Informações sobre o autor

A
Nível
Especializado
Estudo seguido
A

Informações do trabalho

Data de Publicação
24/10/2007
Idioma
português
Formato
.ppt
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
28 diapositivo
Nível
Especializado
Consultado
127 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário

Colorações: hematoxilina / eosina(HE)

  1. Introdução
  2. Histologia
  3. Hematoxilina eosina
  4. Hematoxilina
  5. Coloração
  6. Métodos de coloração com a he
  7. Eosina

Porque fazer coloração em lâminas histológicas? Para serem estudados no microscópio, a maioria dos cortes histológicos devem ser corados. Isto porque com poucas exceções, a maioria dos tecidos é incolor, e modo que observá-los ao microscópio de luz era pouco proveitoso. Foram desenvolvidos métodos de coloração que não só tornam evidentes os vários componentes dos tecidos como também facilitam a distinção entre eles. A seletividade com que os corantes coram os componentes dos tecidos podem ser maior ou menor. A maioria dos corantes se comporta como compostos ácidos ou básicos e tende a formar ligações eletrostáticas salinas com radicais ionizados dos tecidos.

[...] A hematoxilina comporta-se como um corante básico, ligando-se as estruturas basófilas dos tecidos. Os principais componentes dos tecidos que ionizam e reagem com corantes básicos o fazem por conter ácidos na sua composição - ácidos nucléicos, glicosaminoglicanos e glicoproteínas ácidas. A hematoxilina cora os núcleos, mas pode ser usada não só para a demonstração de substâncias intracelulares cromossomos) como também para substâncias extracelulares (elastina linhas de comentação do tecido ósseo) minerais cálcio e cobre e no SNC a mielina. A hematoxilina cora em azul ou violeta o núcleo das células e outras estruturas acidas (como porções do citoplasma rica em RNA e a matriz da cartilagem hialina). [...]


[...] métodos de coloração com a HE Método Regressivo: os cortes são super corados em solução de hematoxilina neutra. O excesso é removido por meio de diferenciador (solução de álcool-ácido) controlando-se os cortes ao microscópio. Os cortes são depois neutralizados com solução fraca de água amonical ou carbonato de lítio. Um corte bem diferenciado deve mostrar citoplasma incolor, e o núcleo deve estar bem corado e mostrando metacromasia nuclear. Eosina A Eosina, serve para demonstrar inclusões e alterações citoplasmáticas. A hematoxilina cora os elementos basófilos nucleares e citoplasmáticos e a eosina cora as estruturas citoplasmáticas acidófilas Os corantes progressivos (por exemplo, a hematoxilina de Mayer) tem uma concentração mais baixa de corante e coram seletivamente as cromatinas nucleares sem corarem as estruturas citoplásmicas. [...]

...

Estes documentos podem interessar a você

Métodos de coloração temporária e permanente

 Engenharia e tecnologias   |  Física & química   |  Estudo   |  22/01/2007   |  BR   |   .doc   |   23 páginas

Candidose

 Biologia e medicina   |  Medicina   |  Estudo   |  17/05/2007   |  BR   |   .doc   |   18 páginas

Mais Vendidos veterinária

Doping em equinos

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo   |  10/02/2010   |  BR   |   .doc   |   31 páginas

Fisiopatologia da reprodução de cães e gatos

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo dirigido   |  22/10/2007   |  BR   |   .ppt   |   30 páginas
Compra e venda de trabalhos acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.