Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Psicopata

Informações sobre o autor

 
Nível
Especializado
Estudo seguido
direito penal
Faculdade
Uninove

Informações do trabalho

Jose Carlos R.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
31 páginas
Nível
Especializado
Consultado
8 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Fatores que influenciam o cometimento de crimes
  2. O criminoso psicopata
  3. A responsabilidade legal do psicopata
  4. Criminoso em série psicopata

A criminalidade hoje é algo comum em qualquer lugar. Não é mais mérito de ?cidade grande?, ricos e pobres sofrem com esse problema que aumenta a cada ano.
Existem os crimes mais ?comuns?, que não são os que vamos tratar, mas sim daquele tipo de crime que comove a população, crimes muitas vezes bárbaros e cruéis, realizados por pessoas ditas como normais, que um dia acordam com vontade de matar e devido a patologias mentais não conseguem controlar seus impulsos, e vão atrás de suas vítimas.
A idéia de existir ou não uma personalidade sujeita ao crime é algo que provoca discussão intrigante, pensar que alguém nasce predisposto a cometer crimes.
A personalidade é a totalidade relativamente estável e previsível dos traços emocionais e comportamentais que caracterizam a pessoa na vida cotidiana, sob condições normais. Um transtorno da personalidade é uma variação desses traços de caráter que vai além da faixa encontrada na maioria das pessoas. Essa variação é inflexível e causa desajuste e mal estar. Entre os autores desse mal estar estão os portadores de personalidade psicopática e esse desajuste é causado pelos crimes cruéis.
Fica claro, ainda, que o indivíduo portador de personalidade psicopática padece de uma alteração dos sentimentos, dos impulsos, dos instintos, do sentido ético e moral que se traduz por uma alteração de conduta e comportamentos sociais.
Esta pesquisa versará sobre um assunto delicado, o qual compreenderá o estudo das Personalidades Psicopáticas e sua devida reponsabilidade legal, abrangendo também os fatores gerais que influenciam o cometimento dos crimes.
O trabalho analisará o resultado deste delito, tanto na Ciência Penal, como na Medicina Legal, a qual engloba a Psicopatologia Forense.
A escolha do tema da pesquisa em questão, por se tratar de um assunto relevante e pouco discutido na área do Direito Penal, se torna interessante a busca de discussões, através dos doutrinadores, sobre os conceitos, resultados e, indubitavelmente, tentativas de soluções entre áreas de confronto, como a área Penal e a área Psiquiátrica; áreas que possuem um único resultado, a preservação do bem estar dentro do convívio social, no que tange a respeito do tema abordado.
A pesquisa foi elaborada a partir de súbito interesse, porém preocupante, do convívio de certos indivíduos no meio social, indivíduos esses, portadores de uma conduta chocante, com ausência de remorso pelo cometimento de seus crimes e sem autocontrole das suas decisões, causado por um transtorno da personalidade.
Aspectos polêmicos e controvertidos foram analisados no decorrer do trabalho, como por exemplo, a imputação do crime e a aplicação da pena e o fim obtido com sua aplicação.
Logo, ficará ilustrado que os objetivos do trabalho foram alcançados e discorridos, sempre tentando buscar a melhor forma de explicação para os leitores.

[...] Esses serviços podem ter mudado de endereço ou ter sido interrompido): http://portal.tj.sp.gov.br/wps/portal> Acesso em: Acesso em: Acesso em Acesso em Legislações utilizadas: LEI DE EXECUÇÃO PENAL Lei nº de 11 de Julho de 1984; CÓDIGO PENAL CÓDIGO PENAL INTERPRETADO SALLES JUNIOR, Romeu de Almeida. CÓDIGO DE PROCESSO PENAL Capítulo VII ANEXOS Jurisprudência personalidade psicopática não se inclui na categoria das moléstias mentais, acarretadoras da irresponsabilidade do agente. Inscreve-se no elenco das perturbações da saúde mental, em sentido estrito, determinantes da redução de pena?. [...]


[...] CAPÍTULO II O criminoso Psicopata Conceito Os psicopatas são uma classe muito à parte, pois apresentam desejos e ações um tanto quanto foras do comum. No entanto, psicopatas tendem a ser pessoas muito inteligentes em vista do seu conhecimento vulgar, isto é, sua experiência de vida. O psicopata acha-se uma pessoa superior sobre o resto da humanidade, acha que a ele, foi dado todos os direitos de fazer coisas que as outras pessoas não podem, apenas para gratificar as ansiedades e desejos por ele sentidas A Personalidade Psicopática Entre o convívio social existem indivíduos de personalidade perturbadas e desajustadas, os quais refletem através de seu caráter, reações impulsivas de instabilidade emocional, irritabilidade principalmente, impulsos criminais acentuados, como por exemplo, assassinatos, perversões homicidas, monstruosidades genocídas e etc. [...]


[...] O encanto, a sedução e a manipulação são fenômenos que se sucedem no psicopata, partindo do princípio que somente será possível manipular alguém se esse alguém foi antes seduzido; Mentiras Sistemáticas e Comportamento Fantasioso: o psicopata utiliza a mentira como uma ?ferramenta de trabalho?. O psicopata não mente circunstancialmente ou esporadicamente para conseguir safar-se de alguma situação. É comum que o psicopata priorize algumas fantasias sobre circunstâncias reais. Esse indivíduo pode converter-se no personagem que sua imaginação cria como adequada para atuar no meio com sucesso, propondo a todos a sensação de que estão, de fato, em frente a um personagem verdadeiro. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Psicopatia

 Direito e contrato   |  Outro   |  Estudo   |  20/08/2008   |  BR   |   .doc   |   19 páginas

Psicopatia: contribuição de Freud e Lacan

 Psicologia e letras   |  Psicologia   |  Estudo dirigido   |  20/06/2008   |  BR   |   .doc   |   13 páginas

Últimos trabalhos direito penal

Processo do Tribunal do Juri

 Direito e contrato   |  Penal   |  Estudo   |  22/02/2012   |  BR   |   .doc   |   13 páginas

A Inimputabilidade Penal nos Crimes Sexuais Segundo a Psiquiatria Forense

 Direito e contrato   |  Penal   |  Estudo   |  28/02/2011   |  BR   |   .doc   |   14 páginas