Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Os Sem Terra

Informações sobre o autor

autônoma
Nível
Especializado
Estudo seguido
Letras

Informações do trabalho

Montserrat C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
16 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Os sem terra e seus antecedentes
    1. Movimento dos sem terra
    2. Resultados do Movimento
  2. O movimento e o governo
    1. Alianças
    2. Conflitos

A pesquisa trata da história das lutas dos trabalhadores da roça pela conquista da terra. Apresenta as lutas dos trabalhadores para conquistar um pedaço de terra para sua sobrevivência e segurança de sua família. Sempre houve muita luta, muita fé e coragem dos trabalhadores para conquistarem o direito de ter um pedaço de terra. O trabalho visa fazer um levantamento do que era e o que é o movimento dos Sem terra e suas expectativas. Apresenta sua origem e seus objetivos. Sua problemática está envolvida principalmente nos objetivos reais dos Sem terra e da vontade do governo em colaborar. Como metodologia foi utilizado o método bibliográfico, partindo das lutas existentes no decorrer de nossa história e alcançando os dias de hoje. Há contradições sobre o que realmente os Sem Terra e o governo quer. Portanto, pode-se pensar no movimento como um meio eficaz de se chegar à igualdade social, porém, é difícil o governo desapropriar terras, devido a diversas questões, principalmente políticas. As várias constituições em nada alteraram a estrutura agrária brasileira. É certo, que existem lutadores convictos de seus objetivos, mas ao ir a busca desses objetivos tornam-se gladiadores, impondo seus ideais sem se preocupar com as conseqüências. Isso faz com que a situação não mude. Conclui-se, portanto, que existem muitas contradições no que se refere aos objetivos dos Sem-Terra. Percebe-se que através dos tempos o movimento mudou seus propósitos, o que antes era para um meio de sobrevivência, onde não se prejudicava ninguém, hoje não se tem critério na posse das terras. Invadem-se terras produtivas e doa a quem doer. Do lado do governo também se percebe uma total ausência de objetivos mesmo porque, grandes donos de terras ociosas são políticos influentes que lutam para não perder suas terras. No Brasil tudo vira negócio. Nada se faz de graça.

[...] Para seu espanto, Rainha foi abordado por um cidadão engravatado que manifestou seu apoio às ações do movimento e engrenou uma proposta: o MST ?precisaria? ocupar uma determinada fazenda no Pontal do Paranapanema, oeste do Estado de São Paulo, porque seria de interesse do proprietário ?entregar a terra ao INCRA? com os títulos da dívida agrária recebidos na desapropriação, quitar uma dívida com o INSS. O interlocutor sugeria que a ação do MST seria recebida pacificamente, caracterizando uma vitória dos Sem-Terra. [...]


[...] Como metodologia foi utilizado o método dedutivo, partindo das lutas existentes no decorrer de nossa história e alcançando os dias de hoje OS SEM TERRA E SEUS ANTECEDENTES Desde o início da colonização, o regime de posse da terra no Brasil caracterizou-se pela concentração de grandes propriedades nas mãos de um pequeno número de pessoas. Isso remonta à época da divisão de território em capitanias hereditárias e da doação das sesmarias. Mais tarde, a monocultura da cana-de-açúcar, do algodão e do café, para se tornarem economicamente rentáveis, também exigiu terra em grandes proporções. [...]


[...] A política de ocupação da Amazônia, a presença das multinacionais e os fabulosos projetos especulativos da pecuária extensiva e da exploração florestal aumentaram ainda mais o contingente de lavradores sem terra e de posseiros em todo o país. Multiplicaram-se, assim, os conflitos armados no campo, que vêm se tornando cada vez mais violentos. Essa situação contrasta com a conjuntura política atual, favorável ao reconhecimento dos direitos dos trabalhadores rurais à posse da terra. GRAZIANO (1996) afirma que uma reforma que altere profundamente a estrutura da propriedade agrária é condição indispensável para que milhões de camponeses sejam devidamente incorporados ao sistema de produção Movimento dos sem terra No início dos anos 70, com a guerrilha da Araguaia, os militares passaram a intervir na questão da terra. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Movimento dos trabalhadores rurais Sem-Terra - MST

 Sociedade   |  Ciências políticas   |  Estudo   |  08/11/2006   |  BR   |   .doc   |   9 páginas

Os Sem-Terra, ONGs e Cidadania

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  20/03/2007   |  BR   |   .doc   |   7 páginas

Mais Vendidos história

Processo de industrialização e formação capitalista do Brasil - 1930-1945

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Estudo   |  07/05/2007   |  BR   |   .doc   |   8 páginas