Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Febre reumática

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
medicina
Faculdade
UFMG

Informações do trabalho

Raphael C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo
Número de páginas
43 diapositivo
Nível
avançado
Consultado
180 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Epidemiologia
  3. Etiologia
  4. Mecanismos responsáveis
  5. Manifestações clínicas
    1. Infecção estreptocócica antecedente
    2. Poliartrite
    3. Cardite
    4. Coréia
    5. Nódulos Subcutâneos
    6. Eritema Marginado
    7. Sinais de Inflamação
  6. Diagnóstico
    1. Exames Laboratoriais
    2. Provas de inflamação aguda
    3. Indicativos de infecção estreptocócica
  7. Tratamento
    1. Profilaxia primária
    2. Artrite
    3. Cardite
    4. Coréia

A febre reumática é uma complicação tardia, não supurativa, de uma infecção do trato respiratório superior pelo estreptococo B-hemolítico do grupo A de Lancefield, em indivíduos sensíveis. É uma doença inflamatória difusa do tecido conjuntivo que envolve principalmente o coração, vasos sanguíneos, articulações, sistema nervoso central e tecido subcutâneo.

[...] Um sopro sistólico sem as características descritas acima provavelmente é causado por febre e não por vasculite mitral. Manifestações Clínicas Cardite: O surgimento de um sopro meso-sistólico é um sinal clássico de vasculite mitral. Um sopro diastólico pode surgir como conseqüência de estreitamento do orifício mitral devido a edema valvar. O sopro pode persistir evidenciando dano permanente mas com freqüência desaparece por um período variável seguido por surgimento de um sopro diastólico resultante da estenose causada pelo processo de reparação que cursa com calcificações ou aderências das valvas da válvula mitral. [...]


[...] Tratamento A terapêutica da febre reumática tem como objetivos eliminar o Streptococcus ß hemolítico da orofaringe, prevenir re-infecções e abolir o processo inflamatório tecidual. São muitas as dificuldades em relação a terapêutica para febre reumática, e entre elas estão a utilização de antibióticos por longos períodos, neste caso indicada-se a penicilina benzatina semanalmente até 18 anos de idade ou mesmo durante a vida inteira. Tratamento Profilaxia primária: Tem como objetivo eliminar o foco infeccioso. Usa-se as seguintes drogas: Opção: Penicilina benzatina - em dose única IM: crinaças até kg - 600.000 U Criança acima de 25 kg - U. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Manejo da endocardite bacteriana

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Fichamento   |  25/03/2007   |  BR   |   .ppt   |   18 páginas

Caso clínico - febre reumática

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo de caso   |  20/05/2007   |  BR   |   .ppt   |   35 páginas

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas