Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

O marketing na internet para supermercadistas

Informações sobre o autor

professor P1 e P2
Nível
Especializado
Estudo seguido
letras

Informações do trabalho

De Oliveira J.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
12 páginas
Nível
Especializado
Consultado
2 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. O marketing na internet para supermercadistas
    1. A Evolução dos Indicadores do Setor de Varejo Alimentar
    2. A ação promocional no setor de varejo alimentício
    3. O Comércio Eletrônico
  3. As Vantagens do Marketing na Internet
  4. Conclusão
  5. Referências

Com o surgimento da rede mundial Internet, inaugura-se a possibilidade de aproximação das pessoas de todo o planeta e a possibilidade de ganhos em vários aspectos do processo econômico para empresas de todos os portes. Foi a grande alavanca para o surgimento do comércio eletrônico ou e-commerce e de uma corrida desenfreada pelo marketing eletrônico.
Até bem pouco atrás, o consumidor gastava horas preciosas da semana no supermercado do bairro ou andando por livrarias à procura de um livro especializado ou, ainda, esperando na fila do Banco para pagar algumas contas. Hoje, pode-se fazer as compras pela Internet e recebê-las em casa, em curto espaço de tempo e a um custo reduzido. Cenas como estas estão se repetindo em todo mundo, e a cada minuto.
Observa-se uma nova e abrangente revolução que está transformando nossas vidas, assim como conceitos e velhos hábitos. É a revolução provocada pela economia digital, um movimento mundial que assusta e apaixona, gera descrédito e arrebata, atrai volumosos investimentos e introduz dados novos num cenário econômico, político e social cada vez mais globalizado, algo infinitamente mais complexo e impactante do que possa parecer a quem simplesmente compra livros ou alimentos pela Internet.
Nos dias atuais, sempre que se faz alguma compra e paga-se com cartão de crédito, já está-se fazendo comércio eletrônico. Ao se aceitar um pedido por fax ou encomenda de uma mercadoria, também está-se fazendo comércio eletrônico, ou toda vez que retira-se dinheiro no caixa automático, mais uma vez está-se fazendo comércio eletrônico, ou seja, o comércio eletrônico faz parte de nosso dia-a-dia.
Muitos pensam que o comércio eletrônico apenas está utilizando os recursos tecnológicos para realizar operações tradicionais de compra e venda de uma forma mais rápida do que seria possível sem a utilização destes recursos. Ocorre que muitas das inovações como fax, caixa automático, cartão eletrônico, levaram alguns anos para se firmar no cotidiano das empresas, enquanto que o comércio eletrônico opera-se há pouco tempo entre nós e, com certeza ainda gera insegurança e dúvidas.
Uma revolução silenciosa que está mudando a forma pela qual faremos negócios no século XXI. Em outras palavras, essa revolução, embora positiva, assusta pela rapidez com que as transformações vêm se sucedendo no dia a dia, considerando-se os micro-computadores que vão deixando de ser tema de especialistas para participar da vida diária das pessoas comuns, alterando-lhes o seu modo de vida e a forma de fazer negócio.
Para empresas interconectadas na era da Internet, intranets e extranets, como por exemplo, os supermercados, o comércio eletrônico é mais do que a mera compra e venda de produtos on-line. Em lugar disso, ele engloba o processo on-line inteiro de desenvolvimento, marketing, venda, entrega, atendimento e pagamento por produtos e serviços comprados por comunidades mundiais de clientes virtuais, com o apoio de uma rede mundial de parceiros comerciais.

[...] Para o restante do ano de 2006, a ACNielsen acredita que uma eventual recuperação na renda tenda a levar o consumidor a optar por produtos de maior valor agregado e passe, aos poucos, a dar menos peso a essa cesta de mercadorias com itens mais modestos. Na análise realizada pela ACNielsen, é possível ainda ver o desempenho na demanda por regiões no País. Em tal análise, segundo o Índice Nacional de Volume, a principal área é a que em 2005 representava 22,4% do volume vendido no país, seguida de perto pela área com 21,1%. [...]


[...] Na Era da Informação, a Internet é muito valiosa para encurtar distâncias, facilitar processos e disseminar informações. Os administradores podem utilizar a Internet para muitos fins, desde conhecer os indicadores financeiros, fazer investimentos até fechar transações eletronicamente. A Internet pode melhorar a empresa internamente, através do redesenho de processo. Por exemplo, ela pode mapear os processos existentes, como o processo de compra e melhorá-lo através da Internet. Este exemplo foi apresentado no estudo de caso conforme descrito anteriormente neste artigo. [...]


[...] Esses três programas devem estar bem articulados para reforçarem-se entre si e conseguirem alcançar os objetivos promocionais da empresa: Propaganda: comunicação indireta e impessoal, transmitida por meio de mídia massificada fora da loja e paga por determinado varejista; Promoção de vendas: ferramenta de comunicação impessoal, direta ou indireta, envolvendo o uso de mídia ou marketing sem mídia que oferece um valor extra ao consumidor; Publicidade: comunicação indireta e impessoal veiculada em alguma forma de mídia com informações (positivas ou negativas) sobre determinado produto ou varejista, não paga pelo varejista. [...]

Mais Vendidos educação

A ética da educação

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  14/03/2007   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Cronologia educação no mundo no Brasil de 1500 a 2007

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  27/03/2008   |  BR   |   .pdf   |   96 páginas

Últimos trabalhos educação

Literatura Infantil em Sala de Aula

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  03/07/2013   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

Literatura Infantil

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  18/06/2013   |  BR   |   .doc   |   9 páginas