Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Periodontite associada a partos prematuros e nascimento de bebês com baixo peso

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
administração
Faculdade
Faculdade...

Informações do trabalho

Vanessa C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
15 páginas
Nível
avançado
Consultado
114 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. A linguagem dos rap's

No ano de 2000, foi lançado um novo conceito sobre periodontia que rompeu paradigmas, sugerindo que doenças periodontais podem ter influência sobre a saúde geral do indivíduo. A Periodontia Médica foi definida como uma ampla definição para um ramo emergente da periodontia que enfoca a grande quantidade de dados científicos que apontam para uma forte associação entre saúde periodontal e saúde sistêmica, implicando num relacionamento bidirecional no qual a doença periodontal pode influenciar negativamente a saúde geral do indivíduo, assim como diversas patologias gerais podem afetar o início e progressão das doenças periodontais.
Dentre as diferentes doenças sistêmicas associadas às periodontites, as doenças cardiovasculares (aterosclerose, acidentes vasculares cerebrais e infarto agudo do miocárdio) são aquelas mais estudadas e que demonstram a mais forte associação. Além delas, as doenças respiratórias (pneumonias, bronquite e enfisema), os partos prematuros de bebês de baixo peso e a diabetes também demonstram associação com as periodontites. A plausibilidade biológica para estas associações pode ser explicada de diferentes maneiras, mas basicamente existem três linhas: bactérias periodontopatógenas podem também estar associadas à causa destas alterações sistêmicas; as alterações imuno-inflamatórias que ocorrem nas periodontites podem alterar outros órgãos do indivíduo; e o componente comportamental comum existente entre periodontites e as demais doenças sistêmicas.
Apesar de existirem inúmeras pesquisas sobre essas associações, evidências científicas ainda precisam ser geradas para um melhor entendimento do efeito causal das periodontites sobre essas alterações. Mesmo assim, o cirurgião-dentista deve estar ciente dessas considerações, a fim de tomar uma conduta integral do seu paciente, uma vez que a conexão entre a boca e o restante do corpo está cada vez mais presente na sua prática diária.
A doença Periodontal foi identificada em todas as civilizações, tendo sido encontrada no homem pré-histórico através de estudos paleontológicos. Atualmente, constitui um dos principais problemas de saúde bucal, devido não apenas a sua alto-prevalência, mas, sobretudo, pelo dano causado nas populações.
A doença periodontal e a cárie dental constituem os dois principais problemas de saúde bucal. Seguidos pelas deformidades dentofaciais (más-oclusões), câncer oral e as malformações congênitas.
A caracterização de um problema de saúde pública está vinculada a uma hierarquia que é medida pela magnitude do problema. Tal seletividade baseia-se em: a) informações epidemiológicas: número de pessoas atingidas pela doença, danos provocados e sua repercussão na população; b) Condições dos subsistemas de prestação de serviços; c) Condições econômicas do metassistema: viabilidade de aplicação dos métodos, custo do programa, ou seja, a análise dos insumos e das restrições; d) Condições culturais: o padrão cultural, o valor da saúde pra a sociedade, a motivação coletiva.
Em resumo, a seleção dos problemas se faz em função da sua natureza comum e dano causado, da eficácia dos métodos (objetivo planejado e objetivo alcançado) e da eficiência do programa.
A doença periodontal acha-se entre as afecções mais comuns no homem e é altamente prevalente em várias partes do mundo, atingindo praticamente metade da população infantil e a maioria da população adulta. Sua ação lenta e crônica, mas altamente destrutiva nos adultos, provoca perdas extensas e cumulativas, o que conduz à mortalidade dental antes de o indivíduo atingir a velhice.
Por isso mesmo, pela sua extensão em superfície e profundidade, a doença periodontal é considerada um flagelo para a humanidade, em termos de saúde bucal.
Está bem definido que a gravidez causa uma modificação na resposta do hospedeiro à placa bacteriana. Porém isso só ocorre nos tecidos moles e manifesta-se como um aumento da gengivite crônica já existente.
Durante a gravidez há um desequilíbrio hormonal, que afeta muitos órgãos, inclusive o tecido gengival. Há também uma maior permeabilidade capilar gengival e consequentemente um maior fluxo de fluído gengival. Além disso, a composição bacteriana está modificada pelos níveis maiores de progesterona, favorecendo o aumento da Prevotella Intermedia. Diversos estudos têm mostrado que a incidência e a severidade da vermelhidão, do edema, do sangramento e da exudação gengival aumentam do segundo ao oitavo mês de gestação, decrescendo em seguida.
Durante a gravidez também pode-se observar o aparecimento de tumefação interdental característica ou até mesmo epúlides, os chamados tumores de gravidez. Esses tumores só precisam ser removidos quando incomodam ou sangram. Em um certo número de casos eles regridem expontaneamente a partir do nono mês ou após o parto.
Para controlar a gengivite na gestante é importante explicar a natureza desta condição e o cuidado especial que ela requer.
Instruções de controle diário da placa bacteriana e raspagens regulares, além da remoção de fatores de retenção de placa, são essenciais nesse período.
O sangramento gengival nunca deve ser considerado normal. As alterações hormonais deixam as grávidas mais susceptíveis às doenças da gengiva, por isso durante a gestação é muito importante que a mulher procure o dentista para realização de limpeza profissional. Há estudos que mostram que a gengivite ou periodontite podem provocar contração uterina e dilatação prematura do colo uterino, apressando o parto. Há estudos que mostram que a gengivite ou periodontite podem provocar contração uterina e dilatação prematura do colo uterino, apressando o parto. Há estudos que mostram que a gengivite ou periodontite podem provocar contração uterina e dilatação prematura do colo uterino, apressando o parto. Há estudos que mostram que a gengivite ou periodontite podem provocar contração uterina e dilatação prematura do colo uterino, apressando o parto.

[...] J. The subgingival microbial flora during pregnancy. J. Periodontal Res., v p.111-22, Jul LIVINGSTON, H. M., DELLINGER, T. M., HOLDER, R. Considerations in the management of the pregnant patient. Spec. Care Dentist., v.18, n p. 183- Sep-Oct MACHUCA, G. et al. The influence of general health and socio-cultural variables on periodontal condition of pregnant women. J. Periodontol. V.70, n.7, p.779-85, Jul MEALEY, B.L. Influence of periodontal infections on systemic health. Periodontol 2000, v p. 197- MIYAZAKI, H. et al. Periodontal condition of pregnant women assessed by CPITN. [...]


[...] Acumularam-se evidências de que periodontopatias severas estejam associadas a complicações sistêmicas como DCV, bebês prematuros com baixo peso, abscessos metastáticos, pneumonias bacterianas e prejuízo no controle do diabetes mellitus. Na maioria dos casos, são estudos epidemiológicos que, como tais, identificam relações, mas não as causas das doenças. SLOTS20 (1998) cita, como exemplo, que alguns Herpesviridae (citomegalovírus e Epstein-Barr) foram recentemente isolados de periodontites severas e de GUNA, admitindo-se que podem causar diminuição das defesas locais favorecendo, assim, o desenvolvimento das bactérias patogênicas. [...]


[...] Bebês prematuros com baixo peso ao nascimento (PBPN) geralmente é conseqüência direta do trabalho de parto prematuro ou ruptura prematura das membranas e responde por mais de 60% da mortalidade entre bebês sem anormalidades anatômicas ou cromossômicas congênitas. OFFENBACHER16 et al (1998) detectaram que três patógenos estavam associados a periodontite de mulheres grávidas, sendo eles: Porphiromonas gengivalis, Actinobacillus Actinomycitimmitams e o Treponema denticola. Esses microorganismos foram encontrados em níveis elevados durante a gravidez, quando comparados aos controles feitos em mulheres após o nascimento dos bebês. [...]

Mais Vendidos medicina

Trabalho sobre educação física e a importância do esporte no ensino

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  15/05/2007   |  BR   |   .doc   |   16 páginas

Gestação múltipla

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Dissertação   |  21/11/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas

Últimos trabalhos medicina

Fisiologia e Anatomia em Otorrinolaringologia

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  25/09/2012   |  BR   |   .ppt   |   13 páginas

Diagnóstico e tratamento das Otites

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  25/09/2012   |  BR   |   .ppt   |   27 páginas