Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Fisiologia da reprodução canina

Informações sobre o autor

 
Nível
Avançado
Estudo seguido
veterinária
Faculdade
Medicina...

Informações do trabalho

Dailison C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
24 páginas
Nível
avançado
Consultado
2 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário

O sistema reprodutivo da fêmea consiste de dois ovários, mesentério, tubas uterinas, útero, vagina, junção vestíbulo-vaginal e vulva. As glândulas mamárias são uma parte importante do sistema reprodutivo, porém não serão descritas neste trabalho.
O sistema genital masculino está constituído pela uretra, próstata, canal inguinal, corda espermática, ducto deferente, epidídimo, testículos, escroto, pênis e prepúcio.

[...] A liberação de FSH e LH é dependente do padrão pulsátil da secreção de GnRH. Pulsos irregulares e de baixa amplitude resultam na liberação de FSH, enquanto pulsos de alta freqüência induzem a liberação de LH (CUNNINGHAM, 2004). No testículo, o LH estimula as células de Leydig a converter colesterol em testosterona e diidrotestosterona. Altas concentrações totais de andrógenos nos testículos são essenciais para a espermatogênese (CUNNINGHAM, 2004). O FSH tem como alvo específico as células de Sertoli (também estimuladas pelo testosterona), que entre outros produz inibina e estrógeno. [...]


[...] Não traz conseqüências significantes, apenas deve-se detectar o proestro/estro com auxílio de outros métodos para poder realizar o cruzamento com sucesso no tempo apropriado (NELSON e COUTO, 1992) INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL A inseminação artificial consiste em, após a obtenção do sêmen, depositá-lo no trato genital da fêmea a ser inseminada. Essa técnica pode ser utilizada como um meio alternativo quando da impossibilidade de realização de monta natural, devido a problemas anatômicos, comportamentais e sanitários, ou ainda, quando da utilização de sêmen fresco, refrigerado ou congelado. [...]


[...] A porção da trompa adjacente ao seu respectivo ovário expande-se para formar o infundíbulo e as fímbrias que se projetam de sua extremidade livre. As fímbrias auxiliam a direcionar o óvulo para o interior do infundíbulo no momento da ovulação (REECE, 1996). O lúmem dos ovidutos é revestido por células secretórias e ciliadas. Essas células fornecem ambiente para os óvulos e transporte para os espermatozóides. No interior das paredes das trompas uterinas está localizada a musculatura lisa, tanto longitudinal quanto circular, as quais auxiliam no transporte de óvulos e esperma através de suas contrações. [...]

Mais Vendidos veterinária

Herpesviridae

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Artigo   |  29/06/2008   |  BR   |   .doc   |   19 páginas

mais Pontuados veterinária

Anatomia, Estrutura e Circulação Sanguínea da Glândula Mamária

 Biologia e medicina   |  Veterinária   |  Estudo   |  13/08/2012   |  BR   |   .doc   |   10 páginas