Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

O autor (não) encontrado de seis personagens à procura de um autor

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
educação
Faculdade
Unicamp

Informações do trabalho

Bruna S.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
8 páginas
Nível
Para todos
Consultado
3 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. O que é um Autor?
  2. Estamos à Procura de um Autor
  3. Dissensão
  4. O Diretor
  5. Os Seis Personagens
  6. Desce o Pano

O presente trabalho foi realizado a partir de questionamentos acerca da obra de Luigi Pirandello, Seis Personagens à Procura de um Autor, estreada em 1921. A peça conta-nos a história de seis personagens que invadem o ensaio de uma outra peça de Pirandello e insistem em representar suas vidas legítimas, propondo ao Diretor do teatro que assuma o papel de autor.
Baseando-se na ?função autor? apresentada por Michel Foucault na Análise do Discurso, este trabalho questiona qual o papel do autor procurado pelos seis personagens da obra em foco. A partir desta comparação, há então um enfoque sobre o papel do Diretor do teatro e dos personagens, a diferença entre eles e os atores, e, por fim, se eles (personagens) encontram o autor procurado.
A obra de Foucault que recebe este mesmo título (1992), introduz na Análise do Discurso o conceito de função-autor. Ao mesmo tempo em que há o apagamento do autor ? Quem importa quem fala? ?, segundo Foucault, não se pode, evidentemente, dizer que o autor não existe, e nem que este se reduz à uma função. O introdução da função-autor serve para que se possa analisar não o sujeito, mas o autor.
A entrada dos seis personagens (Pai, Mãe, Enteada, Filho, Menina e Rapazinho) provoca um grande estranhamento no Diretor, que, neste momento, estava no meio de um ensaio.
A relação texto-autor, proposta por Foucault, aponta, como tema bastante familiar, o parentesco entre a escrita e a morte. Primeiramente, a escritura perpetuava a imortalidade ? como acontecia nas epopéias gregas. Mas, de alguma forma a nossa cultura metamorfoseou este tema, que agora está ligada ao sacrifício e morte do seu autor. Há o apagamento do autor para que nasça a obra ? e não a busca pelo autor, como fazem os seis personagens.

[...] 349) Os personagens, diferentemente dos homens, apresentam o seu próprio Foucault menciona em sua obra a característica imanente a todos os homens da sua pluralidade de inclusive pertencente ao autor um ser que ocupa uma posição sócio-histórica, e que é, portanto, afetado por ela. Dada esta identidade do personagem, não nos é possível a afirmação de que estes sejam os autores. Desce o Pano Ao fim da peça, dá-se a seguinte situação: o Rapazinho e a Menina estão mortos; a Mãe persegue o Filho, com os braços estendidos para ele; o Pai permanece com os dois, e a Enteada solta uma gargalhada estridente enquanto olha os outros três, e sai correndo pelo corredor. [...]


[...] O Diretor Analisemos, por um momento, este personagem da obra que pode ser considerado por alguns como autor (dos seis personagens). No primeiro instante, dada a interrupção do ensaio pelos seis personagens, o Diretor não se mostra receptivo nem interessado em ouvir a história dos mesmos. Após o momento mostrado em Trecho o Diretor propõe um intervalo para analisar a possibilidade de escrever a tal peça. Na volta do intervalo, ele já está comandando o grupo para que a escritura aconteça dá ordens aos atores para estarem atentos aos seus papéis, ao Ponto, para redigir as falas, e até aos seis personagens, para iniciarem sua performance. [...]

Últimos trabalhos literatura

Aspectos da Contradição: Definições e sua Presença em Textos de Ensino Médio

 Psicologia e letras   |  Literatura   |  Estudo   |  18/04/2011   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Ficha de leitura sobre "Capitães de areia" de Jorge Amado

 Psicologia e letras   |  Literatura   |  Fichamento   |  03/01/2010   |  BR   |   .doc   |   6 páginas