Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Micoses superficiais

Informações sobre o autor

 
Nível
Especializado
Estudo seguido
medicina
Faculdade
ITPAC

Informações do trabalho

Frederico L.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
13 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Micoses superficiais
    1. Fungos, micologia , micoses , e outros termos
  2. Micoses superficiais da pele e das mucosas
  3. Dermatófitos e dermafitoses
  4. Microsporuns
  5. Trichophyton sp
  6. Epidermophyton sp
  7. Tíneas causadas por dermatófitos
  8. Tíneas causadas por fungos não-dermatófitos
  9. O tratamento e a prevenção

Micologia clínica é o ramo da microbiologia médica que estuda os fungos causadores de infecções nos seres humanos. Micose é um processo infeccioso provocado por microfungos parasitos. A denominação foi proposta em 1856 pelo patologista alemão Rudolf Virchow. No Brasil, como em geral nos países tropicais, as micoses são muito freqüentes. O termo micose também é sinônimo de doença fúngica.

Podem ser divididas em micoses superficiais ou profundas. As superficiais como o próprio nome indica são processos micóticos superficiais, comprometendo exclusivamente a camada epidérmia as mucosas, as zonas cutâneo-mucosas, os pêlos (principalmente do couro cabeludo), as unhas e as dobras periungueais (que cercam as unhas). Provocam o aparecimento de lesões benignas, sem repercussão geral. A anatomia patológica revela somente processo inflamatório superficial, sem reação do tipo granulomatoso. Tais micoses não estimulam o indivíduo a produzir anticorpos humorais, isto é, o organismo não participa do quadro da infecção, elaborando aglutininas, precipitinas ou anticorpos fixadores do complemento. Pode-se demonstrar, todavia estado de hipersensibilidade cutânea mais ou menos pronunciado conforme a extensão do processo, o tempo de evolução e o agente das lesões.

Clinicamente esta divisão é de grande interesse. Com efeito, diante de um caso suspeito de micose, devemos verificar se a lesão é superficial ou profunda, o que é de grande importância para a terapêutica e o prognóstico. Facilmente a custa de exame demartológico acurado, consegue o médico estabelecer o diagnóstico do processo. Está claro que as lesões superficiais são mais benignas que as profundas, as quais necessitam de tratamento específico mais enérgico e melhor conduzido. Dados de ordem clínica e imunológica conduzem-nos, pois, a adotar e a defender este critério de classificação. Uma vez identificado o processo micótico resta no caso das micoses superficiais, classifica-lo conforme a localização das lesões.

[...] A diferenciação do gênero se faz com a observação de grandes macroconídeas em forma de clava, com paredes lisas e que se dividem em 2 a 5 células por septos transversais encontradas sobre um ou dois conidióforos curtos. Acomete pele e unha, sendo a espécie mais importante e de interesse médico. O Epidermophyton floccosum o qual acomete a queratina sem lesar o cabelo Tíneas causadas por dermatófitos 7.a - Tinea capitis ou Tínea do couro cabeludo É causada por diversos dermatófitos: Ttrichophyton tonsurans Microsporum canis Trichophyton rubrum Comum em criança, rara no adulto. [...]


[...] Apresenta clamidósporos terminais ou candelabros fávicos. Suas colônias crescem em média de 7 a 14 dias. Com micélio aéreos e aveludados e cor bronze claro; no verso apresentam-se de cor rosa salmão. Não cresce em grão de arroz .É transmissível e os pêlos acometidos tem fluorescência em lâmpada de Wood. Microsporum gypseum - Macronídeas septadas (de 4 a 6 septos) com paredes grossas, de formato mais alongado e menos fusiforme do que aquelas do M. canis, com as extremidades arredondadas. [...]


[...] mentagrophytes e E. floccosum .Quando vesículas se rompem , expele líquido claro e pegajoso , que é a forma desidrosiforme e vesiculose . Tínea manuum São raras e decorrentes da hipersensibilidade a focos situados em outro local . Ambas as formas possuem 3 formas de manifestação : Forma intertriginosa apresenta descamação e maceração da pele dos espaços interdigitais , podendo ocorrer fissurações e prurido Vesícuo bolhosa ocorre em associação com a intertriginosa . Escamosa apresenta lesões escamosas , geralmente pruriginosas . [...]

Estes documentos podem interessar a você

Erisipela

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  23/02/2007   |  BR   |   .ppt   |   29 páginas

Micologia médica

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  05/04/2007   |  BR   |   .ppt   |   57 páginas

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas