Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

O ensino da literatura: problemas enfrentados

Informações sobre o autor

Consultoria - Consultoria - Gerência de Recursos Humanos
Nível
Especializado
Estudo seguido
Mestrado...

Informações do trabalho

Marta O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
monografia
Número de páginas
49 páginas
Nível
Especializado
Consultado
2 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Concepções da linguagem
    1. Conceito de leitura
    2. A leitura para a interação crítica transformadora
    3. Piaget e o ensino da leitura
    4. A escola e seu papel na leitura
    5. Comentários sobre a prática da leitura
  2. Os cuidados com o ensino da leitura
  3. A leitura no contexto familiar
    1. Recursos metodológicos
    2. Apresentação de resultados

A linguagem, por seu sentido social, vem merecendo através dos tempos, uma alta valorização por parte dos professores. Diante desta afirmação perguntamos:
Qual será a causa que faz com que cada vez mais encontremos na oralidade e escrita dos jovens uma realidade de deficiência de vocábulos, pobreza de criatividade, dificuldades de colocar no papel sua visão e sentimentos, seus conhecimentos?
Até que ponto o ensino de leitura é responsável por este quadro?
Por que existem grandes dificuldades e problemas no ensino da leitura, principalmente no ensino fundamental?
Quais serão os fatores que incidem nas dificuldades de leitura?
Tendo em vista as dificuldades encontradas nos alunos com relação à expressão oral, redacional e mesmo captação de informações é que decidiu-se por um estudo onde se possa detectar as causas principais dos problemas de leitura.
Considerando que os alunos nas últimas séries de cada fase já podem (e deve), realizar trabalhos de pesquisa e de interpretações e esse domínio fará com que ele chegue ao colegial preparado para um ritmo mais avançado de estudos, busca-se com esta pesquisa averiguar o porquê das dificuldades e como saná-las, pois diante desse quadro vê-se o problema da leitura como um fator muito sério e merecedor de análise.
Para facilitar o trabalho tornando-o plausível de uma conclusão delimitou-se a análise para o 1º grau, concentrando-se nas 3ª séries,
O objetivo principal é estudar as relações que existem entre as fases do desenvolvimento do pensamento da criança e a realidade didático-pedagógico em sala de aula de forma que se possa analisar a teoria Piagetiana, verificando a relação do ensino da leitura com as habilidades de cada fase, além de averiguar as concepções de leitura dos professores nas salas de aulas visitadas, buscando comparar os resultados levantados com as fases de desenvolvimento do pensamento e leitura propostas por Piaget e estabelecer relações entre a teoria e a prática, analisando as características de cada uma, na superações dos problemas.
Este estudo será desenvolvido através de visitas às salas de aulas da 3º série em escolas estaduais, entrevistas com as professoras e a aplicação de atividades para os alunos, além de um levantamento bibliográfico, sem que com isso tenha a pretensão de concluir o assunto, mas sim suscitar dúvidas, questionamentos e busca de aprimoramento para o ensino da leitura.

[...] Acredita-se que o ensino da leitura deva vir primeiro que qualquer outro tipo de atividade em sala, pois ela é pré-requisito para que o aluno relaciona e perceba a importância que tem o ensino para a sua vida. Só assim o indivíduo será capaz de ler nas entrelinhas todo tipo de discurso que encontrar. É urgente que nas escolar a preocupação esteja voltado para o sentido de priorizar a leitura em sala de aula, de forma a levar os alunos a comentar, de modo crítico, todo tipo de informação a que têm acesso, quer seja na modalidade oral ou na escrita, pois parece-nos ser fundamental que o professor de língua portuguesa reconheça a importância do desenvolvimento da leitura no primeiro grau. [...]


[...] O homem da paciência perdida virou prá uma das mocinhas e apontou prá Barbuda: Eu não posso mais falar com ela. Agora se eu falar é prá brigar. Eu vou brigar de igual prá igual, ela não usa barba? Fala você. Mostra o tamanho da fila. A mocinha era meio tímida, mas como estava também com pressa, chegou junto de Barbuda, pediu licença, explicou que tinha uma porção de gente querendo falar, e todo o mundo com muita pressa. Barbuda ainda mais aflita: eu sei, moça mas o que é que eu posso fazer? [...]


[...] Compreensão do texto A que características da tia Brunilda o texto dá destaque? Raquel achava maravilhoso ou estranho sua tia estar sempre comprando, comprando? Por quê? Cite uma frase do texto para provar sua resposta. Você conhece alguma pessoa que tem a mesma mania d tia de Raquel? Conte a história para nós. Não precisa falar o nome verdadeiro da pessoa. Invente um nome para ela. Quando tio Júlio dizia que ela gastava muito, qual era a reação de tia Brunilda? [...]

Últimos trabalhos literatura

Aspectos da Contradição: Definições e sua Presença em Textos de Ensino Médio

 Psicologia e letras   |  Literatura   |  Estudo   |  18/04/2011   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Ficha de leitura sobre "Capitães de areia" de Jorge Amado

 Psicologia e letras   |  Literatura   |  Fichamento   |  03/01/2010   |  BR   |   .doc   |   6 páginas