Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

Efeitos sociológicos da prisão: um estudo crítico da obra manicômios, prisões e conventos

Informações sobre o autor

A
Nível
Especializado
Estudo seguido
A

Informações do trabalho

Marta O.
Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
fichamento
Número de páginas
13 páginas
Nível
Especializado
Consultado
6 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Instituição total
    1. Características e tipos das instituições totais
  3. A prisão como instituição social
  4. Efeitos sociológicos ocasionados pela prisão
    1. O processo de admissão do internado na instituição total
    2. Equipe dirigente versus internado
    3. Processo de mortificação da personalidade do recluso
    4. Significado e efeito do sistema social originado na prisão

Este trabalho visa o estudo e análise crítica da obra de Erving Goffman, publicado no Brasil sob o título "Manicômios, Prisões e Conventos?, cujo título original é ?Asylums: Esays on the social situation of mental patients and other inmatesn?, dando ênfase à problemática dos efeitos sociológicos ocasionados pela prisão.
A pesquisa, segundo revela Goffman, é o resultado de três anos de estudos de comportamento em enfermarias nos Institutos Nacionais do Centro Clínico de Saúde, dos quais, um ano foi dedicado a um trabalho de campo no Hospital Elizabeths, localizado na cidade de Washington, nos Estados Unidos.
O objetivo da pesquisa foi conhecer o mundo social do internado do ponto de vista como tal mundo é vivido por ele. Adverte o autor que embora realizado em repartição oficial, com apoio financeiro de outra repartição, o trabalho não sofreu influências ou restrições capazes de limitar a liberdade do pesquisador.
A obra trata de instituições totais de modo geral e que o principal foco refere-se ao mundo do internado e não ao mundo do pessoal dirigente e está dividida em quatro artigos: o primeiro, "As características das Instituições Totais", faz um exame da vida em instituições totais. Os demais são: "A carreira mental do doente mental"; "A vida íntima de uma instituição pública" e "O modelo médico e a hospitalização de doentes mentais".

[...] de indivíduos em situação semelhante; a separação desses indivíduos, por um considerável período de tempo, da sociedade mais ampla; o confinamento a uma vida formalmente administrada Características e Tipos das Instituições Totais As principais características da instituição total são as seguintes: 1. Todos os aspectos da vida desenvolvem-se no mesmo local e sob o comando de uma única autoridade Todas as atividades diárias são realizadas na companhia imediata de outras pessoas, a quem se dispensa o mesmo tratamento e de quem se exige que façam juntas as mesmas coisas Todas as atividades diárias encontram-se estritamente programadas, de maneira que a realização de uma conduz diretamente à realização de outra, impondo uma seqüência rotineira de atividades através de normas formais explícitas e de um corpo de funcionários As diversas atividades obrigatórias encontram-se integradas em um só plano racional, cujos propósitos são conseguir os objetivos próprios da instituição. [...]


[...] Cada caso é um caso e sofre influência variada de seus aspectos particulares, especialmente quando se pretende estabelecer a relação que existe entre reincidência e prisionalização. A prisionalização pode significar somente uma característica transitória do centro penitenciário. A relação entre a prisionalização e a conduta do interno, ao ser posto em liberdade (reincidência) não se encontra satisfatoriamente esclarecida. Apesar da incerteza sobre os efeitos da prisionalização, inquestionavelmente é um fator que obstaculiza seriamente a ressocialização do delinqüente. CONCLUSÃO A obra de Goffman (1992) trata das instituições totais, tema [...]


[...] A existência de uma gíria típica do sistema social carcerário, que pode ser considerado como uma forma peculiar de expressão cultural, mostra o grau de desenvolvimento e de relativa autonomia que esse subsistema social pode adquirir O código do recluso O código do recluso é a expressão mais elaborada das regras básicas da sociedade carcerária. Implica no estabelecimento de determinadas normas de cumprimento obrigatório e eventual desobediência significa a imposição coercitiva de alguma sanção. O código do recluso é uma das expressões mais típicas do antagonismo com a sociedade que, neste caso, é representada pelo pessoal penitenciário. [...]

Mais Vendidos sociologia

As etapas do pensamento sociológico

 Sociedade   |  Sociologia   |  Estudo   |  22/02/2007   |  BR   |   .doc   |   20 páginas

Sociologia Histórica

 Sociedade   |  Sociologia   |  Estudo   |  27/02/2013   |  BR   |   .doc   |   13 páginas

Últimos trabalhos sociologia

O Governo Representativo: Transformações das Características e Limitações das Teorias

 Sociedade   |  Sociologia   |  Estudo   |  28/02/2013   |  BR   |   .doc   |   9 páginas

Sociologia Histórica

 Sociedade   |  Sociologia   |  Estudo   |  27/02/2013   |  BR   |   .doc   |   13 páginas