Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
direito...
Faculdade
Carlos...

Informações do trabalho

Data de Publicação
07/10/2008
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
6 páginas
Nível
Para todos
Consultado
3 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário

Análise do filme "doze homens e uma sentenção" de Twelve Angry Men

  1. doze homens e uma sentenção

O filme a ser estudado no trabalho a seguir, baseia-se num júri popular que ocorre na cidade de Nova York, onde o réu é um rapaz que está sendo acusado de ser o autor do assassinato de seu próprio pai, com o qual teve uma briga na noite do crime, devido ao fato de que todos acreditem que ele seria o único a ter motivos para o faze-lo. O caso apenas por um curto espaço de tempo se mostra no tribunal, onde o juiz por sua vez se manifesta e em algumas simples palavras explica aos doze jurados à responsabilidade a que os compete, tendo em vista que naquele Estado a sanção aplicada para tal crime, é a cadeira elétrica.
A decisão do júri precisa ser unânime, e por esse motivo a necessidade de cautela na decisão, pois se trata de decidir se uma pessoa deve ou não ser morta para pagar por um determinado crime. A responsabilidade se torna ainda maior para os jurados, pois existem algumas testemunhas e provas, mas existe também uma margem de dúvida, dúvida essa que se não for esclarecida pode condenar um inocente ou absolver um culpado pondo em risco a sociedade.
Por esse motivo não cabe aos jurados agir com a emoção, levando em conta suas experiências de vida, suas frustrações ou seus medos, mas sim buscar minuciosamente o esclarecimento dos fatos, analisando assim todas as possibilidades e buscando enxergar de diferentes ângulos cada nova possibilidade a fim de poder melhor analisar e assim tentar chegar o mais próximo possível da verdade.
O filme em questão se passa quase que inteiramente em uma pequena sala do júri, fechada, com pouca ventilação, os doze jurados seguiram o procedimento padrão, quando fizeram uma votação preliminar, antes mesmo de discutir sobre o assunto apenas para conhecer a opinião de cada um e somar as opiniões em conjunto.
No filme em questão (Doze homens e uma sentença), a argumentação é ponto crucial no desfeche do resultado final, pois o único jurado com opinião contrária aos demais, o arquiteto Daves, durante toda a discussão dos fatos, se mostra preocupado não somente em condenar ou absolver o réu e sim em julgar com coerência os fatos ocorridos para que não se cometesse nenhuma injustiça, nesse aspecto Daves, usa algo além de persuasão e argumentação: o gerenciamento das relações, onde observa como cada um dos demais jurados se comporta e se comunica, para que dessa forma possa também saber como persuadir cada um, a fim de fazê-los pensar no tamanho da responsabilidade que lhes foi atribuída. Entre os jurados existe um que se mantém quase que o tempo todo irredutível, demonstrando sua opinião formada e também tamanha amargura com a vida, “Há pessoas que vestem uma espécie de armadura virtual pra se defender. O tempo passa e elas não percebem que essa armadura não as está protegendo, está apenas escondendo as feridas da sua solidão”. ¹
Será que o jurado irredutível realmente acreditava na culpabilidade do réu? Ou será que ele apenas agiu como um “Maria vai com as outras”, e quando viu os demais mudando de opinião se sentiu agredido pelo poder de persuasão de Daves? “Muitas vezes temos medo do poder do outro e por isso nos retraímos”. ²
Então na retórica são expostos os argumentos de ambas as partes, as idéias são debatidas para que no final se veja quem dos locutores/interlocutores, (denominamos assim as pessoas que da retórica participam, pois tanto falam quanto ouvem para que seja assim realmente uma retórica, com ambas as partes tendo momentos para retrucar e para ouvir o outro) consegue defender melhor seu pensamento, sua idéia sua tese, etc. E para tanto ambos os locutores/interlocutores tem que pesquisar, estudar, para que dominem o assunto que em questão, pois se não dominarem ou não tendo um bom argumento, tendem então a perder, deixando assim prevalecer à tese de outrem.
Seja como for, para uma boa retórica temos que sempre ser bem persuasivos de maneira que, como já foi citado anteriormente, possamos vencer junto com a pessoa que persuadimos, e dominar o tema ou tese defendida por nós, tendo isso como base, será fácil fazer com que a nossa tese/idéia prevaleça.
Daves faz bom uso da argumentação jurídica em todo o tempo (ainda que seja apenas um membro do júri popular), e assim consegue através de técnicas argumentativas, convencer e persuadir os demais jurados ali dispostos, conseguindo assim a absolvição do réu, ao qual ninguém tinha real certeza da culpabilidade.

[...] E é isso que ocorre entre Daves e os demais jurados, Daves através do poder de persuasão, prova aos demais jurados que eles não devem pré-julgar o réu sem dar a ele uma oportunidade de que se comprove sua inocência. Então na retórica são expostos os argumentos de ambas as partes, as idéias são debatidas para que no final se veja quem dos locutores/interlocutores, (denominamos assim as pessoas que da retórica participam, pois tanto falam quanto ouvem para que seja assim realmente uma retórica, com ambas as partes tendo momentos para retrucar e para ouvir o outro) consegue defender melhor seu pensamento, sua idéia sua tese, etc. [...]


[...] Daves argumenta com os outros membros do júri, quanto à necessidade de se analisar minuciosamente cada uma das provas apresentadas pela promotoria, cada um dos fatos contidos nos depoimentos prestados por cada uma das testemunhas, objetos e circunstâncias ligadas ao dia e também à cena do crime, causas particulares e individuais, ligados a cada uma das testemunhas arroladas. Como no momento em que Daves faz a simulação do percurso realizado pelo senhor já de idade, que é uma das testemunhas, e comprova que devido ao fato da testemunha já ter certa idade e também uma deficiência seria praticamente impossível que a testemunha tenha visto realmente o que afirma ter visto. [...]


[...] A importância da argumentação jurídica No filme em questão (Doze homens e uma sentença), a argumentação é ponto crucial no desfeche do resultado final, pois o único jurado com opinião contrária aos demais, o arquiteto Daves, durante toda a discussão dos fatos, se mostra preocupado não somente em condenar ou absolver o réu e sim em julgar com coerência os fatos ocorridos para que não se cometesse nenhuma injustiça, nesse aspecto Daves, usa algo além de persuasão e argumentação: o gerenciamento das relações, onde observa como cada um dos demais jurados se comporta e se comunica, para que dessa forma possa também saber como persuadir cada um, a fim de fazê-los pensar no tamanho da responsabilidade que lhes foi atribuída. [...]

...

Mais Vendidos direito penal

O tribunal do júri e as práticas aplicadas nas sessões de julgamento

 Direito e contrato   |  Penal   |  Estudo   |  04/10/2008   |  BR   |   .doc   |   6 páginas

O princípio do contraditório no inquérito policial

 Direito e contrato   |  Penal   |  Monografia   |  25/11/2009   |  BR   |   .doc   |   15 páginas

Últimos trabalhos direito penal

Processo do Tribunal do Juri

 Direito e contrato   |  Penal   |  Estudo   |  22/02/2012   |  BR   |   .doc   |   13 páginas

A Inimputabilidade Penal nos Crimes Sexuais Segundo a Psiquiatria Forense

 Direito e contrato   |  Penal   |  Estudo   |  28/02/2011   |  BR   |   .doc   |   14 páginas
Compra e venda de trabalhos acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.