Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

A musicalidade no planejamento didático infantil

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
outros
Faculdade
CASTELO BRANCO

Informações do trabalho

Armênio C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
15 páginas
Nível
Para todos
Consultado
5 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. A criança e a música
  3. Educar com música
  4. A música no desenvolvimento humano
    1. Aspecto físico e da preservação da saúde
    2. Aspecto da integração social
    3. Aspecto psicológico
  5. A música e a aprendizagem
    1. Nível de maturidade
    2. Motivação
    3. Situação de aprendizagem
  6. A música no planejamento didático
    1. A Música como Recurso no processo ensino - aprendizagem
    2. A Música como formadora da Cidadania
    3. A Música como Elemento Disciplinador
    4. A Música como Elemento Recreador
    5. A Música como Atividade Criadora
    6. A Música como auxiliar do Desenvolvimento Rítmico
    7. A Música como auxiliar na formação do Senso Estético
  7. Considerações finais
  8. Referências bibliográficas

A música, por si só, transmite alegria, provoca emoções. Não há quem não a aprecie e fique insensível a seus efeitos. Mesmo que não tenha aptidão para cantar, dançar, tocar instrumentos, muitos gostam apenas de ouvi-la.
A predisposição da criança para a música acontece desde cedo. Ela vivencia no ambiente familiar as primeiras manifestações da música, com as cantigas de ninar, tão comuns a todas as crianças.
À medida que ela vai se desenvolvendo, o seu universo musical vai se ampliando, através dos movimentos da dança e algumas pelo interesse aos instrumentos musicais.
A música é um recurso muito importante, que contribui para o desenvolvimento do ser humano. Podemos constatar, ela faz parte da história de toda criança, mas é na escola que as suas experiências são vividas mais intensamente, seja como expressão de comunicação, seja como recurso para aprendizagem.
Ao se iniciar na educação escolar, as atividades musicais se constituem no fator mais importante para a sua socialização.
Explorar a musicalidade na sala de aula, é uma forma de despertar a sua capacidade musical e de desenvolver os aspectos cognitivo, emocional e social de sua formação.
Atividades musicais enriquecem os conteúdos disciplinares, à medida que estimulam a participação dos alunos. As aulas passam a ser mais interessantes e agradáveis e o professor tem maiores condições de manter a disciplina da classe, e de promover a aprendizagem de seus alunos.
A criança, de modo especial, tem muito prazer com a música e faz dela parte de suas brincadeiras. Brincando ele interage com os outros e descobre o mundo que a cerca. Então, por que não aproveitar nas atividades educacionais, a música, para ensinar os conteúdos tão necessários à sua aprendizagem, com mais prazer e alegria?

[...] A proposta deste trabalho implica na reflexão sobre a música, no contexto escolar, especificamente na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental. As questões discutidas tratam: da importância da música na dimensão do ser humano e da música no contexto escolar, enfatizando os aspectos do desenvolvimento infantil, em sua totalidade A CRIANÇA E A MÚSICA O ser humano é um ser extremamente sonoro, a começar pela sua comunicação. Ainda no ventre materno, já é capaz de identificar sons como a fala da mãe e/ou do pai. [...]


[...] Se a criança está cantando, tocando ou ouvindo uma melodia, está aprendendo muitas outras coisas, como ritmo, afinação ou a questão dos intervalos A MÚSICA NO DESENVOLVIMENTO HUMANO Em relação à função que a Música exerce no desenvolvimento integral da criança, podemos observar vários aspectos: 4.1 - Aspecto físico e da preservação da saúde O canto envolve uma série de ações que proporcionam o desenvolvimento: da acuidade auditiva, uma vez que do bem ouvir dependerá, em grande parte, a reprodução exata dos sons; do aparelho respiratório, pela necessidade de respiração adequada para o canto; do aparelho fonador, pela emissão correta dos sons, ou seja, pelo canto propriamente dito; Todas essas ações acumuladas trarão, certamente, uma colaboração eficiente ao desenvolvimento físico da criança Aspecto da integração social Observando-se a variedade de grupos a que uma criança pertence e a necessidade que tem de estabelecer um bom relacionamento com os membros desses grupos, nada mais razoável do que auxilia-la nessa tarefa, de forma a fazê-la perceber suas possibilidades e responsabilidades em relação a esses grupamentos. [...]


[...] Utilizam-na sim, em festinhas da turma ou da escola, auditórios ou ainda ?quando sobra tempo? (ou pelo término da matéria prevista no planejamento ou, caso pior, para esperar a hora do recreio ou da saída). Claro está que a Música não só pode, como deve estar presente nas festinhas ou auditórios da escola, mas virá como conseqüência das atividades normais e rotineiras da classe, onde ela aparece articulada com as demais disciplinas. Esta precisa ser uma atividade como outra qualquer, incluída no planejamento do professor, para que seja realmente o elemento vitalizador do ensino, possibilitando o desenvolvimento das habilidades do educando e também suas preferências A Música como Recurso no processo ensino aprendizagem Recurso Incentivador Pode-se dizer que usar a Música como recurso para a incentivação, constitui uma redundância, pois ela atende, de imediato, a uma série de necessidades da criança. [...]

Mais Vendidos educação

A ética da educação

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  14/03/2007   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Cronologia educação no mundo no Brasil de 1500 a 2007

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  27/03/2008   |  BR   |   .pdf   |   96 páginas

Últimos trabalhos educação

Literatura Infantil em Sala de Aula

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  03/07/2013   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

Literatura Infantil

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  18/06/2013   |  BR   |   .doc   |   9 páginas