Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Clínica de pequenos animais

Informações sobre o autor

Professora de Genética - Professora de Melhoramento...
Nível
Especializado
Estudo seguido
Médica...

Informações do trabalho

Giselle K.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
dissertação
Número de páginas
113 páginas
Nível
Especializado
Consultado
3 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
1 Avaliaçao cliente
5
escrever um comentário
  1. Manejo do paciente
  2. Clínica e terapêutica pré e pós-natal
  3. Clínica médica do neonato
  4. Conduta pós-parto
  5. Imunização
  6. Afecções do aparelho auditivo
  7. Aspectos clínicos e terapêuticos das principais afecções do aparelho auditivo dos animais de companhia
  8. Doenças tegumentares
  9. Sistema cardiovascular
  10. Sistema respiratório
  11. Síndrome da imunodeficiência adquirida felina (FIV)
  12. Leucemia felina (FeLV)
  13. Clínica e terapêutica das enfermidades do sistema digestivo
  14. Distúrbios gastrintestinais
  15. Afecções do intestino grosso

A ferramenta mais importante do médico veterinário é sua capacidade em obter uma anamnese e um exame físico completos. Essas informações, quando bem interpretadas, estabelecem as bases para um diagnóstico e um plano terapêutico corretos.
Uma anamnese e um exame físico detalhados e completos evitam testes diagnósticos desnecessários e gastos inúteis para o proprietário.
Na anamnese devem-se obter informações objetivas e subjetivas. Os dados objetivos consistem em verificar sinais predisponentes (idade, espécie, raça e sexo do paciente, se é inteiro ou castrado), informações sobre o ambiente em que o animal vive (se a casa tem quintal, se anda na rua, se mora em apartamento, se convive com outros animais, se viaja para outras regiões ? pode ter sido exposto à doenças endêmicas destas regiões), sobre sua dieta (que tipo e que quantidade de alimentação o animal ingere, qualidade e quantidade de água disponível, petiscos, apetite), verificar seu histórico médico (enfermidades que já apresentou e cirurgias que já sofreu).
Os dados subjetivos se referem a queixa principal (o motivo de o animal ter sido encaminhado ao médico veterinário) e uma revisão anamnética da saúde geral do paciente (perguntar sobre a regularidade de sua defecação e micção, coloração e consistência das mesmas, se há presença de parasitos, sobre freqüência na ingestão de água e alimentos, bem como a quantidade em cada vez, se apresenta alteração comportamental, se apresenta intolerância a exercícios, em seguida orientar perguntas sobre cada um dos sistemas corporais), pois muitas vezes uma observação considerada irrelevante para o proprietário pode estar profundamente relacionada com o problema primário.
No exame físico, deve-se proceder uma observação geral do paciente. O exame físico se inicia observando o paciente entrando na sala, antes mesmo de colocá-lo sobre a mesa. Verifica-se sua condição corporal geral, anormalidades de comportamento, atitude, postura, ambulação e padrão respiratório. Em seguida faz-se o registro dos sinais vitais (temperatura, pulso, freqüência cardíaca, perfusão capilar, freqüência respiratória e hidratação) e peso corporal do paciente. Feito isso, procede-se a abordagem dos sistemas corporais, examinando todo o animal: cabeça, olhos, cavidade oral, nariz, orelhas, pescoço, linfonodos, massas subcutâneas, pele, tórax, abdome (aparência externa e palpação das vísceras), genitais externos, exame retal, sistema musculoesquelético e sistema nervoso.
Após um completo exame do animal, se achar necessário, solicita-se exames complementares para confirmação do diagnóstico. Entre eles: hemograma, raios-X, ultrassonografia, ecocardiograma, eletrocardiograma, exames parasitológicos, entre outros.

[...] Inibidores da bomba de prótons Omeprazol (petprazol) Apresentação: cápsulas de e 20mg Dosagem: 0,75-1mg/Kg VO a cada 24 horas ou 20mg/dia para animais maiores de 20 Kg, ou 10mg/dia para animais entre 5 a 20Kg, ou 5mg/dia para animais menores que 5Kg. Utilizado na ulceração gastrintestinal severa, não responsiva aos bloqueadores de H2. Gastrinoma (síndrome de Zollinger Ellison). Inibe um subgrupo das enzimas metabolizadoras de drogas p450 hepáticas. Reduza a dosagem de diazepam e fenitoína. 2-7 vezes mais potente que a cimetidina. [...]


[...] Animais de raças originárias de climas frios (Husk siberiano, Malamute do Alasca, etc.) possuem gestações mais longas. Fêmeas de raças maiores costumam ter ninhadas maiores do que fêmeas de raças menores. Ocorre queda de temperatura transitória dentro de 24h após o início do parto. Pode-se dividir o parto em três estágios: Estágio I é o estágio da dilatação cervical um ligeiro edema de vulva). Caracteriza-se por alterações comportamentais, como inquietação, ansiedade, ofego, anorexia, calafrios e as vezes vômito. É o estágio de nidificação, em que a fêmea procura formar um ninho (cavando, juntando panos). [...]


[...] Animais com paralisia laringeana ficam incapazes de abduzir as cartilagens aritenóides e as cordas vocais durante a inspiração. As cartilagens não abrem e a estrutura vibra, originando um ronco. Etiologia pode ser congênita ou adquirida. Congênita Husky Bullterrier Bouvier Beagle Adquirida Trauma Neoplasia Hipotiroidismo Neurológica Idiopática (cães idosos de grande porte, mas pode ocorrer no Beagle) Obs: Como terapêutica, indica-se a cirurgia, para a retirada das cartilagens. Colapso de Laringe Etiologia: Extensão da SCB (síndrome do cão braquicefálico), laringite proliferativa crônica (processo inflamatório crônico) e neoplasias. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Dermatoses endócrinas nos cães

 Direito e contrato   |  Outro   |  Estudo   |  13/12/2006   |  BR   |   .doc   |   13 páginas

Relatório do estágio curricular na clínica CPNA

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo   |  14/02/2007   |  BR   |   .doc   |   23 páginas

Mais Vendidos veterinária

Herpesviridae

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Artigo   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   19 páginas