Search icone
Permuta de Trabalhos Acadêmicos
Garantias
Leia mais sobre as nossas garantias.

As ações da psicopedagogia, na aprendizagem da linguagem nas séries iniciais

Informações sobre o autor

Consultoria - Consultoria - Gerência de Recursos Humanos
Nível
Especializado
Estudo seguido
Mestrado...

Informações do trabalho

Data de Publicação
Idioma
português
Formato
Word
Tipo
estudo dirigido
Número de páginas
53 páginas
Nível
Especializado
Consultado
4 vez(es)
Validado por
Comitê Facilitaja
0 Avaliaçao cliente
0
escrever um comentário
  1. Introdução
  2. Informação e assimilação no início da alfabetização
    1. A interpretação da escrita antes da leitura convencional
    2. Psicopedagogia e componentes do ato educativo
    3. Procedimentos para o estudo das letras
    4. As considerações na alfabetização
    5. Sugestões de atividades coletadas
  3. Influência da família nos primeiros anos da vida escolar
    1. Linguagem
    2. O papel dos pais quanto à responsabilidade e autonomia dos filhos
    3. A importância do resgate de autoridade dos pais
    4. A política da família
    5. A infância dos três porquinhos - lição a pais e mestres
  4. Produção de texto oral e escrita
  5. Questões sobre produção de texto
    1. O conceito de produção de texto
    2. Concepção de valores e princípios
  6. Estrutura organizacional do curso
    1. Como o psicopedagogo atua na escola, no consultório, psicoprofilaticamente e sistematicamente
    2. Cenário atual
    3. Liberdade de expressão, atividade e criatividade
    4. Quem é o psicopedagogo

No dia-a-dia da escola temos encontrado crianças que lêem seu nome completo em um texto onde efetivamente isso está escrito (ou um texto que elas consideram como sendo a representação de seu nome) mas que também pensam que seu nome completo está escrito em qualquer parte do texto. Um pouco mais tarde, quando as crianças começam a controlar sistematicamente as variações na quantidade de gráficos que compõe cada escrita que produzem, algumas situações privilegiadas lhes permitem conseguir uma coordenação momentânea. Ex.: para escrever ?gatos?, correspondendo a um desenho de três gatinhos, as crianças podem contar os gatos e colocar tantas letras quantos gatos houver.
Nesses casos, cada letra representa um objeto e o todo, a totalidade ?legível? representa o nome plural. A relação entre as partes e o todo, nesta situação, é compreendida como uma representação analógica com os objetos referidos: o todo (quer dizer, a escrita completa) é uma representação do conjunto de objetos e cada uma de suas partes. Nossa tarefa é precisamente procurar explicar esta direcionalidade. Do mesmo modo não se pode invocar somente as influências ou modelos sociais Contudo, também é evidente que as influências e modelos sociais não cumprem a mesma função em momentos diferentes do desenvolvimento: às vezes têm um papel positivo no processo de desiqüilibração (na medida em que funcionam com perturbações); em outras ocasiões, desempenham um papel também positivo, como observáveis facilmente assimiláveis, finalmente por vezes desempenham um papel inibitório, negativo, no processo.
Diante destas constatações, pretende-se com este estudo aprofundar nossos conhecimentos a respeito das ações da psicopedagogia, na aprendizagem da linguagem nas séries iniciais.

[...] A aprendizagem deve ser olhada como a atividade de indivíduos ou grupos humanos, que mediante a incorporação de informações e o desenvolvimento de experiências, promovem modificações estáveis na personalidade e na dinâmica grupal as quais revertem no manejo instrumental da realidade. Na Argentina e na França (Polos Culturais), este trabalho já vem sendo desenvolvido há anos, tendo o psicopedagogo papel indispensável nas equipes multidisciplinares destas instituições. Ana Maria Muniz, Alícia Fernàndez e Sara Pain são grandes exemplos do quanto a psicopedagogia Institucional vem colaborando dentro destas Instituições. [...]


[...] Gordon Shaw e Frances Rauscher, da Universidade da Califórnia, num trabalho com dezenove pré-escolares, descobriram que, após oito meses de aulas de piano e canto, as crianças se saíram muito melhor na cópia de desenhos geométricos do que as que não tiveram aulas de música. Os pequenos músicos eram melhores na percepção espacial e muito mais eficientes, por exemplo, no jogo de quebra-cabeça. Mozart neles, então. E rápido. Mesmo sensações aparentemente tão primárias quanto calma ou ansiedade são aprendidas, costuma dizer a professora americana Carla Shatz. [...]


[...] Propostas, filosofias e objetivos claros, equipe preparada, olhares individualizados e respeito ao ser humano com o qual estaremos interagindo durante boa parte de suas vidas, estímulo as potencialidades de cada um, e principalmente estruturar para uma autonomia plena e saudável, são pontos importantes a serem observados na escolha da escola Quem é o Psicopedagogo Síntese do Projeto de Lei 3124/97 do deputado Barbosa Neto que regulamenta a profissão do Psicopedagogo e cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicopedagogia. [...]

Mais Vendidos educação

Brincadeiras e jogos na educação infantil

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo dirigido   |  27/07/2007   |  BR   |   .doc   |   26 páginas

O brincar na educação infantil

 Sociedade   |  Educação   |  Dissertação   |  01/04/2008   |  BR   |   .doc   |   14 páginas

Últimos trabalhos educação

Literatura Infantil em Sala de Aula

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  03/07/2013   |  BR   |   .doc   |   10 páginas

Literatura Infantil

 Sociedade   |  Educação   |  Estudo   |  18/06/2013   |  BR   |   .doc   |   9 páginas