Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

A história de Eva Perón

Informações sobre o autor

A
Nível
Especializado
Estudo seguido
A

Informações do trabalho

Marta O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
dissertação
Número de páginas
26 páginas
Nível
Especializado
Consultado
52 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Uma análise da argentina
    1. Populismo na américa latina
    2. A Argentina antes de Perón
    3. Perón como presidente
    4. Presidente novamente
    5. Breve conclusão do peronismo
  3. Eva maria duarte
    1. A infância
    2. Buenos Aires
    3. O poder cada vez mais perto de Perón
    4. Primeira dama
    5. Os encantos da primeira dama
    6. O tédio e a alegria
  4. Eva perón na europa
    1. Representando a Argentina
  5. O tempo não pode esperar
    1. Uma nova evita
    2. As obras
    3. O partido peronista feminino
  6. O coração da argentina parou
    1. Crise política
    2. A doença
    3. O ritual de despedida
    4. Enfim a paz

Ao analisarmos o populismo em toda a América Latina, nos deparamos sempre com presidentes carismáticos que conquistavam seus eleitores principalmente pela capacidade de atraí-los com seus atos demagógicos e lhes dar a idéia que tudo que eles estavam ganhando havia sido dado e não um direito de verdade.
A história da Argentina se difere das demais justamente por isso, nela talvez em poucas vezes na história vemos que uma mulher conseguiu ser mais carismática que seu marido e levar uma felicidade mais direta para a população, independente de quem estivesse pagando por tudo aquilo. Eva Perón jamais se preocupou com os planos econômicos formulados pela equipe de seu marido, ajudava diretamente cada um de seus descamisados.
Sem dúvida que essa felicidade tinha seus dias contados, mesmo a população não sabendo disso, cada presente, cada doação, cada cesta básica, enfim tudo tinha seu preço e eles estavam pagando indiretamente por isso.
Eva foi uma figura amada e odiada ao extremo, de todos os presidentes populistas nenhum teve uma esposa como ela, que sabia falar a língua dos mais pobres, talvez porque fosse um deles, seu jeito de agir foi copiado por milhares de argentinas e quando ela morreu muitos choraram como se fosse um membro da sua família.
Estudar a vida de Eva Perón, ao mesmo tempo em que é muito simples é também um ato muito complexo, pois ninguém sabia o que se passava por trás daquela imagem tão perfeita, quais suas ansiedades e seus sofrimentos, ou seja, sempre se analisou uma imagem, mas fica a dúvida se a verdadeira Eva Perón foi algum dia, analisada por alguém.

[...] Na Argentina, o golpe derruba Yrigoyen, que era conservador e permitiu que as oligarquias exportadoras se mantivessem no poder, até não mais resistirem a crise política e econômica que se instalara, abrindo a brecha necessária para que Perón com um discurso extremamente voltado para as classes populares conseguisse assumir o poder, com uma grande margem de votos a mais que o outro candidato. No México, a situação foi um pouco diferente, com o fim da Revolução (que determinou o fim da oligarquia agrária), a burguesia se instalara no poder e após 1930 não houve golpe que mudasse o regime, quando Cardenas assumiu, ele iria ?salvar o México da crise pós e não rompeu as estruturas vigentes. [...]


[...] Aos sábados, assim que voltava da fundação, Eva assistia filmes junto com o marido, ambos tinham gostos diferentes, mas como já passavam pouco tempo juntos era obrigada a ver coisas que não gostava; a tranqüilidade de Perón nos finais de semana era tanta que irritava Eva e a deixava entediada. Depois do trabalho existiam poucas coisas que a deixavam feliz, uma delas era reunir poetas amigos seus no Lar da Empregada, para que se falasse de Perón em forma de poesias. [...]


[...] Apesar de muito falar em injustiças masculinas contra as mulheres, Eva não deixava de exaltar a pessoa de Perón, mesmo não convivendo muito com ele, se tornava uma espécie de adoração, considerava-o como o Sol. Talvez toda essa adoração servira para mostrar que Eva, mesmo se tornando mais importante que Perón, ainda lhe dava importância, em todos os discursos ela era mais aclamada que ele, se isso o incomodava, talvez sim, mas jamais disse qualquer coisa. Evita precisava agora recrutar mulheres que estivessem dispostas a visitar e talvez morar em regiões distantes, a fim de que levassem a mensagem peronista, o lema era acima de tudo não desistir mesmo com as dificuldades, esses locais onde trabalhariam por Perón se chamariam Unidades Básicas do Partido Peronista Feminino. [...]

Mais Vendidos história

Processo de industrialização e formação capitalista do Brasil - 1930-1945

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Estudo   |  07/05/2007   |  BR   |   .doc   |   8 páginas

Últimos trabalhos história

O discurso da imprensa sobre o complexo penitenciário da Papuda em Brasília, de 1979 aos nossos...

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Monografia   |  30/03/2009   |  BR   |   .doc   |   50 páginas

As duas faces de Winston Churchill

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Fichamento   |  23/03/2009   |  BR   |   .doc   |   8 páginas