aguda do infarto do miocárdio, reduzindo a incidência de complicações graves como: comunicações interventricular, insuficiência mitral e choque cardiogênico. Quando o choque cardiogênico ocorre no infarto agudo do miocárdio complicado com: comunicação interventricular ou insuficiência mitral por ruptura da cordoalha, indicamos estudos hemodinâmicos e posterior cirurgia. Correção da acidose metabólica com bicarbonato de Na. Heparina: para prevenção da coagulação intravascular disseminada e de fenômenos tromboembólicos. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Tratamento de choque

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  16/05/2007   |  BR   |   .ppt   |   29 páginas

Tratamento de estado de choque

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo dirigido   |  17/08/2007   |  BR   |   .ppt   |   45 páginas

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas