Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Jogos cooperativos

Informações sobre o autor

autônoma
Nível
Especializado
Estudo seguido
Letras

Informações do trabalho

Montserrat C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
12 páginas
Nível
Especializado
Consultado
690 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Histórico do professor de educação física no Brasil
  2. Jogos cooperativos
    1. Definições ?jogo? (jogos cooperativos)
  3. Jogos entre escola, pais e filhos
  4. Conclusão

Os jogos sempre estiveram associados à educação e a criança e sempre constituíram uma forma de atividade do ser humano. Os jogos recreiam e educam ao mesmo tempo.
Ao pesquisarmos ao longo da história encontramos que a relação entre o jogo e a educação são antigas, Gregos e Romanos já falavam da importância do jogo para educar a criança. Portanto, a partir do século XVIII que se expande a imagem da criança como ser distinto do adulto o brincar destaca-se como típico da idade.
As brincadeiras e jogos acompanham a criança pré-escolar e penetram nas instituições infantis criadas a partir de então. Nesse período da vida da criança, são relevantes todos os aspectos de sua formação, pois como ser bio-psico-social-cultural dá os passos definitivos para uma futura escolarização e sociabilidade adequadas como membro do grupo social que pertence.
Sua personalidade começa a consolidar-se: o autocontrole e a segurança interna começa a firmar-se.
Benjamin (1984), filósofo alemão nos mostra como a educação infantil deve levar em consideração o espírito alegre da criança, o seu jeito de ser, onde o aprendizado, como tudo, significa pela sua própria natureza, uma aventura e propõe o jogo como a principal atividade infantil para o seu desenvolvimento.
Sabemos que brincando a criança pode adentrar no mundo do adulto pela via da representação e da experimentação e o espaço da instituição (da escola) deve propiciar sempre estes momentos de trocas, de vida e interação.
Sendo assim, a escola deve pensar em propiciar os materiais necessários para que isso seja possível, e o professor deve ser o mediador, aquele que os seleciona, produz e organiza.
Piaget acredita que os materiais utilizados são de suma importância para facilitar a interação social e assim desenvolver, na troca das relações, o desenvolvimento afetivo e cognitivo nos diferentes estágios de desenvolvimento das crianças.
O tema ?Jogos Cooperativos na Escola? foi escolhido como forma de apresentar como sistematizar a prática a partir de novos enfoques para educação no Ensino Fundamental, isto é, procurar algumas estratégias novas para poder trabalhar os jogos com as crianças.

[...] O tema ?Jogos Cooperativos na Escola? foi escolhido como forma de apresentar como sistematizar a prática a partir de novos enfoques para educação no Ensino Fundamental, isto é, procurar algumas estratégias novas para poder trabalhar os jogos com as crianças. O objetivo é desenvolver a partir dos elementos organizadores, um processo de análise do significado teórico-prático do jogo cooperativo na educação do Ensino Fundamental nas crianças de 6 a 10 anos. A problemática aqui apresentada: ?Será que os jogos cooperativos podem contribuir na formação moral e psicológica da criança??. [...]


[...] O envolvimento dos pais nos jogos cooperativos é de vital importância tanto para as crianças, em termos de desenvolvimento emocional e acadêmico, quanto para eles próprios. É bom que os pais saibam como eles podem fazer uma diferença. Portanto, é importante ao profissional que trabalhe com crianças, atentar para os períodos de desenvolvimento humano conhecendo as características comuns de uma determinada faixa etária com à qual se pretenda atuar, objetivando assim o desenvolvimento de um trabalho consciente, funcional e satisfatório, observando os aspectos físicos, intelectuais, afetivos e sociais de seus alunos, respeitando sempre a individualidade de cada um, principalmente atentando para o fato de que a criança não é um adulto em miniatura e conseqüentemente não deverá ser exigido dela um comportamento além de suas capacidades. [...]


[...] Segundo Corte (2001), o surgimento dos Jogos Cooperativos no Brasil foi impulsionado, a partir de 1980, graças ao movimento mundial. Desde então, começou o interesse pelo assunto Definições (Jogos Cooperativos) A palavra "jogo", dentro das bibliografias publicadas, tem diversos significados, mas no entendimento geral, é que jogos são atividades praticadas em grupos. No mundo globalizado de hoje é impossível, não encontrar uma pessoa, que não saiba uma regra de um jogo qualquer. Um jogo é definido por Piaget (1987) como um conjunto de regras que estabelece seus cinco elementos constitutivos: o número de participantes; as ações ou estratégias possíveis; os resultados de cada jogador; a função que permite a cada parte combinar suas estratégias e a relação de preferências de cada um diante dos resultados. [...]

Estes documentos podem interessar a você

Jogos cooperativos na educação física

 Sociedade   |  Educação física   |  Estudo dirigido   |  07/08/2007   |  BR   |   .doc   |   22 páginas

Últimos trabalhos educação física

Avaliação Física Escolar: Uma Identidade Urgente Para A Prática Da Educação Física

 Sociedade   |  Educação física   |  Artigo   |  08/12/2010   |  BR   |   .doc   |   4 páginas

Futsal como tema na educação física escolar

 Sociedade   |  Educação física   |  Estudo   |  27/02/2010   |  BR   |   .doc   |   11 páginas