Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Lukács: método e seu fundamento ontológico.

Informações sobre o autor

ASSISTENTE SOCIAL EM UNIDADE HOSPITALAR ONCOLOGICA
Nível
Especializado
Estudo seguido
ESPECIALIST...

Informações do trabalho

Valéria O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
pdf
Tipo
estudo
Número de páginas
5 páginas
Nível
Especializado
Consultado
74 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Estado e políticas sociais no contexto da crise contemporânea do capital e o câncer

No texto: Lukács: O método e seu fundamento ontológico, Lessa refletem a cerca do método, baseado no pensamento de Lukács a partir de Marx. Segundo ele, as discussões a cerca do método vão desde a lógica formal aristotélica, à garantia da verdade defendida no século XX. Contudo Lessa ressaltam que o método não pode ser a garantia da verdade, pois, segundo Lukács, o real, é o critério da verdade, pois segundo eles, se considerarmos o método como a garantia da verdade, a realidade será o que nós criarmos em nosso próprio conhecimento gnosiológico/fenomenológico. Nesse sentido, Lessa, aponta que se Lukács estiver correto, a esfera resolutiva do problema é dada pela função social do método e não pela lógica dedutiva como afirma a gnosiologia.

[...] O FUNDAMENTO ONTOLOGICO DO CAMINHO DE E DE Neste tópico Lessa explica porque o processo de conhecimento opera no percurso de e de segundo ele para Lukács, no movimento de descobrimento do real, o método de e de se impõe como o procedimento típico da subjetividade, dado a necessidade a ela imposta pelo real. O autor chama à atenção a seguinte consideração: que todo objeto é sempre uma síntese de múltiplas determinações, dentre estas, destacam-se duas: Primeiro: que não há objeto que não consubstancie uma síntese entre as determinações universais e as singulares; considerando que singularidade, particularidade e universalidade, são dimensões objetivas, efetivamente existente do real, ou seja, não há universalidade que não seja síntese da singularidade, assim como não pode existir singularidade que não seja participe de um universal, e como bem destaca o autor, entre a singularidade e a universalidade se desdobram as mediações reais que constituem a particularidade. [...]


[...] Lessa enfoca que, para Marx, segundo Lukács: desenvolvimento; Tanto o sujeito como o objeto tem suas determinações históricoNão há conhecimento absoluto para além da história, tendo em vista que o conhecimento é parte integrante da história e esta estar em constante ontologicos distinto, portanto reconhecer o caráter histórico de cada um não implica conhecer suas identidades históricas; A produção do conhecimento é radicada pela relação sujeito- objeto isto é possível no interior da práxis social = o trabalho; O processo de conhecimento é fundado na relação entre teleologia e casualidade peculiar à práxis humana = o trabalho CONCLUSÃO: Segundo Lessa, o que particulariza a concepção de Lukács é ter na ontologia seu fundamento último, e ainda, não há em Lukács um abismo entre *Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas; Especialista em Serviço Social em Oncologia pelo Instituto de Câncer/RJ e Mestranda em Serviço Social pela UFAL. [...]

Mais Vendidos assuntos sociais

Resenha do livro "A cultura do dinheiro" de Fredric Jameson

 Sociedade   |  Assuntos sociais   |  Fichamento   |  17/10/2006   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Últimos trabalhos assuntos sociais

Como Trabalhar com a Sexualidade de um Aluno Especial

 Sociedade   |  Assuntos sociais   |  Estudo   |  30/12/2012   |  BR   |   .doc   |   26 páginas

A História da Globalização

 Sociedade   |  Assuntos sociais   |  Estudo   |  03/11/2011   |  BR   |   .doc   |   8 páginas