Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

A corrida no atletismo

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
direito...
Faculdade
Fumesc

Informações do trabalho

JuliO L.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
17 páginas
Nível
Para todos
Consultado
293 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. INTRODUÇÃO
  2. HISTÓRICO DO ATLETISMO
  3. PRIMEIRAS COMPETIÇÕES
  4. CLASSIFICAÇÃO DO ATLETISMO
  5. PROVAS PEDESTRES
    1. CORRIDAS DE VELOCIDADE
    2. Seqüência Pedagógica
    3. CORRIDAS COM BARREIRAS
    4. CORRIDAS COM OBSTÁCULOS
    5. Seqüência Pedagógica
    6. CORRIDAS DE REVEZAMENTO
    7. CORRIDAS DE MEIO-FUNDO
    8. CORRIDAS DE FUNDO
    9. MARATONA
    10. CROSS-COUNTRY
    11. MARCHA ATLÉTICA
  6. CONCLUSÃO

O atletismo, de certa forma, representa a síntese de todos os demais esportes, pois seus diversos movimentos implicados estão presentes em quase todas as demais modalidades esportivas. O salto, a velocidade e a agilidade são fundamentos básicos das modalidades do atletismo, assim como pressupostos para as outras diversas modalidades. Tais movimentos, sem dúvida, construíram as primeiras formas de prática desportiva, pois são movimentos que surgiram com o próprio aparecimento do homem, que nos primórdios de sua história, por questões de sobrevivência, aprendeu instintivamente a realizar tais esforços físicos. Como modalidade esportiva, o atletismo primeiramente foi praticado pelos povos helênicos da Antigüidade. O grande desenvolvimento dessa prática esportiva culminou, neste período, com o surgimento de competições e grandes eventos esportivos, e assim, com a profissionalização de atletas. Os eventos esportivos principais desses povos eram os Jogos Ístmicos, os Píticos, os Nemeus e os Jogos Olímpicos (realizados na região da pequena cidade de Olímpia, jogos estes que inspiraram na criação das atuais Olimpíadas). No princípio, estes eventos constituíam-se de competições como corridas e saltos. Com o gradual desenvolvimento destes eventos, houve a incorporação de outras modalidades como o lançamento de discos, lançamento de dardos e as provas combinadas como o pentatlo.
As diversas modalidades atléticas, hoje em dia, se encontram num estágio bastante avançado, com aprimoramento das técnicas de treinamento e técnicas de aperfeiçoamento dos movimentos que constituem cada modalidade. E a quebra de limites ainda não parece estar estacionando nestas modalidades, sendo que estas representam mais marcadamente as possibilidades físicas e os limites físicos humanos.
No Brasil, o atletismo é uma modalidade em grande desenvolvimento, ainda que a prática atlética não atinja a grande popularidade observada em alguns outros países. Ainda assim, a história do atletismo brasileiro possui grandes nomes como Ademar Ferreira da Silva (o único campeão olímpico sul-americano até o ano de 1969, competidor da modalidade de Salto Triplo, da qual foi recordista mundial por 5 anos), "João do Pulo" e Joaquim da Cruz.

[...] Olímpico com variação: nada mais é do que uma mudança da posição da mão o polegar aberto fica apoiado no quadril, os demais dedos unidos e a palma da mão voltada para trás. O cotovelo obedece praticamente à mesma posição da técnica anterior. Francês: o braço é estendido para trás, executando uma torção da mão para fora, de forma a fazer com que a palma da mão se volte para cima. O dedo polegar fica aberto, em relação aos demais dedos. [...]


[...] Os romanos, assimilarem a cultura grega, já no século I d.C., prosseguiram com a tradição dos jogos olímpicos, embora com espírito mais recreativo do que competitivo, até que, em 393, o imperador Teodósio - responsável pela matança de dez mil gregos em Tessalonica - se converteu ao cristianismo, após curar-se de grave enfermidade: para ganhar o perdão de Ambrósio, bispo de Milão, concordou em suprimir todas as festividades pagãs, inclusive os jogos olímpicos. Da Idade Média aos vitorianos O atletismo dos romanos já representou uma fase de decadência em relação à dos gregos, não só por menos competitivo e sem fim educativo, mas também porque o atleta, m geral escravo ou prisioneiro de guerra, estava muito longe de gozar do prestígio social dos antigos competidores gregos. [...]


[...] Após a corrida, impulsiona-se a 1,30 a 1,50m do obstáculo, utilizando para isto a perna de impulsão, de forma a apoiar o outro pá em cima da viga, para fazer uma nova impulsão e aterrizar no mesmo pé do primeiro impulso, à frente de um colchão colocado adiante de um obstáculo, e continuar a corrida por mais alguns metros .3- CORRIDAS DE REVEZAMENTO São corridas entre equipes de quatro atletas, cumprindo cada um uma quarta parte do percurso e tendo de passar um bastão ao companheiro que se segue, dentro de certos limites assinalados na pista. [...]

Mais Vendidos direito (outro)

Direiro Ambiental

 Direito e contrato   |  Outro   |  Estudo   |  25/11/2013   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Direito Comercial

 Direito e contrato   |  Outro   |  Estudo   |  25/11/2013   |  BR   |   .doc   |   6 páginas

Últimos trabalhos direito (outro)

Direito Comercial

 Direito e contrato   |  Outro   |  Estudo   |  25/11/2013   |  BR   |   .doc   |   6 páginas

Direiro Ambiental

 Direito e contrato   |  Outro   |  Estudo   |  25/11/2013   |  BR   |   .doc   |   5 páginas