Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Geopolítica da Venezuela

Informações sobre o autor

A
Nível
Especializado
Estudo seguido
A

Informações do trabalho

Marta O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
12 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Características gerais: de territoriais às históricas
    1. Quadro físico e populacional
    2. Independência e fragmentação territorial
    3. Breve histórico da política presidencial
  3. Petróleo: a riqueza venezuelana
  4. A venezuela de hugo chavéz
    1. O golpe
    2. A Venezuela pós referendo de 2004

A chegada de colonizadores à América representou uma nova e decisiva fase da ocupação do continente. As diversas formas assumidas pela colonização permitem entender os diferentes níveis de desenvolvimento dos países americanos ainda hoje.
De modo geral, pode-se dizer que o modelo econômico exportador introduzido por portugueses e espanhóis na maior parte do território continental não permitiu a integração entre as regiões conquistadas.
Ao contrário do que ocorreu com as terras conquistadas pelos portugueses, que resultou num único país (Brasil), a América Espanhola deu origem a vários países, cujas fronteiras são herança do período colonial.
A Venezuela foi um desses países colonizado pela Espanha. Localizada na América do Sul, a República da Venezuela, faz parte da chamada América Andina, porque no seu território encontra-se um trecho constituído pela cordilheira do Andes. Limita-se ao norte pelo mar do Caribe, a leste com o oceano Atlântico e Guiana, ao sul com o Brasil e a sudoeste e oeste com a Colômbia. É a nação andina com melhor nível de vida.

[...] A aproximação de Chávez com Fidel Castro, presidente de Cuba (país que recebe petróleo da Venezuela a preços especiais) e a freqüente retórica anti-Washington também sempre desagradaram os EUA presidente George W. Bush não concorda com as políticas adotadas pelo governo venezuelano). No início de 2002, Chávez passou a enfrentar várias manifestações populares encabeçadas por diferentes setores, principalmente o petrolífero, o que deu à oposição aliados importantes, como militares de média patente no país. Foi nesse contexto de crise, agravado por pronunciamentos anti- governamentais de chefes militares dissidentes, que Chávez nomeou, em 25 de fevereiro de 2002, um novo corpo de diretores para a Petroleos de Venezuela, a gigantesca estatal do setor petroleiro, principal empresa do país. [...]


[...] A venezuela de hugo chavéz A arrasadora vitória eleitoral de Chávez em dezembro de 1998, que recebeu 58% dos votos válidos, com o apoio dos setores mais pobres da população, propondo uma ?Revolução Democrática Bolivariana?. Assume a Presidência em 1999 para um mandato de cinco anos e assina um decreto para que um referendo seja realizado para convocar uma Assembléia Constituinte. Mais de 80% dos venezuelanos são favoráveis à criação de uma nova Assembléia Constituinte. Conquista maioria na Assembléia, tomando 121 das 131 cadeiras nas eleições. [...]


[...] Natália Maciel (2006) comenta que dentre as estratégias de segurança norte-americanas, acerca da relevância de levar democracia e a liberdade para os povos oprimidos por governos tirânicos? aparece a Venezuela como sendo uma ameaça. Segundo Maciel (2006, p. Chávez enfrentou a oposição encastelada no poder há séculos numa área de combate digna dos tempos antigos. Saiu vitorioso do golpe de Estado apoiado pelos EUA, por não ter repetido os erros da velha esquerda: a falta de apoio popular. Neste sentido uma nova preocupação parece emergir na agenda de segurança norte-americana com relação à América Latina: a desestabilização potencial da região representada pelo apoio do eixo Chávez-Fidel aos ?movimentos esquerdistas' na região. [...]

Mais Vendidos ciências políticas

Resumo critico WALTZ, Kenneth N. Teoria das Relações Internacionais. Lisboa: Gradiva, 2002. Cap.5

 Sociedade   |  Ciências políticas   |  Fichamento   |  15/01/2010   |  BR   |   .doc   |   3 páginas

Ficha de Leitrura: La Escuela del Mundo al Revés

 Sociedade   |  Ciências políticas   |  Fichamento   |  05/01/2012   |  BR   |   .doc   |   6 páginas

Últimos trabalhos ciências políticas

Ficha de Leitrura: La Escuela del Mundo al Revés

 Sociedade   |  Ciências políticas   |  Fichamento   |  05/01/2012   |  BR   |   .doc   |   6 páginas

Resumo critico WALTZ, Kenneth N. Teoria das Relações Internacionais. Lisboa: Gradiva, 2002. Cap.5

 Sociedade   |  Ciências políticas   |  Fichamento   |  15/01/2010   |  BR   |   .doc   |   3 páginas