Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Relações interpessoais em sala de aula visando à otimização da aprendizagem do espanhol

Informações sobre o autor

 
Nível
Para todos
Estudo seguido
outros
Faculdade
CASTELO BRANCO

Informações do trabalho

Armênio C.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
54 páginas
Nível
Para todos
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. O interacionismo
    1. Interacionismo no ensino - aprendizagem de idiomas
    2. Abordagem Inicial
    3. Interacionismo em Enfoques de Ensino-Aprendizagem de Línguas
    4. Ensino Comunicativo da Língua
    5. Aprendizagem Comunitária da Língua
    6. Enfoque Natural
    7. Interacionismo no Ensino-Aprendizagem de Espanhol
  2. A tradução no ensino-aprendizagem de espanhol sob a ótica do interacionismo
  3. Relações Interpessoais
    1. Relações interpessoais e interacionismo
    2. Relações interpessoais, interacionismo e a tradução como instrumento de ensino-aprendizagem de espanhol
  4. A visão dos alunos em questão
  5. Conclusão
  6. Referências bibliográficas

O tema relações interpessoais surgiu de uma inquietude em nossa prática educativa com alunos de nível superior, em grupos de 30 a 60 alunos, quando percebemos que o convívio e as trocas dentro da sala de aula não eram significativos, ou seja, a motivação não correspondia às nossas expectativas, e a aprendizagem era eficaz. Esta experiência levou-nos a questionar se não haveria uma relação estreita entre as trocas pessoais, a motivação, a participação e a aprendizagem mais eficiente do espanhol.
Com essa constatação buscamos aplicar nesses grupos os princípios do interacionismo, de forma experimental, e mudar a aproximação na relação pessoal com os alunos para promover melhor entrosamento. Essa tentativa foi realizada tendo como ponto referencial a nossa experiência em aplicar princípios interacionistas e relacionais, durante 10 anos, em nosso curso particular com grupos de adultos de até 10 pessoas, em que tanto a aplicação da filosofia interacionista quanto o estabelecimento de relações pessoais em sala baseadas na confiança e abertura mútuas entre os alunos e o professor revelaram-se variáveis importantes na aprendizagem efetiva de espanhol.
Surgiu, então, a hipótese de que seria possível fazer a passagem desta experiência para grupos maiores, em que existem alunos menos motivados, já que o espanhol é uma disciplina que faz parte do currículo e, portanto, não escolhida por eles, diferentemente do que acontece no caso de alunos do curso particular (estes últimos procuram o curso por necessidade ou por gostar da língua). Assim, tentamos estabelecer relações efetivas também baseadas na confiança mútua, mudando a clássica hierarquia entre professor e alunos, aquela que provoca o uso de poder e reação contrária a ele, tendo como conseqüência um distanciamento afetivo emocional o que, por sua vez, comprometeria a possibilidade de aplicação de uma abordagem interacionista na prática educativa.
Essa mudança na postura professor-aluno pareceu provocar reações favoráveis na atitude dos alunos em sala de aula e na sua aprendizagem, o que corroboraria os resultados obtidos em grupos menores, porém, essa era observação empírica e sem fundamentação teórica suficiente.
Dentre os instrumentos de ensino-aprendizagem, utilizamos a tradução nos já mencionados curso particular e curso de graduação, aplicando os princípios interacionistas nesta atividade como nas outras que se implementam, percebendo, de forma empírica, que os alunos mediante seu uso têm uma aprendizagem mais efetiva. Isso levou-nos a também querer fundamentar teoricamente a aplicação da tradução nos parâmetros do interacionismo, conjugada com outras atividades e visando a desenvolver as quatro habilidades: fala, escrita, leitura e compreensão auditiva, e pesquisar a sua aplicação como um meio eficaz de ensino-aprendizagem de espanhol em sala de aula. É por esta razão que, num segundo momento, abordaremos o uso da tradução como instrumento em todos os estágios da aprendizagem de espanhol, detalhando as vantagens e as desvantagens que sua aplicação pode implicar.

[...] No próximo capítulo, faremos o levantamento estatístico e sua leitura analítica A VISÃO DOS ALUNOS EM QUESTÃO Este capítulo tem por objetivo estudar os resultados da pesquisa aplicada a nossos alunos do curso de Comércio Exterior, com a intenção de analisarmos a visão e as opiniões pessoais dos pesquisados sobre o emprego, na sua aprendizagem, das relações interpessoais na sala de aula e da tradução da forma como foram trabalhadas durante nossas aulas.[29] Em nossa prática em sala de aula damos ênfase às relações interpessoais com e entre nossos alunos, isto é, procuramos mostrar-nos como um ser humano que comete erros, que está procurando sempre aperfeiçoar sua prática pedagógica e como pessoa, tentando entender, sendo solidários com a realidade que eles vivenciam, com suas dores e inquietações, discordando deles quando acreditamos seja necessário, dialogando para chegarmos a um consenso. [...]


[...] No próximo capítulo, trataremos das relações interpessoais em sala de aula RELAÇÕES INTERPESSOAIS É objetivo deste capítulo analisar a importância das relações interpessoais em sala de aula, sejam elas professor/aluno ou aluno/aluno, como uma variável muito importante ao se falar da abordagem interacionista, e de que forma estas relações incidem na aprendizagem, de espanhol no nosso caso, assim como no aproveitamento do uso da tradução como instrumento de ensino-aprendizagem de espanhol. Para isto dividiremos o capítulo em duas partes, a primeira abordando RELAÇÕES INTERPESSOAIS E INTERACIONISMO; e uma segunda sobre RELAÇÕES INTERPESSOAIS, INTERACIONISMO E A TRADUÇÃO COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE ESPANHOL -RELAÇÕES INTERPESSOAIS E INTERACIONISMO Tentaremos determinar, neste primeiro momento, a função do professor dentro de sala de aula numa prática interacionista, a sua relação com os alunos e dos alunos entre eles, e os fatores que influenciariam e deveriam ser tidos em conta para que essas relações interpessoais ajudem no processo de aprendizagem. [...]


[...] Para isto deve-se colocar o aluno em situações reais de vida que o façam expressar-se num contexto lingüístico autêntico - Interacionismo em Enfoques de Ensino-Aprendizagem de Línguas Focalizaremos a seguir três enfoques de ensino-aprendizagem de línguas, em que se percebe a presença de conceitos e idéias que levam em consideração os pressupostos do interacionismo e que poderão ser empregados no ensino de espanhol para brasileiros, a saber: Ensino Comunicativo da Língua, Aprendizagem Comunitária da Língua e o Enfoque Natural. (RICHARDS e RODGERS, 1998) - Ensino Comunicativo da Língua Começando pelo ?Ensino Comunicativo da Língua?, mencionaremos algumas de suas características: 1. [...]

Mais Vendidos educação

A ética da educação

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  14/03/2007   |  BR   |   .doc   |   5 páginas

Cronologia educação no mundo no Brasil de 1500 a 2007

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  27/03/2008   |  BR   |   .pdf   |   96 páginas

Últimos trabalhos educação

Literatura Infantil em Sala de Aula

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  03/07/2013   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

Literatura Infantil

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  18/06/2013   |  BR   |   .doc   |   9 páginas