Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

O desenvolvimento econômico de Minas Gerais no século XIX

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
administração
Faculdade
FACECA/FADIVA

Informações do trabalho

José Antônio P.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
monografia
Número de páginas
25 páginas
Nível
Para todos
Consultado
2 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Análise historiográfica de Minas Gerais no século XIX
  2. O declínio do ciclo da mineração
    1. A Guerra dos Emboabas
    2. A organização da economia mineira
    3. Os caminhos para as minas
    4. A articulação da economia de Minas Gerais
    5. Os tributos em Minas
    6. Distrito Diamantino
    7. A Economia mineira no final do Século XVIII
  3. A economia mineira no final do século XIII
  4. A economia mineira no final do século XIX
    1. Lavoura
    2. Pecuária
    3. Indústria
    4. A economia do sul de Minas Gerais no século XIX
  5. Conclusão
  6. Referências bibliográficas

Esta monografia tem como finalidade mostrar se a economia mineira no século XIX constituiu-se em economia de crise ou de diversificação.
Ao se analisar a história econômica de Minas Gerais no final do século XIX, percebemos que Minas Gerais não teve um crescimento econômico homogêneo, em que uma determinada região pudesse articular e liderar as outras regiões, no sentido de integração de seu mercado. Todavia, o que ocorreu em Minas Gerais foi um desenvolvimento descontínuo, na qual a integração de suas microrregiões, no plano econômico, não foi estimulado.
Estudar a economia mineira no século XIX é muito importante porque o crescimento heterogêneo e disperso da economia mineira, trouxe conseqüência dispersas (positivas e negativas) para suas micro-regiões, a partir das primeiras décadas do século XIX , quando o país iniciou seu processo de integração do mercado interno. Além do mais, no âmbito econômico, ocorre uma transição no movimento de industrialização, que antes, induzida pelo setor exportador, passa a partir desse período, a se voltar para a dinâmica do mercado nacional.
O estudo da economia mineira no século XIX faz-se de grande relevância para a História do Brasil e de Minas, pois foi nesta época que a economia mineira realmente se fez significativa, tendo apenas aperfeiçoado até os dias de hoje.
Muitos foram os autores que deram sua contribuição acerca da economia mineira no século XIX. Fazer-se-á a análise de alguns deles, a fim de que possamos chegar a uma conclusão acerca do desenvolvimento econômico de Minas Gerais no Século XIX.
Para alcançarmos o objetivo proposto, este estudo foi dividido em quatro etapas a saber: a primeira etapa fala sobre Minas na visão dos historiadores, a segunda fala sobre a decadência do ciclo da mineração, a terceira parte analisa minas no final do século XIX e a quarta e última etapa analisa os vários segmentos da economia de Minas Gerais que precisou diversificar-se para suprir a lacuna deixada pela decadência da mineração.
A metodologia empregada neste trabalho será exclusivamente qualitativa, utilizando-se de vasta pesquisa bibliográfica em obras pertinentes ao assunto abordado.

[...] A metodologia empregada neste trabalho será exclusivamente qualitativa, utilizando-se de vasta pesquisa bibliográfica em obras pertinentes ao assunto abordado ANÁLISE HISTORIOGRÁFICA DE MINAS GERAIS NO SÉCULO XIX Ao se fazer uma análise historiográfica de Minas após a crise da mineração, nota-se que alguns historiadores defendem a idéia de que Minas estava em decadência, pelo fato da população ter abandonado as minas rumo aos grandes centros . Outros historiadores, porém, acreditam que a economia de Minas não entrou em decadência com o término da mineração por causa do grande número de escravos, existentes em diversas atividades econômicas. [...]


[...] A crescente importância econômica faz dos produtores de café de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais o centro da elite dirigente do império e da república, até quase a metade do século XX. Quando a produção de cana-de-açúcar entrou em crise, veio a expansão cafeeira Das pequenas plantações nas vizinhanças da Corte, entre 1810 e 1820, os cafeeiros espalham-se por todo o vale do Rio Paraíba, primeiro na parte fluminense e depois na parte paulista e no sul de Minas. [...]


[...] A quase completa ignorância dos mineradores conhecimento que se tinha era fruto da experiência) e a utilização pouco freqüente de novas técnicas, por falta de interesse e de capital, selaram o destino das minas no Brasil. A atividade se manteve porque a área de exploração era grande e as explorações foram conquistando essa região até que ela se exaurisse completamente nos inícios do século XIX. À Coroa só interessava o quinto. Assim, a partir de 1824, já na época do Brasil independente, concedeu-se o direito de prospecção a estrangeiros, que recomeçaram a explorar com melhores recursos técnicos e mão-de-obra barata A Economia mineira no final do Século XVIII A partir da decadência da mineração na segunda metade do século XVIII, a agricultura exportadora voltou a ocupar posição de destaque na economia colonial. [...]

Mais Vendidos história

Processo de industrialização e formação capitalista do Brasil - 1930-1945

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Estudo   |  07/05/2007   |  BR   |   .doc   |   8 páginas

Últimos trabalhos história

O discurso da imprensa sobre o complexo penitenciário da Papuda em Brasília, de 1979 aos nossos...

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Monografia   |  30/03/2009   |  BR   |   .doc   |   50 páginas

As duas faces de Winston Churchill

 História/geografia e idiomas   |  História   |  Fichamento   |  23/03/2009   |  BR   |   .doc   |   8 páginas