Ou baixar através de : Permuta

Informações sobre o autor

Professora de Genética - Professora de Melhoramento...
Nível
Especializado
Estudo seguido
Médica...

Informações do trabalho

Data de Publicação
04/10/2008
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
dissertação
Número de páginas
23 páginas
Nível
Especializado
Consultado
101 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário

Peritonite séptica e asséptica

  1. O MANDARIM ? RESUMO DA OBRA

1. Introdução
Peritonite é a inflamação do revestimento da cavidade abdominal (peritoneu). Geralmente é provocada por uma infecção, mas também pode ser asséptica.
O peritoneu, ou peritônio é uma membrana fina e transparente que reveste todos os órgãos intra-abdominais, a face interna das paredes do abdome, forma o mesentério e o omento. É a maior membrana mesotelial serosa do organismo.
Suas funções são:
- Reduzir o atrito das vísceras abdominais;
- Filtrar e absorver fluido para a cavidade abdominal;
- Diálise sanguínea;
- Cobrir áreas de inflamação e selar ferimentos de órgãos.

Quando inflamado, o peritônio entra em disfunção, favorecendo a difusão de fluidos atípicos, em volume elevado e elementos diversos em natureza e peso molecular, incluindo uma diversidade de toxinas. O peritônio é bastante resistente à infecção, mas se a contaminação for muito persistente, pode se desenvolver peritonite. Em compensação, por sua resistência, o peritônio tende a se curar com o tratamento adequado.

2. Etiologia
A peritonite pode ser localizada ou generalizada, aguda ou crônica, séptica ou asséptica.
A peritonite pode ocorrer por uma irritação sem que exista infecção (asséptica, ou seja, sem presença de microorganismos patogênicos). Por exemplo, a inflamação do pâncreas (pancreatite aguda) pode provocar peritonite. Da mesma forma, o talco ou o amido das luvas do cirurgião podem provocar uma peritonite sem infecção.
Insuficiência cardíaca ou hepática pode levar a ascite (acúmulo de líquido intra-abdominal) e a uma inflamação do peritônio, com ou sem infecção.
As causas mais comuns de peritonite são:
- Viral: influenza eqüina, arterite viral, PIF – Peritonite infecciosa felina. O nome PIF é na verdade enganador, pois não se trata de uma inflamação do peritônio, mas sim de uma vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos). Os sintomas que o gato desenvolve dependem dos vasos sanguíneos danificados e também dos órgãos por eles alimentados. Tem esse nome porque com o rompimento dos vasos, o líquido se acumula na cavidade abdominal, originando ascite, que ao infeccionar gera a peritonite. Também pode se acumular na cavidade torácica, impedindo a expansão dos pulmões.
- Bacteriana: A peritonite bacteriana geralmente é secundária à ruptura de uma víscera ou à extensão (translocação) de bactérias através de uma víscera oca. Cerca de 2 a 4 horas após o início da infecção, desaparece a qualidade brilhante a acinzentada da superfície peritoneal, que se torna fosca e sem brilho.

[...] Na peritonite generalizada, o exsudato pode acumular-se debaixo e acima do fígado, formando abscessos sub-hepáticos e subdiafragmáticos. No processo de cicatrização da peritonite bacteriana, podem persistir abscessos residuais funcionando como focos para uma nova infecção. As principais causas de peritonite bacteriana são: - Perfuração ou vazamento gastroentérico; - Piometra; - Abscesso prostático ou hepático; - Contaminação cirúrgica (deve-se tomar cuidado com o instrumental e com a manipulação das vísceras contaminadas). Química: leva a inflamação por irritação, podendo se apresentar com ou sem infecção. [...]


[...] A presença de flora polimicrobiana fala a favor de uma peritonite secundária, e o paciente deve ser tratado de acordo. Caso a leitura da lâmina mostre apenas um tipo de bactéria, consideramos uma peritonite bacteriana primária Sintomas e Patogenia Os sintomas mais comuns são: Dor abdominal o abdome se mostra enrijecido (em tábua). O animal defende o abdome por causa da dor; Ansiedade; Arqueamento do dorso; Vômitos / Defecações; Temperatura aumentada (febre); Distensão abdominal; Desidratação (produção de fluidos ricos em proteínas). [...]


[...] O prognóstico é de razoável a bom em casos de peritonite difusa aguda e nos de localizada. Casos complicados, com grave contaminação abdominal, possuem prognóstico sombrio. Conclusão Peritonite é a inflamação do revestimento da cavidade abdominal (peritônio) e existem diversas etiologias que podem levar um animal a desenvolver esta inflamação, sendo a mais comum a peritonite secundária à contaminação da cavidade peritoneal, por bactérias provindas do trato gastrintestinal. Os sintomas desta patologia são muito variados e podem ser confundidos com os de outras patologias, portanto é importante que se desconfie de peritonite sempre que o animal demonstrar desconforto abdominal. [...]

...

Estes documentos podem interessar a você

Peritonite séptica e asséptica

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo dirigido   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   24 páginas

Cirurgia veterinária

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Dissertação   |  09/07/2008   |  BR   |   .doc   |   96 páginas

Mais Vendidos veterinária

Apostila de agrostologia

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Dissertação   |  09/07/2008   |  BR   |   .doc   |   45 páginas

Doenças causadas por hemoparasitas nos animais

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Dissertação   |  05/11/2007   |  BR   |   .ppt   |   43 páginas
Compra e venda de trabalhos acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.