Ou baixar através de : Permuta

Informações sobre o autor

escola estadual fazenda ingaíba - escola estadual coronel...
Nível
Especializado
Estudo seguido
pós-graduaç...

Informações do trabalho

Data de Publicação
12/12/2008
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
monografia
Número de páginas
35 páginas
Nível
Especializado
Consultado
14 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário

A leitura e a produção textual como fator de aprendizagem na sala de aula e no ensino fundamental

Esta monografia está centrada na temática do compromisso entre os professores da língua materna em trabalhar mais a produção de textos, tendo como suporte a leitura.
Para este trabalho, apostamos na leitura e na produção de textos, como fator importante para o crescimento intelectual, social e afetivo dos alunos.
Entretanto, refletindo acerca dos problemas que envolvem a expressão do aluno, tanto a escrita como a oral; das dificuldades existentes nos estudos da língua portuguesa e da necessidade de orientação para o desenvolvimento de produção de textos na escola e principalmente, metodologias de ensino da escrita, este trabalho foi escolhido a fim de estimular a evolução gradativa e a auto-expressão do aluno, um melhor desempenho lingüístico, valorizando a produção literária na compreensão da leitura, da palavra e do mundo.
A relevância desta pesquisa está na asserção de que a produção textual não se firma como um dos pontos de maior interesse no Ensino Fundamental. No entanto, é de conhecimento que o indivíduo é um produtor espontâneo de textos e, nesta prática, ele estabelece relações com outros seres e nem se dá conta desta séria habilidade de que é possuidor. Mesmo que esta seja uma característica imanente individual, faz-se necessário que a mesma seja trabalhada. Dessa forma, procurou-se abordar, também, como trabalhar para conseguir melhores resultados com a produção textual.
Não se trata de um trabalho perfeito, mas é o início de um processo que poderá ser aperfeiçoado e muito contribuir para o aprimoramento da expressão escrita de nossos alunos.
Sabe-se que nossa sociedade vem passando por múltiplas transformações nos mais diferentes ramos do conhecimento humano. Essas mudanças, no entanto, não têm ocorrido na escola com a mesma velocidade.
Apesar da importância e da necessidade cada vez maior de escrever com clareza e qualidade nos dias atuais, nota-se uma crescente desmotivação por parte dos alunos quando lhes é proposta uma atividade de produção de textos, poissão os textos escritos que propiciam o armazenamento dos conhecimentos e a análise das dificuldades encontradas pelos mesmos.
Infelizmente, as atividades de produção de texto nas escolas não têm, ao longo do tempo, recebido a devida atenção, tornando-se meras reproduções, sem atrativos, nas quais o aluno sente-se obrigado a escrever para obter uma nota.
A verdadeira importância da produção de textos, ou seja, a capacidade de contar a própria história, a sua experiência de vida, de manifestar suas idéias e a sua cidadania através da escrita passa bem distante da compreensão dos alunos.
É necessário conhecer a realidade do aluno, o modo como ele a expressa, a fim de poder compreender seu conjunto de experiência e seu ambiente sociocultural.
Para a realização destas oficinas, se fez necessário um sólido embasamento teórico, constante da revisão bibliográfica dos autores que tratam do assunto “produção de textos”.

No primeiro capítulo enfocam-se quais aspectos que transformam o texto de mera reprodução, sem subjetividade e sem sentimento, em fonte de texto vivo em sala de aula.
No segundo capítulo trata-se das causas que levam à desmotivação para produzir textos, procurando observar em que situações elas se encontram presentes.
No terceiro capítulo abordam-se as novas atitudes em relação ao trabalho desenvolvido por parte de professores e alunos, o novo formato de sala de aula, que deve ser colorida, vibrante com parede, repletas de cartazes estimulantes sem esquecer-se do espaço reservado às produções dos pequenos escritores, recursos utilizados e algumas técnicas que geram a motivação necessária para que a produção de textos seja uma atividade esperada e agradável. Também uma metodologia para a escrita.
O estudo realizado apresenta nova diretriz e novos caminhos que permitam ver a produção de textos e leitura como meio interessante e prazeroso de expressar pensamentos e manifestar sentimentos, apontando, também, para a possibilidade de aproveitar os momentos de diálogo frutífero que as atividades de produção de textos e leitura sugerem para incentivar os alunos ao encontro com sua própria cidadania.

[...] É fundamental que o professor faça o aluno ler cada vez mais, pois, se essa atitude for intensificada, ele poderá ter uma visão mais real do que é e de como funciona a escrita NOVAS MOTIVAÇÕES E ATITUDES Para que as transformações no modo de se conceber a produção textual possam ocorrer, é necessário que haja mudanças estruturais e internas no ambiente e na prática do professor e dos alunos A sala de aula Para a produção de textos ser vista pelos alunos sob uma nova perspectiva, desejada e agradável, é necessário que o ambiente onde ela ocorra, seja desafiador, instigante e provocador da imaginação. [...]


[...] Quanto mais atos de leitura à escola proporcionar aos alunos mais chance terá de transformá-los em cidadãos usuários competentes e participantes do desenvolvimento da vida em sociedade O texto vivo em sala de aula A palavra texto provém do latim textum, que significa tecido, entrelaçamento. Já na origem da palavra encontramos a idéia de que o texto resulta de um trabalho de tecer, de entrelaçar várias partes menores a fim de se obter um todo inter-relacionado. Devemos ter sempre em mente que um texto se desenvolve de maneira linear, ou seja, as partes que o formam surgem uma após a outra, relacionando-se com o que já foi dito ou com o que se vai dizer. [...]


[...] Sobre esse aspecto ele relata: Para produzir um texto ( em qualquer modalidade) é preciso que: a)se tenha o que dizer; b)se tenha uma razão para dizer; c)se tenha para quem dizer o que se tem a dizer; d)o locutor se constitua como tal, enquanto sujeito que diz o que diz para quem diz (ou na imagem Wittgensteiniana, seja um jogador no jogo); e)se escolham as estratégias para realizar e Ao lançar-se à produção escrita o aluno deve ter a consciência de que seu texto é um todo repleto de significado e será lido. [...]

...

Estes documentos podem interessar a você

Incentivando o hábito de leituras nas 1ª e 2ª séries do ensino fundamental

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  15/01/2007   |  BR   |   .doc   |   21 páginas

Dificuldade de leitura e escrita no ensino fundamental

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  26/10/2007   |  BR   |   .doc   |   23 páginas

Mais Vendidos educação

A importância da sala de recursos para a educação inclusiva

 Sociedade   |  Educação   |  Monografia   |  17/07/2007   |  BR   |   .doc   |   39 páginas

A música na educação infantil: saberes e práticas

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  16/01/2007   |  BR   |   .doc   |   10 páginas
Compra e venda de trabalhos acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.