Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Medicação pré-anestésica (MPA)

Informações sobre o autor

Professora de Genética - Professora de Melhoramento...
Nível
Especializado
Estudo seguido
Médica...

Informações do trabalho

Giselle K.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
10 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Indicações
  2. Principais grupos farmacológicos
    1. Fármacos anticolinérgicos
    2. Fármacos tranqüilizantes
    3. Fármacos ansiolíticos
    4. Fármacos hipnoanalgésicos
    5. Outros fármacos
  3. Anticolinérgicos
    1. Principais efeitos do parassimpático (estimulação vagal)
    2. Anticolinérgicos mais usados
  4. Tranqüilizantes
    1. Tranqüilizantes mais usados
  5. Ansiolíticos
    1. Ansiolíticos mais usados
  6. Hipnoanalgésicos
    1. Hipnoanalgésicos mais usados
  7. Outros fármacos
  8. Neuroleptoanalgesia

MPA consiste na utilização de medicamentos antes da anestesia, para aumentar a segurança do ato anestésico, com o objetivo de preparar (tranqüilizar) o animal para o ato anestésico. É de extrema importância o cálculo correto da dosagem desta medicação.

Indicações:
1. Para que o animal passe o segundo estágio de Guedel sem ficar excitado, agressivo ou agitado, ou seja, tranqüilizar o animal (sedação, contenção);
2. Diminuir a dose do anestésico geral, diminuindo a intoxicação causada por este anestésico;
3. Por usar uma dose menor, o retorno da anestesia é mais tranqüilo;
4. Permite o uso de anestésico volátil (com máscara), sem o uso de barbitúricos;
5. Diminuir a dor no pré e pós-operatórios;
6. Permitir procedimentos com anestésico local;
7. Evitar ou induzir o vômito, de acordo com a necessidade ? dependendo da medicação usada;
8. Relaxamento muscular ? facilitando a cirurgia;
9. Diminuir as secreções.

[...] Não é hepato nem nefrotóxico. Não causa alterações no sistema cardiovascular nem no respiratório. Por via IV possui ação mais potente. Se for usado em associação com neuroléptico causa sinergismo, produzindo uma excelente sedação, excluindo o uso dos barbitúricos, podendo usar anestésico de inalação. É muito oleoso e precipita se misturado a outro fármaco, portanto não se deve misturá-lo, mas aplicar em separado. A via IM é muito dolorosa, não sendo utilizada. Apenas em casos extremos de convulsão, onde não se consegue pegar a veia, pode-se aplicar. [...]


[...] A atropina é mais usada na rotina do que a escopolamina. Pode ser aplicada por via intramuscular ou subcutânea. Dose indicada: 0,01 a 0,02 mg/kg (SC). Glicoperrolato (Robinul): Praticamente não tem ação cardiovascular, sendo o mais indicado para uso em cardiopatas. Sua principal ação é evitar salivação (antissialagogo). Dose indicada: cão 0,011 mg/kg. Tranqüilizantes São os neurolépticos, deprimem o SNC, agindo principalmente na substância reticular mesencefálica, que é responsável pelo ciclo do sono e da vigília animal pode até dormir, mas acorda facilmente). [...]

Estes documentos podem interessar a você

Técnica cirúrgica e anestesiologia

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo dirigido   |  04/10/2008   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

Mais Vendidos veterinária

Herpesviridae

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Artigo   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   19 páginas