Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Estado e políticas sociais no contexto da crise contemporânea do capital e o câncer

Informações sobre o autor

ASSISTENTE SOCIAL EM UNIDADE HOSPITALAR ONCOLOGICA
Nível
Especializado
Estudo seguido
ESPECIALIST...

Informações do trabalho

Valéria O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
pdf
Tipo
estudo
Número de páginas
13 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Estado e políticas sociais no contexto da crise contemporânea do capital e o câncer

Quando pensamos no câncer, somos levados, majoritariamente, a pensar apenas na patologia, na doença crônica terminal e degenerativa, e muito raramente fazemos uma relação da doença com a reprodução social e o desenvolvimento do sistema Capitalista. Do ponto de vista da medicina, entende-se o câncer como uma doença crônica degenerativa, que se caracteriza pela perda do controle da divisão celular e pela capacidade de invadir outras estruturas orgânicas. A doença pode estar relacionada a diferentes fatores: sociais, ambientais, e genéticos. Dentre os fatores ambientais e sociais, podemos destacar as mudanças ocorridas no mundo do trabalho, o advento da indústria, a poluição, as mudanças alimentares etc. configurando assim a relação câncer e capitalismo. Observa-se que nos últimos 30 anos, segundo o Instituto Nacional de Câncer - INCA, com o advento da industrialização, da urbanização e dos avanços tecnológicos, houve modificações nos hábitos de vida populacional, cultural e sanitária do país, estimulados pela globalização dos mercados e da comunicação. Estes fatos resultaram em um grande aumento de doenças e agravos não transmissíveis, como os diabetes, o câncer, as doenças cardiovasculares, os traumas, entre outros. Dando-se um enfoque especialmente ao câncer, vale ressaltar que em todo o mundo esta doença tem alcançado o patamar de 12% das causas de mortes, considerando que nos paises desenvolvidos os números chegam a 10 milhões de casos novos ao ano, enquanto que nos paises em desenvolvimento, como o Brasil, esses números chegam a 5 milhões e meio ao ano. O que é mais alarmante nesses dados, é que no Brasil, assim como nos paises desenvolvidos, há uma relação em que se combinam doenças com a pobreza, refletindo assim as contradições do processo de desenvolvimento do país. Nesse contexto, cabe ao Estado criar políticas sociais no enfrentamento da ?questão social?, com o intuito de suprir as necessidades do trabalhador que vende sua força de trabalho. Partindo dessa relação intrínseca (Capital, Estado e o Câncer), nos propomos estudar a concepção de Estado na sociedade contemporânea, desde a sua gênese à concepção de Estado Mini-Max; o papel dos organismos financeiros internacionais ? FMI e Banco Mundial - na definição das políticas sociais brasileiras e as reformas e contra- reformas: o desmonte das políticas sociais brasileiras, especificamente a política de saúde.

[...] Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Disponível em www.scielo.br/pdf/ccedes/v21n55/5539.pdf acesso em 26 de abril de 07. Cadernos Cedes, ano XXI, nº 55, novembro/2001, p. 30-41. LESSA, S. Neo-Liberalismo e os limites entre a negociação e a capitulação: A greve das universidades Federais Maceió-Alagoas. LEITE, J. L.; RODRIGUES, M. P. Questão Social e Saúde na Atualidade: reflexões acerca da AIDS e da saúde mental. Consulta eletrônica, disponível em: em 15 de agosto de 2004. MÉSZÁROS, I. O século XXI socialismo ou barbárie? [...]


[...] 31) apesar das políticas públicas sociais serem implementadas e reguladas pelo Estado às mesmas não devem ser reduzidas, meramente a políticas estatais, em sua compreensão ?políticas sociais se referem a ações que determinam o padrão de proteção social implementado pelo Estado, voltadas, em princípio, para a redistribuição dos benefícios sociais visando a diminuição das desigualdades estruturais produzidas pelo desenvolvimento socioeconômico? Políticas Públicas Sociais As políticas públicas sociais têm suas gêneses no século XIX, com o capitalismo monopolista, mais especificamente à Pós-Segunda Guerra, quando se têm um reconhecimento da questão social inerente as relações sociais no modo de produção do *Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas; Especialista em Serviço Social em Oncologia pelo Instituto de Câncer/RJ e Mestranda em Serviço Social pela UFAL. [...]


[...] o Conselho Nacional de Saúde e os Rumos da Política de Saúde Brasileira: mecanismo de controle social frente às condicionalidades dos organismos financeiros internacionais 343f. Tese (Doutorado em Serviço Social) Universidade Federal de Pernambuco, Recife CORREIA, M. V. C. Desafios para o Controle Social: subsídios para capacitação de conselheiros de saúde. Rio de Janeiro. Ed. Fiocruz CORREIA, M. V. Costa. Que controle social na política de assistência social? Rev.Serviço Social e Sociedade, nº ano XXIII, Cortez p.119-144. *Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas; Especialista em Serviço Social em Oncologia pelo Instituto de Câncer/RJ e Mestranda em Serviço Social pela UFAL. [...]

Mais Vendidos assuntos sociais

Resenha do livro "A cultura do dinheiro" de Fredric Jameson

 Sociedade   |  Assuntos sociais   |  Fichamento   |  17/10/2006   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Últimos trabalhos assuntos sociais

Como Trabalhar com a Sexualidade de um Aluno Especial

 Sociedade   |  Assuntos sociais   |  Estudo   |  30/12/2012   |  BR   |   .doc   |   26 páginas

A História da Globalização

 Sociedade   |  Assuntos sociais   |  Estudo   |  03/11/2011   |  BR   |   .doc   |   8 páginas