Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

O Brasil e o Choque do Petróleo – Colhendo os frutos

Informações sobre o autor

Ministério do Turismo
Nível
Especializado
Estudo seguido
Bacharel em...

Informações do trabalho

Bruno M.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
24 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Estagnação
  2. 1980-1983: Estagnação e transferência de recursos reais ao exterior
  3. 1984-1986: ?Retomada Involuntária?
  4. 1987-1989: Desestruturação do Estado

Na década de 80 o Brasil passou pela maior crise econômica de sua história. Essa crise foi tão ampla, que alguns economistas dizem que a década de 80 está para o Brasil assim como a Grande Depressão nos anos 30 está para os países desenvolvidos (Fishlow, 1986). A renda per capita acumulou durante toda a década uma taxa de crescimento negativa de 4,7%. O crescimento do PIB ficou praticamente estagnado, atingindo uma média de apenas 2,3%a.a. contra uma média de aproximadamente 7%a.a. desde o pós-guerra até 1980. Com razão a década de 80 ficou conhecida por ?década perdida?.

Outro problema que se mostrou de difícil solução durante os anos 80 a falta de controle da inflação. Todos os planos econômicos cunhados no período tinham como principal objetivo a estabilização dos índices de inflação. A inflação média durante o período alcançou a histórica marca de 423%a.a. (INPC / IBGE). No ano de 1989 esse índice registrou 1863%a.a. A combinação de baixo crescimento e elevadas taxas de inflação é conhecida por ?estagflação?.

[...] Se esses resultados tivessem surgido alguns anos antes, muito provavelmente o Brasil teria enfrentado a 2ª crise do petróleo e o choque dos juros em uma posição mais cômoda, o que refletiria na sua performance durante o restante da década. Isso porque com os frutos do II PND o país teria condições de gerar capacidade de pagamento da dívida externa antes da elevação do custo do serviço da dívida, além de possuir melhores condições em relação à dependência externa de fontes de suprimento de bens de capital e intermediários. [...]


[...] Os limites do possível: notas sobre o balanço de pagamentos e indústria nos anos 70. In Pesquisa e Política Econômica, Rio de Janeiro, ago. de 1976. BONNELLI, R. e MALAN, P. S.?Crescimento Econômico, Industrialização e Balanço de Pagamentos: O Brasil dos Anos 70 aos Anos Textos para discussão interna, nº 60 Instituto de Planejamento Econômico e Social IPEA, novembro de 1983. BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. O colapso de uma aliança de classes. São Paulo, Brasiliense BRASIL. Lei nº de 4 de dezembro de 1974 Ementa: Dispõe sobre o Segundo Plano Nacional de Desenvolvimento para o período de 1975 a 1979. [...]


[...] Tabela 4.1 Juros líquidos pagos ao exterior como proporção da receita de exportações 1980-1990 milhões) Ano Juros Exportações Relação Líquidos Juros / Exportações Fonte: Site Ipeadata[1] A década de 80 pode ser dividida em três períodos distintos, como pode ser visto no gráfico 4.1 : de 1980 a 1983, que constitui o auge da crise da dívida, no qual o PIB brasileiro registra uma dura recessão com uma taxa média de menos de com destaque para os anos de 1981 e 1983 quando a taxa foi negativa; de 1984 a 1986 que marca uma recuperação vigorosa da economia brasileira, no qual registra-se de taxa média de crescimento do PIB; 1987 até o final da década, marcado novamente por taxas de crescimento medíocres, alcançando uma média de 2,2%. [...]

Estes documentos podem interessar a você

"Os choques do petróleo, o II PND e a estagnação dos anos 80"

 Economia e finanças   |  Economia   |  Estudo   |  28/05/2007   |  BR   |   .ppt   |   46 páginas

Mais Vendidos economia

Economia e direito

 Economia e finanças   |  Economia   |  Estudo   |  21/09/2006   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

A quantificação da realidade econômica

 Economia e finanças   |  Economia   |  Dissertação   |  17/12/2008   |  BR   |   .doc   |   3 páginas