Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

A musicalização na escola infantil

Informações sobre o autor

A
Nível
Especializado
Estudo seguido
A

Informações do trabalho

Marta O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
9 páginas
Nível
Especializado
Consultado
2 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. A musicalização e os músicos-pedagogos
  3. A importância da educação musical
  4. O papel do educador na musicalização

A escola reproduz a estrutura de classes, mantendo e legitimando o acesso diferenciado à cultura, à arte e à música, ela também é um lugar de conflito, passível de ser transformada. A escola é uma realidade complexa e dinâmica: produto histórico da sociedade na qual se insere, não deixa de influenciá-la, também produzindo essa mesma sociedade. É, portanto um espaço vivo, onde processo de ensino-aprendizagem, no seu fazer-se a cada dia, é um movimento que traz em si a possibilidade do novo.
O ser humano interage com as pessoas e o ambiente valendo-se da fala, da escrita e da linguagem corporal, plástica e musical. A expressão musical é parte integrante de nossa cultura, aparecendo naturalmente em nosso contexto social e educativo. A música é um recurso que contribui para o desenvolvimento cognitivo e emocional da pessoa humana e que merece especial atenção.
Aprender música significa integrar experiências que envolvem a vivência, a percepção e a reflexão, encaminhando-as para níveis cada vez mais elaborados.
Assim, a música é o material para um processo educativo e formativo mais amplo, dirigido para o pleno desenvolvimento do indivíduo, enquanto sujeito social. (PENNA, 1990).
O ensino da música é bastante complexo. A música é a mais vaga e emotiva de todas as artes: pela sua fluidez transforma a natureza em sentimento, não se limitando a apenas interpretar.
A música não é abstrata, nem é pura descarga de emoções; ela é um objeto de conhecimento palpável que deve ser descoberto pelas crianças a partir de seu fazer musical.
A tônica do trabalho pedagógico é possibilitar um ambiente de descobertas e revelação dos imaginários infantis. O contato intuitivo e espontâneo com a expressão musical desde os primeiros anos de vida é importante ponto de partida para o processo de musicalização.
O uso da música em escolas como auxiliar no desenvolvimento infantil tem revelado sua importância. As atividades musicais contribuem para que o indivíduo aprenda a viver na sociedade, abrangendo aspectos comportamentais como disciplina, respeito, gentileza e polidez, aspectos didáticos, com a formação de hábitos específicos, tais como: os relativos a datas comemorativas, as noções de higiene, as manifestações folclóricas e outros.
Não é preciso salientar a importância da Educação Infantil na vida das crianças. Desde a parte emocional, o desenvolvimento motor, a exploração do interesse para aprender, a prática do respeito, do silêncio, da sensibilidade que todos tem, o cuidado com a estrutura da alfabetização. ?Tudo isso é que contribui para se formar um profissional competente, íntegro e, mais ainda, feliz e seguro na sua opção de vida? (MARZULLO, 2001, p. 12).

[...] A música na educação infantil mantém forte ligação com o brincar, com a ludicidade. Em todas as culturas as crianças brincam com a música. Jogos e brinquedos musicais são transmitidos por tradição oral, pois são fonte de vivência e desenvolvimento expressivo musical. Envolvendo o gesto, o movimento, o canto, a dança e o faz-de-conta, esses jogos e brincadeiras são expressões da infância. Brincar de roda, ciranda, pular corda, amarelinha e outros mais são maneiras de estabelecer contato consigo próprio e com o outro, e de trabalhar com as estruturas e formas musicais que se apresentam em cada canção e em cada brinquedo. [...]


[...] Somente com a LDBN de 1996, que considerou a arte como componente obrigatório do currículo da educação básica, a música passa a ser ensinada na escola. Entretanto, nas quatro primeiras séries, o ensino da música é responsabilidade de um professor de classe, não especializado em música. Da quinta à oitava série, as aulas são ministradas por professores formados em Educação Artística, que podem ou não ter habilitação específica em música, e essa é a realidade do atual ensino público. As condições são melhores nas escolas particulares que contratam professores especializados. [...]


[...] Precisa-se tomar consciência de que a música na escola não pode ser simplesmente ornamental para animar as festas, mas deve ser vista com suas dimensões estéticas, sonoras, visuais, plásticas e gestuais, a fim de desenvolver a consciência crítica dos valores humanos e encontrar meios de levar os alunos a atuarem como cidadãos. É bom lembrar que a música está no aqui e no agora em torno de cada ser humano, no dia-a-dia de cada indivíduo. Faz parte da sua história. [...]

Estes documentos podem interessar a você

A importância do ato de cantar para o desenvolvimento integral da criança

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  07/10/2008   |  BR   |   .doc   |   4 páginas

Mais Vendidos educação

A ética da educação

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  14/03/2007   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Cronologia educação no mundo no Brasil de 1500 a 2007

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  27/03/2008   |  BR   |   .pdf   |   96 páginas