Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Peritonite séptica e asséptica

Informações sobre o autor

Professora de Genética - Professora de Melhoramento...
Nível
Especializado
Estudo seguido
Médica...

Informações do trabalho

Giselle K.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
dissertação
Número de páginas
23 páginas
Nível
Especializado
Consultado
101 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. O MANDARIM ? RESUMO DA OBRA

1. Introdução
Peritonite é a inflamação do revestimento da cavidade abdominal (peritoneu). Geralmente é provocada por uma infecção, mas também pode ser asséptica.
O peritoneu, ou peritônio é uma membrana fina e transparente que reveste todos os órgãos intra-abdominais, a face interna das paredes do abdome, forma o mesentério e o omento. É a maior membrana mesotelial serosa do organismo.
Suas funções são:
- Reduzir o atrito das vísceras abdominais;
- Filtrar e absorver fluido para a cavidade abdominal;
- Diálise sanguínea;
- Cobrir áreas de inflamação e selar ferimentos de órgãos.

Quando inflamado, o peritônio entra em disfunção, favorecendo a difusão de fluidos atípicos, em volume elevado e elementos diversos em natureza e peso molecular, incluindo uma diversidade de toxinas. O peritônio é bastante resistente à infecção, mas se a contaminação for muito persistente, pode se desenvolver peritonite. Em compensação, por sua resistência, o peritônio tende a se curar com o tratamento adequado.

2. Etiologia
A peritonite pode ser localizada ou generalizada, aguda ou crônica, séptica ou asséptica.
A peritonite pode ocorrer por uma irritação sem que exista infecção (asséptica, ou seja, sem presença de microorganismos patogênicos). Por exemplo, a inflamação do pâncreas (pancreatite aguda) pode provocar peritonite. Da mesma forma, o talco ou o amido das luvas do cirurgião podem provocar uma peritonite sem infecção.
Insuficiência cardíaca ou hepática pode levar a ascite (acúmulo de líquido intra-abdominal) e a uma inflamação do peritônio, com ou sem infecção.
As causas mais comuns de peritonite são:
- Viral: influenza eqüina, arterite viral, PIF ? Peritonite infecciosa felina. O nome PIF é na verdade enganador, pois não se trata de uma inflamação do peritônio, mas sim de uma vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos). Os sintomas que o gato desenvolve dependem dos vasos sanguíneos danificados e também dos órgãos por eles alimentados. Tem esse nome porque com o rompimento dos vasos, o líquido se acumula na cavidade abdominal, originando ascite, que ao infeccionar gera a peritonite. Também pode se acumular na cavidade torácica, impedindo a expansão dos pulmões.
- Bacteriana: A peritonite bacteriana geralmente é secundária à ruptura de uma víscera ou à extensão (translocação) de bactérias através de uma víscera oca. Cerca de 2 a 4 horas após o início da infecção, desaparece a qualidade brilhante a acinzentada da superfície peritoneal, que se torna fosca e sem brilho.

[...] Na peritonite generalizada, o exsudato pode acumular-se debaixo e acima do fígado, formando abscessos sub-hepáticos e subdiafragmáticos. No processo de cicatrização da peritonite bacteriana, podem persistir abscessos residuais funcionando como focos para uma nova infecção. As principais causas de peritonite bacteriana são: - Perfuração ou vazamento gastroentérico; - Piometra; - Abscesso prostático ou hepático; - Contaminação cirúrgica (deve-se tomar cuidado com o instrumental e com a manipulação das vísceras contaminadas). Química: leva a inflamação por irritação, podendo se apresentar com ou sem infecção. [...]


[...] A presença de flora polimicrobiana fala a favor de uma peritonite secundária, e o paciente deve ser tratado de acordo. Caso a leitura da lâmina mostre apenas um tipo de bactéria, consideramos uma peritonite bacteriana primária Sintomas e Patogenia Os sintomas mais comuns são: Dor abdominal o abdome se mostra enrijecido (em tábua). O animal defende o abdome por causa da dor; Ansiedade; Arqueamento do dorso; Vômitos / Defecações; Temperatura aumentada (febre); Distensão abdominal; Desidratação (produção de fluidos ricos em proteínas). [...]


[...] O prognóstico é de razoável a bom em casos de peritonite difusa aguda e nos de localizada. Casos complicados, com grave contaminação abdominal, possuem prognóstico sombrio. Conclusão Peritonite é a inflamação do revestimento da cavidade abdominal (peritônio) e existem diversas etiologias que podem levar um animal a desenvolver esta inflamação, sendo a mais comum a peritonite secundária à contaminação da cavidade peritoneal, por bactérias provindas do trato gastrintestinal. Os sintomas desta patologia são muito variados e podem ser confundidos com os de outras patologias, portanto é importante que se desconfie de peritonite sempre que o animal demonstrar desconforto abdominal. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Peritonite séptica e asséptica

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo dirigido   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   24 páginas

Mais Vendidos veterinária

Herpesviridae

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Artigo   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   19 páginas