Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

O Brasil e o Choque do Petróleo – Colhendo os frutos

Informações sobre o autor

Ministério do Turismo
Nível
Especializado
Estudo seguido
Bacharel em...

Informações do trabalho

Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo
Número de páginas
24 páginas
Nível
Especializado
Consultado
1 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Estagnação
  2. 1980-1983: Estagnação e transferência de recursos reais ao exterior
  3. 1984-1986: ?Retomada Involuntária?
  4. 1987-1989: Desestruturação do Estado

Na década de 80 o Brasil passou pela maior crise econômica de sua história. Essa crise foi tão ampla, que alguns economistas dizem que a década de 80 está para o Brasil assim como a Grande Depressão nos anos 30 está para os países desenvolvidos (Fishlow, 1986). A renda per capita acumulou durante toda a década uma taxa de crescimento negativa de 4,7%. O crescimento do PIB ficou praticamente estagnado, atingindo uma média de apenas 2,3%a.a. contra uma média de aproximadamente 7%a.a. desde o pós-guerra até 1980. Com razão a década de 80 ficou conhecida por ?década perdida?.

Outro problema que se mostrou de difícil solução durante os anos 80 a falta de controle da inflação. Todos os planos econômicos cunhados no período tinham como principal objetivo a estabilização dos índices de inflação. A inflação média durante o período alcançou a histórica marca de 423%a.a. (INPC / IBGE). No ano de 1989 esse índice registrou 1863%a.a. A combinação de baixo crescimento e elevadas taxas de inflação é conhecida por ?estagflação?.

[...] Se esses resultados tivessem surgido alguns anos antes, muito provavelmente o Brasil teria enfrentado a 2ª crise do petróleo e o choque dos juros em uma posição mais cômoda, o que refletiria na sua performance durante o restante da década. Isso porque com os frutos do II PND o país teria condições de gerar capacidade de pagamento da dívida externa antes da elevação do custo do serviço da dívida, além de possuir melhores condições em relação à dependência externa de fontes de suprimento de bens de capital e intermediários. [...]


[...] Os limites do possível: notas sobre o balanço de pagamentos e indústria nos anos 70. In Pesquisa e Política Econômica, Rio de Janeiro, ago. de 1976. BONNELLI, R. e MALAN, P. S.?Crescimento Econômico, Industrialização e Balanço de Pagamentos: O Brasil dos Anos 70 aos Anos Textos para discussão interna, nº 60 Instituto de Planejamento Econômico e Social IPEA, novembro de 1983. BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. O colapso de uma aliança de classes. São Paulo, Brasiliense BRASIL. Lei nº de 4 de dezembro de 1974 Ementa: Dispõe sobre o Segundo Plano Nacional de Desenvolvimento para o período de 1975 a 1979. [...]


[...] Tabela 4.1 Juros líquidos pagos ao exterior como proporção da receita de exportações 1980-1990 milhões) Ano Juros Exportações Relação Líquidos Juros / Exportações Fonte: Site Ipeadata[1] A década de 80 pode ser dividida em três períodos distintos, como pode ser visto no gráfico 4.1 : de 1980 a 1983, que constitui o auge da crise da dívida, no qual o PIB brasileiro registra uma dura recessão com uma taxa média de menos de com destaque para os anos de 1981 e 1983 quando a taxa foi negativa; de 1984 a 1986 que marca uma recuperação vigorosa da economia brasileira, no qual registra-se de taxa média de crescimento do PIB; 1987 até o final da década, marcado novamente por taxas de crescimento medíocres, alcançando uma média de 2,2%. [...]

Estes documentos podem interessar a você

"Os choques do petróleo, o II PND e a estagnação dos anos 80"

 Economia e finanças   |  Economia   |  Estudo   |  28/05/2007   |  BR   |   .ppt   |   46 páginas

Últimos trabalhos economia

Contribuição Sindical

 Economia e finanças   |  Economia   |  Estudo   |  21/11/2012   |  BR   |   .doc   |   6 páginas

Vantagens de Negocições Extrajudiciais

 Economia e finanças   |  Economia   |  Estudo   |  01/12/2011   |  BR   |   .doc   |   27 páginas