Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Placenta prévia e deslocamento prematuro da placenta

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
enfermagem
Faculdade
Universidad...

Informações do trabalho

Cláudia E.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
14 páginas
Nível
avançado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Placenta prévia
    1. Sintomas
    2. Diagnostico
    3. Tratamento
    4. Intervenções de enfermagem em placenta prévia
    5. Educação da paciente e manutenção da saúde
    6. Avaliação dos resultados
  2. Descolamento prematuro da placenta (DPP)
    1. Sinonímia
    2. Incidência
    3. Sintomas
    4. Diagnóstico
    5. Tratamento
    6. Intervenções de enfermagem em descolamento prematuro da placenta
    7. Educação da paciente e manutenção da saúde
    8. Avaliação dos resultados

De acordo com Cranley e Ziegel (1985), a placenta prévia é uma condição obstétrica caracterizada pelo desenvolvimento total ou parcial da placenta no segmento uterino inferior.
A placenta prévia ocorre quando a placenta estiver implantada nas proximidades ou sobre o orifício cervical, em vez de estar numa posição mais alta dentro da cavidade uterina (BRANDEN, 2000). Essa condição, que ocorre em menos de 1% de todas as gestações, aproximadamente, é subdividida de acordo com o grau de oclusão do orifício cervical interno pela placenta.
? Placenta prévia completa, na qual a placenta cobre totalmente o orifício interno da cérvice.
? Placenta prévia parcial, na qual a placenta cobre apenas uma parte do orifício interno.
? Placenta prévia marginal, na qual uma das bordas da placenta encontra com a margem do orifício cervical, mas não o obstrui.
? Placenta de implantação baixa, na qual ela está localizada nas proximidades do orifício cervical.
Não se sabe por que a placenta se localiza no segmento uterino inferior e não no local habitual, a porção superior do útero. Admite-se que as alterações endometriais associadas a fatores tais como inflamação, idade ou gestações muito seguidas podem diminuir a vascularização levando à insuficiência nutricional. Por essa razão, a placenta cresce sobre uma área maior, numa tentativa de proporcionar uma superfície adequada de trocas para nutrir o feto. À medida que se estende sobre a superfície endometrial, atinge também o orifício cervical. Essa teoria é sustentada até certo ponto pela íntima correlação da placenta prévia com a multiparidade, e com a idade materna, sem relação com a paridade. A placenta prévia ocorre também mais frequentemente em condições associadas a placentas grandes, como na gestação múltipla e na doença isoimune da gravidez.

[...] O tratamento subseqüente depende da extensão da placenta prévia, da condição materna e fetal, da idade gestacional e da paridade. Se o feto é imaturo, o trabalho de parto não começou e o sangramento não é excessivo, mantém-se apenas a vigilância. A mulher permanece hospitalizada ou em local próximo, geralmente em repouso no leito. Seu hematócrito é controlado para prevenir o aparecimento de anemia. A cada novo sangramento é necessária nova avaliação do estado materno e fetal, e uma modificação adequada do esquema de assistência. [...]


[...] A monitoração fetal demonstra sinais de sofrimento, e o exame ultra-sonografia não demonstre sangramento, deve-se estabelecer o diagnóstico provisório de descolamento prematuro da placenta, caso a paciente não tenha placenta prévia; nesses casos, devem ser realizados os preparativos para um parto imediato. Tratamento Assim que o diagnóstico é estabelecido, a mulher é hospitalizada. O tratamento usual é repouso ao leito, exceto quando o sangramento é potencialmente letal, quando o feto apresenta sofrimento ou quando a gestação está próxima do termo. [...]


[...] Proporcionar informação à mulher e família em relação à etiologia e tratamento do deslocamento prematuro de placenta Estimular o envolvimento de equipe neonatal em relação à educação relacionada com a evolução fetal/neonatal Ensinar as mulheres de alto risco sinais e sintomas de deslocamento prematuro de placenta e aumento da atividade uterina Instruir a paciente a notificar o setor de trabalho de parto e parto imediatamente, se ocorrer sangramento excessivo ou dor em casa Instruir a paciente a ter um plano de emergência para transportá-la á instituição médica rapidamente. [...]

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas

Últimos trabalhos medicina

Fisiologia e Anatomia em Otorrinolaringologia

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  25/09/2012   |  BR   |   .ppt   |   13 páginas

Diagnóstico e tratamento das Otites

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  25/09/2012   |  BR   |   .ppt   |   27 páginas