Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Trauma na gestação

Informações sobre o autor

 
Nível
Especializado
Estudo seguido
medicina
Faculdade
Universidad...

Informações do trabalho

Samuel G.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
54 diapositivo
Nível
Especializado
Consultado
150 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. EPIDEMIOLOGIA
  2. ALTERAÇÕES ANATÔMICAS
  3. ALTERAÇÕES HEMATOLÓGICAS
  4. ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES
  5. ALTERAÇÕES PULMONARES
  6. ALTERAÇÕES GASTROINTESTINAIS
  7. ALTERAÇÕES URINÁRIAS

Os traumas em gestantes representam um desafio, sobretudo nos atendimentos de emergência. As alterações anatomofisiológicas das gestantes tem implicações específicas. O feto pode estar correndo riscos mesmo quando o traumatismo materno é leve. A mortalidade fetal é maior que a materna. Os índices de trauma não tem valor prognóstico em relação a mortalidade fetal. A violência doméstica é causa grave de trauma maternofetal. Trauma na gestação é a maior causa de morte não obstétrica e vem crescendo nos últimos anos. Incidência de trauma durante a gestação é de 6 - 7%. Trauma significativo : 1 / 12 gestações Índice de óbito materno : 1,9 / 100.000 nascidos vivos Mortalidade fetal : 70% Período crítico : 3º trimestre gestacional Considerar gravidez : 10 a 50 anos Binômio materno-fetal : Alterações anatomofisiológicas alteram o padrão de resposta ao trauma. Prioridades iguais no atendimento. O feto é totalmente dependente da integridade anatomofisiológica materna. ALTERAÇÕES ANATOMOFISIOLÓGICAS Anatômicas Cardiovasculares Hematológicas Respiratórias Gastrointestinais Urinárias Musculoesqueléticas Neurológicas Endócrinas 1º Trimestre: intrapélvico, Útero espesso, Feto pequeno e protegido pelos ossos da pelve 2º Trimestre: abdominal (cicatriz umbilical), Proteção pelo líquido amniótico 3º Trimestre: rebordo costal, Período crítico : maior vulnerabilidade fetal, Intestino progressivamente deslocado para a parte alta do abdome e líquido amniótico escasso. Cabeça do feto : intrapélvico Restante do corpo fetal : exposição abdominal Baixa elasticidade da placenta : fácil deslocamento Sensibilidade aumentada dos vasos placentários à estimulação das catecolaminas

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas

Últimos trabalhos medicina

Fisiologia e Anatomia em Otorrinolaringologia

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  25/09/2012   |  BR   |   .ppt   |   13 páginas

Diagnóstico e tratamento das Otites

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  25/09/2012   |  BR   |   .ppt   |   27 páginas