FacilitaJa
Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

A crônica e o estilo humorístico de Luiz Fernando Veríssimo

Lingüística A crônica e o estilo humorístico de Luiz Fernando Veríssimo

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
outros
Faculdade
UNIFENAS

Informações do trabalho

Marcos Botega S.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
monografia
Número de páginas
29 páginas
Nível
Para todos
Consultado
303 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. A crônica: sua história e singularidas a um gênero
  2. A ironia: sua origem e teoria e a capacidade de combinação
  3. O cronista Luís Fernando Veríssimo

Falar sobre a ironia a sobre a crônica e não mencionar a figura ilustre de Luís Fernando Veríssimo é negar propriamente a Literatura Brasileira. No entanto, esta pesquisa visou não só falar da crônica e da ironia enquanto características da obra de Veríssimo, mas mais ainda, verificar e analisar suas obras, em um tema que visasse apresentar a crônica e o estilo humorístico das obras de Veríssimo. Para isso, como se poderá notar no copo do texto, primeiramente foi feita uma análise sobre a crônica em específico, apresentando sua história e suas singularidades e como pode ser considerado um gênero brasileiro. Logo após, foram expostas análises sobre a ironia, apresentando também suas origens e teoria e a capacidade que ela tem de combinação com a crônica. No último capítulo que engloba o texto foi feita uma análise do escrito em específico, apresentando suas características e a presença da ironia nas crônicas. Dessa maneia, tentou-se explanar um pouco do que se sabe e se conhece sobre o cronista Luís Fernando Veríssimo.

[...] Luís Fernando Veríssimo utiliza não só o humor, mas também a mimese irônica em suas crônicas, que é imitar o estilo ou o ponto de vista de outrem, mas o que se pretende é criticar o que se mimetiza. A intenção do que é dito é fundamental para a expressão da ironia. A presença do ironista é imprescindível, não há ironia sem ironista. Ele percebe dualidades ou múltiplas possibilidades de sentido e explora as situações com enunciados irônicos. Na obra de Veríssimo, é comum verificarmos esse uso particular da ironia em suas personagens, que estão sempre imitando estilos e patrões típicos, como ocorre, por exemplo, em: O analista de Bagé, A velhinha de Taubaté etc. [...]


[...] A internet utiliza as crônicas de incontáveis escritores nas mensagens por e-mail e como apoio para vários sites que precisam de textos curtos, numa linguagem acessível para o leitor, permitindo veicular mensagens, através de blogs, comunidades como o orkut etc. Trata-se, portanto, de textos que não são outra coisa que pequenas crônicas disfarçadas. A televisão, o cinema e o teatro brasileiros também recorrem ao universo cronístico. Programas de TV como Os normais e A grande família, veiculados pela TV Globo, são seleções de cenas sobre o cotidiano da família e sua relação com os problemas do mundo contemporâneo. [...]


[...] CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta dissertação, recorremos aos textos de Luís Fernando Veríssimo por acreditar que ele conseguiu, com seu traço característico, que é a ironia e o humor, conferir à crônica, esse gênero por muitos menosprezados, seu valor literário. Embora seja curta, de fácil e rápida leitura, a crônica exige uma grande habilidade do escritor, Veríssimo, talvez por sua conhecida timidez, considera-se mais jornalista que escritor, mas é tido como um dos grandes nomes da literatura nacional. Para haver ironia, a interação com o receptor é essencial. [...]

...

Últimos trabalhos lingüística

A gramáticas e suas implicaturas

 Psicologia e letras   |  Lingüística   |  Estudo   |  07/10/2008   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

A aquisição da linguagem - teorias e fatos

 Psicologia e letras   |  Lingüística   |  Estudo   |  04/10/2008   |  BR   |   .doc   |   8 páginas