Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Fundamentos da higiene e segurança

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
administração
Faculdade
Univap

Informações do trabalho

Arnaldo S.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
32 páginas
Nível
Para todos
Consultado
5 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Fundamentos da higiene e segurança
  2. Higiene no trabalho
    1. Ambiente físico de trabalho
    2. Ambiente psicológico de trabalho
    3. Aplicação de princípios de ergonomia
    4. Saúde ocupacional
  3. Estresse e trabalho
  4. Sobrecarga
  5. Falta de estímulos
  6. Ruído
  7. Alterações do sono
  8. Falta de perspectivas
  9. Mudanças constantes
  10. Mudanças determinadas pela empresa
  11. Mudanças devidas a novas tecnologias
  12. Mudanças devidas ao mercado
  13. Mudanças auto-impostas
  14. Ergonomia
  15. Acidentes de trabalho
  16. Fatores que afetam a higiene e segurança
  17. Segurança do posto de trabalho
    1. Significado e importância da prevenção
  18. O efeito dominó e os acidentes de trabalho
  19. Dispositivos de proteção
  20. Proteção coletiva e proteção individual
  21. Sinalização de segurança
  22. Normas de prevenção de acidentes
  23. Qualidade de vida no trabalho
    1. Conceitos
  24. A origem e a evolução dos estudos de qualidade de vida no trabalho
  25. Fatores determinantes de qualidade de vida no trabalho
    1. Compensação justa e adequada
    2. Condições de trabalho
    3. Uso e desenvolvimento de capacidade
    4. Oportunidade de crescimento e segurança
    5. Integração social na organização
    6. Constitucionalismo
    7. Trabalho e espaço total de vida
    8. Relevância social da vida no trabalho
  26. Programa de qualidade de vida no trabalho

Até meados do século 20, as condições de trabalho nunca foram levadas em conta, sendo sim importante a produtividade, mesmo que tal implicasse riscos de doença ou mesmo à morte dos trabalhadores. Para tal contribuía dois fatores, uma mentalidade em que o valor da vida humana era pouco mais que desprezível e uma total ausência por parte dos Estados de leis que protegessem o trabalhador.
Apenas a partir da década de 50 / 60, surgem as primeiras tentativas sérias de integrar os trabalhadores em atividades devidamente adequadas às suas capacidades.
Na atualidade, em que certificações de Sistemas de Garantia da Qualidade e
Ambientais ganham tanta importância, as medidas relativas à Higiene e Segurança no Trabalho tardam em ser implementados pelo que o despertar de consciências é fundamental.
A higiene e a segurança são duas atividades que estão intimamente relacionadas com o objetivo de garantir condições de trabalho capazes de manter um nível de saúde dos colaboradores e trabalhadores de uma Empresa.
Segundo a O.M.S. - Organização Mundial de Saúde, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste "num estado de bem-estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidade?.

[...] Alterações do Sono O contínuo atraso do sono pelos horários de trabalho, viagens e variações do ritmo das atividades sociais, facilitadas pelo uso da luz elétrica e atrações noturnas, pode levar à insônia conseqüentemente ao estresse. Na síndrome de fusos horários das viagens internacionais, recomenda-se não tomar decisão importante ou não competir antes da readaptação fisiológica. Os operários que fazem turnos ou têm trabalho noturno, geralmente possuem um sono de má qualidade no período diurno. Isso se dá em decorrência dos conflitos sociais (coisas que fazemos de dia e coisas que fazemos de noite) e do excesso de ruído diurno. [...]


[...] A melhoria da qualidade de vida no trabalho surge como uma preocupação no meio acadêmico, não só pelo aspecto material enfatizado pela saúde e segurança, mas, de uma forma mais abrangente, por meio da humanização do trabalho. A Qualidade de Vida no Trabalho cria oportunidades para o trabalhador, dando-lhe maior responsabilidade, autonomia, participação no processo decisório, nos resultados e no seu desenvolvimento completo, e o indivíduo terão maior oportunidade de realização pessoal e progresso em seu trabalho. Os novos sistemas de produção, discutidos não só no meio acadêmico, chamam atenção para a importância de se trabalhar com pessoas motivadas, a fim de evitar aspectos negativos, como: alta rotatividade, absenteísmo, acidentes, enfim, o boicote por parte dos trabalhadores, que podem causar a falência destes. [...]


[...] Na I Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde realizada em 1986, em Otawa, foi elaborada a Carta de Ottawa, que propõe, dentre outras atuações, cinco campos centrais para a promoção da saúde: 1º- Elaboração e implementação de políticas saudáveis, devendo ser prioridade no setor saúde, incluindo legislações, medidas fiscais, mudanças organizacionais, além de ações intersetoriais que visem a eqüidade em saúde, distribuição de renda e políticas sociais. 2º- Criação de ambientes favoráveis à saúde, incluindo tanto a conservação do meio ambiente e recursos naturais quanto o ambiente de trabalho, lazer, lar, escola, cidade, devendo estes serem valorizados pelo setor saúde. [...]

Últimos trabalhos direito do trabalho

Greve

 Direito e contrato   |  Trabalhista   |  Estudo   |  21/11/2012   |  BR   |   .doc   |   4 páginas

Flexibilização do Trabalho

 Direito e contrato   |  Trabalhista   |  Estudo   |  21/11/2012   |  BR   |   .doc   |   5 páginas